Cosmetóloga argentina Kuky Nobel faz sucesso em Porto Alegre

Profissional atende grupo seleto a cada visita à Capital gaúcha

Kuky é mais requisitada para aplicar técnicas contra acne e envelhecimento
Kuky é mais requisitada para aplicar técnicas contra acne e envelhecimento Foto: Diego Vara

Imagina-se o prestígio da cosmetóloga Kuky Nobel pelos endereços de suas clientes no mapa. Argentina radicada em São Paulo há mais de 30 anos, ela viaja, quatro ou cinco vezes por ano, a Porto Alegre, Rio e Buenos Aires para atender grupos reduzidos que usufruem de um atendimento supervip. Já andou bem mais longe Roma, Milão, Bruxelas, Genebra e Madri , mas reduziu o ritmo intenso. Até o ano passado, ia com frequência também a Nova York, mas a crise econômica fez os americanos gastarem com mais parcimônia os dólares investidos na aparência.

Kuky Nobel esteve mais uma vez na suíte presidencial do Hotel Plaza São Rafael, na Capital, por dois dias, no final de junho. Reencontrou cerca de 25 habituées, que receberam pinceladas de fórmulas obtidas a partir de matéria-prima importada da Alemanha, quase todas manipuladas com exclusividade pela especialista.

Requisitada para aplicar técnicas contra acne e envelhecimento, além de cuidar da pele antes e depois de cirurgias plásticas, Kuky cobra R$ 360 pelo atendimento básico (remoção de impurezas e células mortas seguida de hidratação), de cerca de duas horas, mais R$ 290 pelos cremes levados para casa.

– Minhas clientes são mulheres muito ricas – descreve Kuky, 74 anos, falando mais espanhol do que português. – Parece pouco modesto falar isso, mas, ao observar um grupo, é possível dizer quem são minhas clientes apenas olhando para a pele delas: “Esta é cliente da Kuky, esta não é cliente da Kuky”.

Um kit especial, com quatro potes, incluindo filtro solar e água termal da Cordilheira dos Andres, sai por R$ 1,2 mil. Se os produtos acabarem antes que ela volte para uma nova rodada de tratamentos, pode-se encomendar por telefone, e Kuky os remete por Sedex. No amplo quarto do Plaza, as mulheres podem relaxar nos sofás entre uma etapa e outra das aplicações, além de aproveitar os salgadinhos e biscoitos que a argentina faz questão de trazer da capital paulista. Se o aniversário de alguma delas coincidir com as datas em que estiver na cidade, providenciam-se também bolo e velinhas.

– Não tenho clientes. Tenho viciadas – afirma a esteticista, que diz oferecer um “dia de dondoca” a uma faixa etária bastante ampla, dos 14 aos mais de 80.

Apresentadora da RBS TV, Cristina Ranzolin acredita que os pincéis que aplicam emulsões com ceramidas, máscaras reafirmantes e misturas nutritivas de azaleia, calêndula, agrião, soja e trigo são “mágicos”.

– É um grande segredinho para evitar uma plástica – diz a jornalista de 45 anos, cliente há 10.

Nota-se a diferença imediatamente, garantem as frequentadoras. A diferença do seu método para os demais, segundo Kuky, é que, apesar de intenso, não deixa marcas. Pode-se ir a uma festa no mesmo dia, assegura ela.

– Às vezes, me ligam: “Kuky, a máscara deixou minha pele vermelha!”, Claro, tomou vodca e depois usou o secador, aí fica vermelha – conta.

Usuária dos próprios produtos, pratica pilates, dorme pelo menos oito horas diárias e não se descuida da alimentação. Ao fazer uma autoavaliação frente ao espelho, considera-se privilegiada. Sempre recomenda que os pequenos dissabores cotidianos não ganhem dimensão exagerada.

– O que mais envelhece são o sol, a alimentação e as angústias. Tristezas atraem doenças muito sérias. O que se vê fora é o que está aqui dentro.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna