Frutas para pets: saiba quais não oferecem risco para seu mascote

Para quem não gosta muito de ver seu cão ou gato comer aquela bolinha dura de ração que, mesmo balanceada e ajudando a promover a saúde dos dentes, uma forma de amenizar a culpa é dar ao animal um petisco de qualidade, o que não deixa de ser uma guloseima para seu pet saborear e pedir bis.

Antes de haver empresas especializadas em nutrição animal, a fruta era bastante recomendada para pets por ser composta por fibras e vitaminas. Porém, tendo em vista nossa ampla variedade frutífera, é necessário estar atento ao consumo daquelas mais calóricas, ainda mais se seu pet tem tendência à obesidade.

O ideal para mascotes são aquelas frutas com bastante água, o que é encontrado na melancia, melão e maçã. Evitar sempre aquelas que podem ser tóxicas para pets, a exemplo de uvas, até mesmo na forma de passas, e o abacate. Frutas cítricas, como abacaxi e laranja, podem ser oferecidas, já que possuem bastante água, mas atenção quanto à sensibilidade que seu pet pode demostrar em função da acidez.

Aquelas que apresentam caroço, por menor que seja, também devem ser evitadas pelo risco de obstrução e até lesões nos intestinos. Também se recomenda que a fruta não seja uma refeição, mas oferecida em forma de guloseima, o “agradinho” que damos ao nosso pet quando queremos vê-los felizes. Geralmente se descobre ser a fruta agradável ao paladar animal quando se oferece um pedaço sem muita pretensão, mas o que segue é ver um pet devorando-a sem rodeios. E é assim que você fica sabendo que seu pet é doido por determinada fruta.

Se ingerida em grande quantidade, frutas alteram o apetite de seu mascote que pode até mesmo perder a vontade de comer ração uma vez que, mole e palatável, uma frutinha é mais saborosa que boa parte das rações industrializadas.

Para animais mais velhinhos, dê preferência às frutas mais macias ou até mesmo cozidas para facilitar a ingestão. Se faltam alguns dentes, o petisco pode ser bem-vindo mas até aqui deve-se ter em mente a moderação. Em excesso, frutas inocentes podem causar diarréias e prostração nos pets e, no caso de frutas tóxicas para o metabolismo deles, alterações renais e intestinais, o que pode levá-los ao veterinário.