ESPECIALISTA AFIRMA QUE O FIXADOR DO PERFUME É UM MITO

Perfumista ensina a combinar cheiro do perfume com outros cosméticos

Expert revela mitos e verdades sobre o universo das fragrâncias
Expert revela mitos e verdades sobre o universo das fragrâncias Foto: Photobucket, Reprodução

Graduada em farmácia bioquímica e especializada em fármacos e cosméticos, a perfumista paulista Verônica Kato contabiliza mais de 20 anos de experiência em perfumaria. Tem passagens pela Alemanha, Inglaterra, Estados Unidos e França país onde investiu nos estudos sobre alquimia dos cheiros. Verônica é referência quando o assunto é perfumes. Donna elaborou cinco questões para ela.

Pergunta – Por que perfumes falsificados muitas vezes têm o mesmo cheiro dos originais?
Verônica Kato – O perfume falsificado nunca tem o mesmo cheiro do original. Porém, por serem cópias, podem lembrá-lo olfativamente. Mas é muito importante conscientizar a população sobre o perigo de adquirir esses produtos. É preciso sempre atentar à forma como são produzidos para não pôr a saúde em risco. Além do mais, tem toda a questão ética e legal.

Pergunta – O que é o fixador do perfume?
Verônica – O fixador é um mito, não existe. A fixação ou a substantividade de um perfume depende do caminho olfativo ou da concentração do perfume. Perfumes mais frescos são mais voláteis e, portanto, fixam menos na pele. Já os perfumes amadeirados ou adocicados são menos voláteis e fixam mais na pele. Os brasileiros tendem a preferir perfumes mais frescos. Quanto à dosagem, quanto maior for a concentração de fragrância no produto, maior a fixação.

Pergunta – Antigamente, acreditava-se que expor a pele perfumada ao sol poderia ocasionar manchas e até mesmo lesões. Isso ainda acontece com os perfumes modernos?
Verônica – Isso é um outro mito, pois não acontece com todos os perfumes. Algumas matérias-primas, como os cítricos, são fotossensíveis e, por isso, fragrâncias com grande quantidade de óleos essenciais cítricos podem ocasionar essas manchas. Na fabricação do perfume, porém, fazemos uso de um limite seguro desses ingredientes seguindo um órgão regulador. Aconselha-se evitar a exposição ao sol ao usar esses perfumes porque algumas pessoas têm uma pele muito mais sensível e poderiam apresentar esse problema.

Pergunta – Qual a diferença entre perfume, colônia e água de banho?
Verônica – O que diferencia um perfume, uma colônia e uma água de banho é a concentração de fragrância. O perfume tem uma concentração de fragrância superior a 15% no produto; a colônia costuma ter uma concentração de fragrância entre 10% e 12% e as águas de banho, concentração de fragrância entre 5% e 8%.

Pergunta – Como evitar que a fragrância do perfume “brigue” com os cheiros de outros cosméticos, como loção pós-barba, xampu, hidratante facial etc.?
Verônica – É uma questão de bom senso. O ideal é usar outros produtos cosméticos ou de limpeza que tenham uma fragrância mais suave, ou usar todos da linha (xampu, loção, desodorante, sabonete etc.) que tenham o mesmo cheiro, ou ainda usar produtos que não tenham cheiro algum.

Receitas com quinua podem ajudar a matar a vontade de comer a mais neste frio

QUER MUDAR O VISUAL? ENTÃO EXPERIMENTE A TÉCNICA DO VISAGISMO

Matéria anterior
Filão do mercado editorial, os livros de autoajuda para adolescentes miram um consumidor que se prepara para entrar na idade adulta e vive impasses típicos dessa fase da vida

GÊNERO DE AUTOAJUDA PARA ADOLESCENTES GANHA MAIS LEITORES NO BRASIL

Próxima Matéria