Antes de adotar um vira-lata, saiba como identificar a personalidade do cão

Pensando em adotar um guaipequinha, mas tem dúvidas quanto à personalidade do bichinho? Saiba que traços de determinadas raças no seu candidato à mascote podem ajudar a orientar sua escolha. Cães mestiços podem ter determinadas características acentuadas pela genética de seus antepassados.

Mas atenção: embora tendam a ser mais resistentes a doenças se comparado àqueles de raça pura, isso não isenta o animal de sofrer com alergia alimentar ou outras questões que afetam a saúde dele. Descender de uma raça é um norte, uma ideia a ser considerada, mas pode não ser determinante. Uma vantagem de saber o fenótipo específico é explicar o aparecimento de determinada patologia, doença típica de determinada raça.

Veja algumas observações sobre as raças:

Pastor Alemão

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

O pastor alemão pode ser um animal fiel, protetor da casa e da família. Alguns ainda mantém a “capa preta”como um fenótipo marcante e com pelagem que pode variar de densa a bem ralinha. Um problema que foi reduzido com a miscigenação foi luxação coxo-femural que era comum nessa raça. O pastor alemão é considerado uma das raças mais inteligentes, tanto que foi usada em guerras, e uma característica que transmitiu para seus descendentes foi o instinto de proteção àquele que fornece alimento e abrigo.

Cocker Spaniel

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

São cães de tamanho médio, orelhas penduladas e peludas que denunciam traços de Cocker Spaniel no mascote. O bichinho pode vir também com “pintinhas” na pelagem, o que pode lembrar um Pointer. Se filhote, pode roer a casa toda até os dois anos de idade, mas ao mesmo tempo é uma raça companheira, compreensiva e parceira das crianças. Tem tendência a apresentar problemas no ouvido, mas a miscigenação pode ter atenuado em função de modificações anatômicas.

Poodle

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Os pelos enrolados em um tamanho pequeno pode ser fenótipo do poodle. Seus descendentes podem ser animais temperamentais, daqueles tipo “invocadinho”. Uma característica desejável que ele pode ser herdado de seus ancestrais é que estes não soltavam pelos, razão pela qual ficaram tanto tempo nos lares brasileiros. Podem apresentar problemas nos joelhos, o que costuma ser um problema nas raças microtoys. São animais com personalidade marcante e costumam gravitar em torno de seus donos.

Pinscher

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Nos anos 80 e 90, além de uma boa companhia, a raça era vista como excelente agente de manutenção da segurança da casa mesmo com o pequeno porte. Inteligentes e protetores, elegem uma pessoa na casa para ser “seu humano”. Extremamente atentos, latem para qualquer ruído, o que pode ser bom para algumas pessoas mas pouco agradável para outras.

Pequinês

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Os cãezinhos com nariz socado para dentro e com o rabo meio enrolado podem ter herdado do pequinês o temperamento calmo. Animal dócil, os pequineses eram os campeões no quesito problemas de pele mas a tendência é a miscigenação ter fortalecido a imunidade e reduzido esses problemas dermatológicos. O focinho um pouco mais alongado também reduziu os frequentes distúrbios respiratórios e oftálmicos que tanto perturbavam os puros da raça.

Foto: Pexels

Foto: Pexels

Lhasa, Shitzu e Maltês

Os peludinhos dos anos 2000 também deixaram seus descendentes. Eles permanecem peludos, ainda mais se foram cruzados entre eles, e tendem a ser mais independentes do dono se comparado ao Yorkshire, por exemplo. Eles dormem mais, fato que exige menos de seus tutores no quesito atenção. Mas como estamos falando de animal mestiço, também pode ser que tenha perdido esse comportamento mais tranquilo. Preste atenção aos seus movimentos e a frequência com que late.

Yorkshire

Foto: Pexels

Foto: Pexels

Outra febre dos anos 2000, os mestiços tendem a lembrar seus ancestrais em função da pelagem escura, ainda mais se estamos falando da segunda ou terceira geração. A quantidade de pelos é que diminui, salvo se o cruzamento também foi com cão peludo. A tendência à oleosidade que alguns apresentam pode ter desaparecido com a miscigenação. Eles tendiam a absorver o nervosismo e a apreensão dos donos, o que possibilitou a alguns desses cães se tornarem animais mais amedrontados quando longe da presença dos donos. Então atenção redobrada para não criar mestiços muito tempo no colo e transferir para eles a ansiedade do dia a dia.

lassieanos80

Collie

A Lassie dos anos 80 ainda deixa seu alô em alguns cães de abrigo, aqueles com focinhos pontudos, retos e pelagem densa. O cruzamento com pastores foi comum nos anos 90, então o temperamento reconhecidamente dócil que a manteve anos como a queridinha dos brasileiros perdeu espaço em função de seu tamanho e cuidados com a pelagem. Quem conviveu com um Collie conhece a sensibilidade indiscutível do animal que parece sempre pronto para ajudar. Ofereça a mão ao candidato e não se surpreenda se ele tocar seus dedos com a pata ou focinho.

Não identifiquei nada. E agora?

Se seu candidato à mascote não tem cara de nada e coisa nenhuma, mas caiu no seu agrado, observe se ele atende aos critérios que são indispensáveis para sua adoção. Cão agitado no abrigo não será tranquilo dentro de casa, mas tranquilidade talvez seja uma característica que você quer distância.

O animal mais encolhidinho e que não abriu a boca, aquele que levou as orelhas para trás e pediu colo com os olhos pode ser o mascote companheiro e silencioso que você deseja. Os mais serelepes, que mantém o rabo a 220V, donos de um olhar penetrante, pode ser o cusco que vai correr na praça atrás da bolinha de tênis que você vai jogar. Converse com o monitor sobre a rotina do cão ao longo do dia e o visite em diferentes momentos para observar seu temperamento. Parece preciosismo, mas são pequenos detalhes e observações que podem selar uma grande e duradoura amizade.

Leia mais:
:: Os cuidados necessários ao adotar um animal de rua
:: Os cuidados que você deve ter ao adotar um cachorro com sarna
:: Perigo em casa: saiba quais plantas podem ser tóxicas para seu animal de estimação