Caça às pulgas! Como manter cães, gatos e a casa livres dos insetos

Seu cão está limpinho e cheiroso, mas basta um passeio no parque para que elas apareçam. De volta ao lar, as temidas pulgas pulam dele para seu gato e, de ambos, elas se espalham pelos cômodos, podendo contaminar a casa inteira. Engana-se quem pensa que só os pets precisam de tratamento antipulgas. Caso o local onde eles vivem não seja higienizado, os insetos podem voltar a infestá-los.

— Cerca de 98% das pulgas estão no ambiente, apenas 2% ficam nos animais — explica o médico veterinário Marcelo Beltrão Molento, professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Ainda segundo Molento, as pulgas se reproduzem rápido e sobrevivem por bastante tempo no ambiente no período quente do ano:

— O verão é uma época boa para esses parasitas, porque combina temperaturas altas e umidade.

Especial #DonnaPets
:: Quase como gente! Histórias de quem tem pets que são muito mais do que animais de estimação
:: Tipo a Estopinha! Especialista Alexandre Rossi ensina como adestrar seu pet em casa

Outono e primavera também podem ser estações que favorecem a proliferação dos insetos, já que a partir de 18°C o cenário já se apresenta ideal para isso. No inverno, no entanto, a queda dos termômetros costuma interromper o ciclo do inseto em locais com frio mais rigoroso. Para evitar a infestação, as residências podem receber produtos para serem diluídos em água e talcos – indica-se lavar com o líquido ou aplicar o pó sobre a caminha e os cobertores do mascote.

— Também deve-se passar sempre aspirador de pó em todos os tapetes, carpetes e sofás — instrui a veterinária Thaís Andrade Costa Casagrande.

00b19661

Para eles

Nos antipulgas destinados a aplicação em cães e gatos, há diferenças de concentração. A melhor apresentação – talco, solução, injeção ou comprimido – é o veterinário quem deve indicar. Por isso, nada de “automedicar” seu pet: a consulta ao especialista é essencial. No dia a dia, quando o animal não está infestado, banhos e inspeção de rotina nos pelos bastam como cuidados básicos.

Verminoses

O número excessivo desses parasitas é preocupante porque eles transmitem doenças. A mais comum delas é a dipilidiose, uma parasitose causada por um verme chato – conhecido popularmente como grão de arroz – que ataca o intestino de cães e gatos. Se o pet está arrastando o bumbum no chão, é hora de levá-lo ao veterinário: esse é um dos principais sinais da verminose.

Veja também
:: Como identificar e o que fazer quando seu pet sofre uma fratura ou luxação

:: Por que a atenção à saúde dos pets deve ser redobrada no inverno

Ação

Existem dois tipos de antipulga: um de ação rápida, mas que dura menos dias; e um de efeito prolongado, que leva um tempo maior para começar a agir, mas que combate os parasitas por mais de um mês. Para grandes infestações, pode ser recomendado o tratamento combinado com ambos. Coleiras antipulgas podem não ser a melhor solução: em alguns casos, os acessórios podem aumentar o risco de o animal se intoxicar com a medicação.

Mais no blog Animal Print
:: Como escolher a ração ideal para o seu pet