Acne na idade adulta: conheça as causas e saiba como tratar

Por Natasha Heinz, Especial

O pesadelo de acordar com uma espinha no meio do rosto é típico da adolescência. Mas há quem siga encarando o problema mesmo bem depois do fim da adolescência: a acne na idade adulta é bem mais comum nas mulheres do que nos homens. A endocrinologista Dora Ullmann e a dermatologista Rachel Garcia explicam as causas mais comuns para a persistência de espinhas e cravos e dão dicas de como prevenir e tratar.

:: Sabia que mesmo quem tem pele oleosa pode sofrer com ressecamento? 
:: Tem solução! 6 coisas que você precisa saber para se livrar das olheiras

O que é acne?

A acne é uma doença das glândulas sebáceas e decorre, entre outros fatores, da influência dos hormônios sexuais. É por isso que os cravos e espinhas geralmente começam a surgir na puberdade.

— Cravos e espinhas são manifestações clínicas da acne e ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea pela ação dos hormônios, associada a um estreitamento dos poros — explica Rachel Garcia. — Essa obstrução faz com que a secreção fique retida dentro da pele e dá origem aos cravos, favorecendo também a proliferação de bactérias que levam à inflamação, dando origem às espinhas.

Mais para cuidar da cútis
:: Manchas na pele? Saiba como evitar e tratar o problema
:: As diferenças e cuidados específicos para cada tipo de pele da face

:: De oleosas a secas: os cuidados com a pele ao acordar e dormir

As causas

  • Predisposição genética.
  • Cosméticos.
  • Alimentação.
  • Medicamentos como anabolizantes, corticoides e excesso de vitamina B também contribuem para a formação de cravos e espinhas e podem gerar acne.
  • Outro culpado por essas inflamações são as pílulas anticoncepcionais, especialmente as chamadas minipílulas, compostas apenas por progesterona. Esse medicamento pode piorar a acne, principalmente no início do uso. Nessa mesma lista, estão os contraceptivos injetáveis e o DIU composto de progesterona.

aguamic-669x499
Como evitar

Para começar, o básico: manter bons hábitos de limpeza da pele e de alimentação. Rachel Garcia comenta que há indícios de que os laticínios podem levar à piora das lesões de acne em pessoas predispostas – embora não haja uma comprovação científica.

Outra dica é evitar o uso de cosméticos e maquiagens pesados e gordurosos, pois eles obstruem poros e aumentam a oleosidade da pele, levando à formação de acne.

O estresse aumenta os níveis de cortisol, hormônio capaz de induzir a formação de mais oleosidade e acne. Então, pegue leve!

cuidados-pele-envelhecimento-750x499

Como tratar

Se você já estiver sofrendo com as inflamações de acne: procure um dermatologista para determinar o melhor cuidado. Dora lembra que o tratamento vai depender muito do grau e do tipo de manifestações apresentadas. As médicas indicam:

  • Medicamentos tópicos redutores de oleosidade, que controlam a produção de gordura da pele.
  • Microesfoliantes para reduzir a obstrução que ocorre nos poros.
  • Ácidos retinoico, glicólico e salicílico que controlam de oleosidade, fazem microesfoliação, agem na renovação da pele e têm ação secativa e clareadora.
  • Ácido azelaico: com ação antimicrobiana e diminuição de ácidos graxos livres na superfície da pele.
  • Anticoncepcionais com ação antiandrogena: eles regulam alterações hormonais e bloqueiam a ação do hormônio masculino que também combatendo a acne.
  • Antibióticos para reduzir a proliferação de bactérias.
  • Isotretinoína: derivado da vitamina A que tem efeito de redução definitiva das glândulas sebáceas, fazendo com que elas retornem ao tamanho normal.
  • Lasers inibem o crescimento das bactérias causadoras da acne.
Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna