Cor sem mistério: 10 mitos e verdades sobre pintar os cabelos

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Stefanie Cirne, especial

Você tem vontade de mudar o visual, mas morre de medo de tudo que já ouviu sobre tintura capilar? Fique tranquila: com alguns cuidados, você pode sim manter o cabelo saudável mesmo pintando os fios com frequência. Donna elencou 10 dúvidas sobre coloração e conversou com os dermatologistas Márcio André Volkweis, da Clínica Leger (Porto Alegre), e Ana Carina Junqueira, especialista em tricologia médica da Clínica Groenlândia 462 (SP).

Leia também:
:: H&M celebra mulheres reais na campanha outono/inverno
:: Relógio dos Simpsons, legging reversível e mais: 4 novidades de moda e beleza para ficar de olho

A tintura enfraquece os cabelos?

Sim. Em essência, as tinturas corroem a camada superficial dos fios – o que, com o tempo, deixa os cabelos mais secos, opacos e quebradiços. Quanto mais radical a mudança de cor e quanto maior o tempo de exposição ao produto, maior é o risco de fragilizar os fios. Por isso, dê uma chance aos tonalizantes e às tinturas sem amônia: se estes produtos duram menos, é justamente por serem menos agressivos.

Cabelos claros sofrem mais com a tintura?

Sim. Isso porque os cabelos loiros – seguidos dos ruivos e por último, dos fios escuros – são naturalmente mais finos e propensos a ressecar. Ou seja: a tolerância à tintura não tem a ver com a cor, mas com a “identidade” dos fios.

– A grande questão da coloração é adequar a tintura ao tipo de cabelo: analisar a espessura do fio, se o cabelo já vem sendo pintado, se tem outros tipos de química associados – explica a dermatologista Ana Carina Junqueira.

A partir deste exame, o profissional pode determinar o melhor produto e a frequência da coloração.

Foto: L'Oréal/Divulgação

Foto: L’Oréal/Divulgação

Existe uma frequência ideal para colorir os cabelos?

Não. O próprio crescimento dos fios costuma determinar a frequência da coloração. Novamente, para não ter problemas, é importante considerar o tipo de cabelo e o seu histórico de química.

– Geralmente, recomendamos aguardar pelo menos um mês até a próxima aplicação – conta Ana Carina. – Intervalos muito curtos são só para cabelos espessos, que toleram melhor a corrosão pela tinta.

Colorir com frequência pode levar à queda de cabelo?

Não. A queda se dá a partir de alterações na raiz do cabelo, e as substâncias químicas da tintura atuam na haste dos fios.

– De todos os tratamentos estéticos para o cabelo, a tintura ainda está entre os menos agressivos – diz o dermatologista Márcio André Volkweis.

O que pode ocorrer é a quebra de mechas inteiras devido ao acúmulo de procedimentos químicos (quando a tintura se soma ao alisamento ou à escova progressiva, por exemplo).

Colorir os cabelos gera mais pontas duplas?

Sim. A ponta dupla é efeito do ressecamento. Por remover a camada externa dos fios, a tintura os deixa mais vulneráveis a este incômodo. Para fortalecer os cabelos, o jeito é caprichar na hidratação.

Foto: FreeImages

Foto: FreeImages

Há uma idade certa para começar a pintar os cabelos?

Não. Já na puberdade, os fios atingiram o auge do seu desenvolvimento e maturação. Os problemas que podem decorrer da tintura são os mesmos que qualquer mulher adulta enfrenta. Os profissionais recomendam, porém, postergar ao máximo a coloração para preservar o cabelo.

Posso usar xampus normais após colorir os cabelos?

Não. Como a tintura resseca os fios, dê preferência a xampus suaves combinados a uma boa hidratação pós-banho.

– Uma dica para quando o cabelo está danificado é usar xampus infantis, que têm detergentes mais fracos – sugere Volkweis.

Além de hidratar, os xampus próprios para cabelos coloridos ajudam a segurar a tintura por mais tempo. Protetores térmicos e produtos emolientes, como os cremes sem enxágue (leave-in), blindam os fios contra o sol, o secador e outras agressões ambientais. Por fim, mantenha distância dos xampus anticaspa, antirresíduos e para cabelos oleosos, que removem a tinta mais rápido e podem deixar os fios ainda mais secos.

Foto: L'Oréal/Divulgação

Foto: L’Oréal/Divulgação

A descoloração torna os cabelos mais finos?

Sim. A descoloração altera a própria estrutura dos fios e aumenta muito as chances de quebra e dos temidos cortes químicos. O processo é tão agressivo que, para quem têm fios escuros, torna-se difícil deixá-los crescer:

– Os cabelos acabam diminuindo em volume e comprimento, e costumam não ultrapassar os 25 centímetros – diz Volkweis.

Em tempo: o combo descolorante e tintura é um veneno à saúde dos fios. Se estiver pensando em mudar radicalmente o visual, não deixe de consultar um especialista.

É comum que a tintura cause alergias?

Sim – e as tinturas com amônia são especialmente propensas a este risco. A melhor maneira de evitar transtornos é testar o produto em uma mecha e observar como o couro cabeludo reage. Ana Carina também recomenda a aplicação de óleo de argan ou mesmo azeite de oliva nos fios 20 minutos antes da tintura. Essas substâncias formam uma camada protetora entre o couro cabeludo e a tinta.

– Com uma boa lavagem, óleos leves não impregnam no cabelo – garante a dermatologista.

Gestantes podem pintar os cabelos?

Não, porque parte das substâncias químicas são absorvidas e não se sabe ao certo quais as consequências disso no organismo. Tinturas com amônia e descolorantes são proibidas para gestantes, e, em teoria, alternativas como a henna poderiam ser utilizadas com o devido acompanhamento após o primeiro trimestre da gestação. Mas os especialistas consultados alertam: é melhor pecar pela prevenção e evitar qualquer tipo de tintura neste período.

Veja também em Beleza:
:: Crespos e cacheados: confira dicas para manter os fios hidratados
:: A idade da sua pele: os tratamentos indicados para cada fase da vida
:: Loja, bar, vista surpreendente: conheça cinco salões de beleza em Porto Alegre que oferecem algo a mais

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna