Cachorro na praia? Veja os cuidados antes de pegar a estrada

Época de férias, de pegar a estrada para a praia. E nem sempre dá para levar o cãozinho para o litoral — muitas vezes, eles ficam com a família, amigos ou hotéis especializados. E quem consegue incluir o seu companheiro na viagem, precisa levar em conta os dois principais vilões do verão para os pets: calor e parasitas.

Pulgas, carrapatos e alguns tipos de sarna se proliferam de forma assustadora nessa época do ano. Uma única pulga, por exemplo, pode colocar até 50 ovos por dia. E o carrapato não fica atrás nessa corrida. Hoje em dia, já é possível fazer um tratamento preventivo com algumas semanas de antecedência para os dois principais parasitas que não largam do seu pé mesmo no final do verão. Se não forem erradicados, continuam com seu ciclo sobre o tapete de sua casa, na praia ou na cidade.

Reprodução

Reprodução

Atenção também para a dirofilária, uma doença que vem da picada de um mosquito infectado com a larva que por meio dos vasos sanguíneos chega até o coração de seu cão. O verme, que pode atingir até 20 centímetros de cumprimento, vive dentro do coração podendo trazer distúrbios cardíacos. Tratamento para pulgas, carrapatos e dirofilária podem – e devem – ser feitos de forma preventiva semanas antes de você viajar ao litoral.

:: Férias com o pet? 13 coisas que não podem faltar na mala de viagem
:: Férias sem mascote: os prós e contras de deixar na pet shop, na casa de amigos ou em hotéis

Outra questão que merece observação é a altura do pelo de seu pet. É mais saudável e confortável para seu mascote ter pelo baixo no verão, o que não quer dizer ausente: o pelo ajuda a proteger das queimaduras e da desidratação.

E, claro: viajar com o seu pet à praia não significa que você poderá levá-lo para a areia. Fique atento à legislação de cada município, pois grande parte deles proíbe a presença de animais na mesma área dos banhistas devido às doenças que isso pode provocar. Então, aproveite para fazer passeios apenas até o calçadão e verifique que seu cachorrro estará cômodo em casa enquanto você estiver sob o guarda-sol.

Na medida do possível, uma consulta em um médico veterinário esclarece suas dúvidas e aponta para outras particularidades de seu pet que podem ter que receber cuidados especiais e medicação nesse verão, como olhos, ouvidos e alergias.