Mau hálito? Veja como acabar com o tártaro dos pets

Ele se aproximou de mansinho e você ganhou aquela lambida de alegria. Mas desta vez foi diferente. A proximidade das pessoas com seus animais faz com que os proprietários rapidamente notem a mudança do odor da boca de seus mascotes. Embora o mau hálito, também conhecido por halitose, possa ter diversas origens, o acúmulo de uma placa escura sobre as gengivas de seu bichinho é passaporte carimbado para a mesa de um profissional especializado em odontologia veterinária.

Leia também:
:: Saiba como adaptar um animal mais velho ao novo mascote da casa

:: Como ajudar as crianças na morte de seu mascote

De onde vem o tártaro?

Sob determinadas circunstâncias, uma placa bacteriana se deposita sobre o dente e a gengiva dos cães e gatos. A saliva fornece os elementos que mineralizam a estrutura formando o cálculo, também conhecido por tártaro, cuja coloração varia do amarelo, passando pelo marrom e o cinza. Visto com maior frequência nos caninos e primeiros molares dos carnívoros, sua superfície rugosa favorece ainda mais acumulação, o que acaba irritando a gengiva, que pode até mesmo sangrar em casos mais severos.

dogs-49324

O tártaro não é removido por meio de higiene convencional. Precisa ser feito por profissionais especializados, uma vez que são necessários instrumentos especiais, sedação e, não raro, anestesia geral para a realização de um trabalho seguro. Algumas raças se mostram mais predispostas à formação do tártaro mas isso não quer dizer que todos os exemplares terão problemas com halitose. Estudos comprovam que maior é a incidência nos animais que se alimentam de dieta pastosa se comparado àqueles adeptos à ração seca.

A partir dos dois anos de idade já é possível ver a formação de pequenas manchas escuras nos dentes dos cães e gatos durante uma simples inspeção levantando o lábio com os dedos. O ideal é atacar o cálculo ainda nessa fase para evitar problemas maiores.

SAM_3982

Dicas dos dentes dos pets:

– A regra é evitar acúmulo. Para remover regularmente a sujeira dos dentes dos animais, o mercado pet disponibiliza material adequado, mas isso não significa que seu mascote vai abrir a boca e se deixar ser manipulado;

– Acostumar seu pet desde pequeno a ter seus dedos dentro de sua boca, higienizando seus dentes, é um bom começo.

– Visando à redução da formação do cálculo, comida seca apresenta melhores resultados se comparado ao alimento com maior teor de umidade (mais pastoso).

– Na hora de adquirir seu pet, dê uma boa olhada nos dentes dos pais. A genética é fator predisponente.

– Procure atacar cedo o problema. Isso evitará, além de maus odores, a desagradável manipulação da gengiva sensibilizada e a perda dos dentes de seu mascote.

– Descartada a presença do tártaro e persistindo a halitose, a saúde de seu pet precisa ser avaliada.

Leia também:
:: Como cuidar dos animais de estimação durante o frio?
:: O perigo mora em casa: móveis e até o vento que circula pela casa podem causar acidentes com os pets
:: 5 dicas para não errar na hora de escolher o nome do pet