Cabelos curtos são a tendência da vez

Eles garantem um visual versátil e também esbanjam feminilidade.

Laira Taisa Stock é adepta dos fios curtos desde criança
Laira Taisa Stock é adepta dos fios curtos desde criança Foto: Maiara Bersch

Elas são modernas e práticas. Elas são arrojadas e donas de si. Elas são dinâmicas e não perdem sua beleza. Elas são mulheres de cabelos curtos.

Quantas vezes você já se pegou parada em frente ao espelho analisando o visual? Será que ele pede uma repaginada, algo mais despojado? Mas cabelo comprido é tão sensual e feminino, não é?

Então saiba que é possível, sim, usar um estilo “Joãozinho” e continuar um mulherão. Conheça a história de cinco mulheres de Joinville que deixaram os longos de lado e não trocam seus curtinhos nem pelo maravilhoso cabelo da Gisele Bündchen.

Versatilidade dos fios curtos

Quando Laira Taisa Stock entra em algum lugar, dificilmente não é notada. Com um estilo todo arrojado, a empresária de 32 anos aposta no undercut, porém, com um topete mais audacioso.

? É despojado, mais moderno, tem tudo a ver com o estilo dela. Ela tem um rosto forte, porém doce ?, explica a cabeleireira Gisele Pereira, do Salão Leila & Gisele.

Laira conta que teve cabelo na cintura até os 12 anos.

? Minha mãe dizia que eu só poderia cortar quando fizesse 12 anos. Quando fiz 12, fui lá e taquei um chanelzão. Fiquei feliz da vida. Sempre gostei de algo novo.

Ela teve o cabelo acima do ombro por um tempo, até que um erro no cabeleireiro o deixou muito curto.

? A partir dali, eu comecei a usar mais curto. No início eu estranhei, mas depois passei a usufruir dos benefícios desse corte. Ele passa a fazer parte de você.

A preferência pelo curtinho não é só de Laira, mas também dos amigos e do namorado.

? Eles falam que tem tudo a ver comigo. Sou dinâmica, trabalho com formatura, sou ligada na tomada, isso faz parte de mim.

Ela recebeu até um pedido inesperado do namorado:

? Eu estava com o cabelo Chanel de novo e perguntei o que ele queria de aniversário, e ele respondeu que gostaria que eu cortasse o cabelo. Foi um grande incentivo, não tive mais medo de ousar”.

Laira alia o corte à correria do dia a dia, que pede algo mais prático. Segundo ela, uma vez arrumado, o cabelo permanece assim por bastante tempo. Porém, a cabeleireira faz um alerta:

? Depois de lavar o cabelo, é preciso passar uma pomada ou um mousse. É importante para os cortes não ficarem todos iguais, precisa ter um acabamento.

Aprenda a fazer trança embutida em cabelos curtos:

 


Com visual renovado

Imagine uma mulher de 25 anos com o cabelo comprido, crespo, sem vida, agredido pela química e que a única solução é amarrá-lo para sair de casa. Esta é a Juliana Nascimento de dez anos atrás, quando ainda não tinha se entendido com a tesoura.

Por isso, Juliana conta que decidiu, do dia para a noite, radicalizar. Foi essa decisão que aboliu de sua vida aquele cabelo que ‘não tinha beleza’, como ela própria define.

A gerente administrativa  está sempre mudando alguma coisa no corte e afirma que é possível ter várias opções de cabelo curto e que nunca um corte é igual ao outro. E não pense que seus curtinhos impedem que ela renove seu estilo a cada dia.

Como o corte é bem desfiado, ela pode usá-lo arrepiado, bagunçado ou mais clássico e certinho, tudo depende da sua vontade e tempo.

O cabeleireiro e proprietário de salão Paulo Franzoi explica que o corte dela assemelha-se um pouco ao da atriz Deborah Secco, um dos mais pedidos pelas clientes, segundo ele, mas que foi adaptado para a personalidade e estilo de Juliana.

? Ele é todo repicado e desfiado com navalha. O corte tem a ver com o cabelo dela, com o movimento natural e modernidade.

Paulo conta que além do corte de Deborah Secco, as mulheres pedem muito o corte de Isis Valverde, mas explica que cada pessoa tem o seu jeito, por isso, é preciso analisar a personalidade de cada uma e adaptar o corte, criar com base no desejo das mulheres.

? O que está em evidência hoje? O que está em evidência é o que fica bem para você.

Com base na conversa, ele passa a tesoura e a cliente sai transformada.

Veja como preparar um penteado clássico para os curtinhos:


Espelho da personalidade

A imagem que eu passo com o meu cabelo é a imagem que eu gostaria de passar? Foi em busca da resposta para esta pergunta que Camilla D’Amato, 42 anos, maquiadora, e Jack Simonéia, 43 anos, cabeleireira e proprietária de salão de beleza, chegaram ao estilo das madeixas que têm hoje.

Camilla queria passar a ideia de mulher arrojada, comunicativa, aberta para receber outras pessoas e rendeu-se ao estilo undercut, que tem a lateral raspada.

? Gosto que um lado nunca seja igual ao outro.

Ela também explica que a franja mais longa tem a ver com mistério e charme. A cantora Rihanna é um exemplo de celebridade que aderiu a esse corte.

A maquiadora, que já usou mega hair, tem o cabelo curto há quatro anos e conta que não sente nenhuma saudade do comprido.

? O curto é um cabelo que te dá mais tempo para cuidar de outras coisas, além de ser muito moderno. Lavou, secou, acabou!.

Jack sempre teve um cabelão estilo princesa, mais clássico.

? Achava que remetia à juventude.

Após fazer um curso de visagismo, que busca a resposta para a questão da imagem que cada pessoa quer passar, descobriu que seu cabelo não combinava com seu estilo.

? Eu queria passar a imagem de uma mulher moderna, que trabalha, que está em evidência com a atualidade e ao mesmo tempo jovial.

Hoje, a cabeleireira não pensa mais no seu cabelo estilo princesa e alerta todas as mulheres que a feminilidade está na atitude e não no comprimento do seu cabelo.

 

Mais praticidade no dia a dia

Geisa Simone Hille, 40 anos, é formada em administração, cursa faculdade de direito, trabalha na Justiça Federal, é casada e tem duas filhas. Com este breve perfil já é possível imaginar uma mulher que precisa de praticidade na rotina.

? Faço faculdade de manhã, tenho vinte minutos de almoço, trabalho à tarde, de noite tenho curso, tenho família. Então, o cabelo curto me deixa ficar bem sem ter aquela aparência descuidada.

Geisa tem o cabelo curto há seis anos e não pensa em deixar crescer. Ela afirma que olhando as fotos antigas se achava muito normal.

? Já ouvi muito elogio por ficar diferente, na maioria das vezes, vemos sempre o mesmo estilo. Uma mulher de cabelo curto chama atenção ?, explica.

Segundo o hairstylist Márcio Vargas, como o cabelo dela é bem fino, o repicado ajuda a deixá-lo com mais volume, e a franja mais longa dá um ar feminino ao corte. É ideal para quem tem o rosto fino. Geisa aprova o resultado e em casa nem usa escova, só secador.

? Gosto batidinho, jogadinho, nunca normal. Quando vou sair passo um mousse. Combina com meu estilo de vida, com a correria, com minha personalidade. Ele me dá força.

A mudança no cabelo de Geisa foi gradativa, do cabelão ela passou para o Chanel  e foi diminuindo aos poucos. Para a transformação, ela teve um aliado importante: o marido.

Para quem pensa que os homens gostam é de mulher de cabelos longos, o marido de Geisa está aí para provar o contrário. Ele sempre apoiou o curtinho, e mais: pede que ela corte quando o cabelo começa a crescer um pouco.

Dicas de como usar acessórios para valorizar o corte:

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna