Blogueira lança “O livro dos cachos” para incentivar mulheres a assumir cabelos crespos

Cia das Letras, Divulgação
Cia das Letras, Divulgação
Depois de décadas tendo a cabeça como laboratório para os mais variados processos químicos para alisar o cabelo, Sabrinah Giampá, 36 anos, um dia não reconheceu o próprio rosto no espelho. A questão não era só física, como conta no recém-lançado O livro dos cachos: “Foi uma sensação complexa e muito estranha. Era como se eu estivesse fantasiada. A ficha finalmente caiu: eu havia me transformado numa personagem para ser aceita, amada, pertencer.”
– Desde que assumi meu cabelo, aos 30 anos, passei por uma transformação interna. O cabelo impacta diretamente na vida da pessoa, tanto social quanto profissional – conta Sabrinah, em entrevista por telefone, desde São Paulo.
Formada em Jornalismo, Sabrinah começou a desbravar o mundo dos cachos depois de realizar sua própria transição capilar. O processo de retirar toda a química do cabelo é conhecido como big chop. Consiste em cortar a parte dos fios submetida a alisamento, deixando o cabelo curtinho para que cresça com o formato natural. A sensação de liberdade foi arrebatadora, mas não foi fácil lidar com a reação da família e dos amigos.
– Às vezes, a pessoa não consegue ver a beleza em uma superfície que não seja lisa. O livro ajudou bastante nisso também. Até minha mãe disse que errou comigo e me pediu desculpa por ter alisado meu cabelo desde criança – lembra.
A falta de produtos e tratamentos voltados aos cabelos cacheados levou Sabrinah a pesquisar por conta própria como cuidar das madeixas. Ao postar as descobertas no blog Cachos e Fatos, virou referência das amigas – e logo, de desconhecidas. Daí, não demorou a receber os primeiros pedidos para manusear as tesouras.
No dia da entrevista para Donna, Sabrinah sugeriu que a conversa fosse às “13h em ponto”. Das 14h às 21h, trabalharia sem intervalo na Garagem dos Cachos, salão mantido na própria casa. Por ali passam, a cada mês, dezenas de cachos dos mais variados tipos – o livro identifica nove deles. A clientela é formada por mulheres que, como ela, cansaram de se submeter ao liso a qualquer custo.
– Muitas têm o cabelo alisado pela mãe desde os três anos. E, quando se veem com o cabelo curto, com crespinho natural, o olho delas brilha: “Meu cabelo era bonito, e eu não sabia”.
O livro dos Cachos , de Sabrinah Giampá (Foto: Reprodução)

O livro dos Cachos , de Sabrinah Giampá (Foto: Reprodução)

Transição capilar: como fazer
Veja as dicas de Sabrinah Giampá para recuperar a forma original dos fios após períodos prolongados de químicas:
• Pode parecer básico, mas tudo começa por aqui: cancele imediatamente a escova progressiva ou tratamentos como botox ou cauterização. Não vá ao salão nem com a desculpa de que essa será a última vez.
• Adote uma rotina de cuidados saudáveis, como lavagem sem espuma, pois começará a fazer a diferença para os fios a curto prazo.
• O tempo da transição capilar varia com a coragem de cada mulher. Quem cortar o cabelo curto resolverá a questão imediatamente. Mas, se você não está preparada, mantenha cortes regulares a cada dois ou três meses, levando em conta que, por algum tempo, terá de lidar com duas texturas diferentes no cabelo.
• Procure apoio em grupos para cacheadas e crespas em transição (big chop) no Facebook. O compartilhamento de experiências entre mulheres ajuda a fortalecer sua decisão.
• Aproveite enquanto o cabelo estiver na fase intermediária para usar turbantes, lenços e bandanas. Penteados e tranças também são boas alternativas enquanto os fios não crescem.

• Evite passar a chapinha no cabelo. Ela pode tostar os fios que estão nascendo.

Leia mais:

Leia mais
Comente

Hot no Donna