De vilão a mocinho: dicas para não errar na hora do blush

Apesar de parecer simples, é preciso alguns cuidados na hora de aplicar o blush para não acabar com qualquer make.
Essencial no nécessaire de qualquer mulher basta aplicá-lo debaixo pra cima na maçã do rosto e pronto, certo? Errado. Para que o blush cumpra seu papel e ainda turbine o visual é preciso seguir algumas técnicas e dicas, como ensina a maquiadora Renata Almeida, proprietária do Centro de Beleza e Estética La Isla e da Escola de Maquiagem que leva o seu nome.

— Cor e tipo de pele, além do efeito que se quer obter com a make devem ser avaliados para escolher o melhor produto e a forma correta de usá-lo — ensina, lembrando que o objetivo principal é dar um aspecto natural e saudável ao rosto, escondendo a feição cansada e pálida, que acomete as mulheres no dia a dia.

Seguindo estes princípios, confira as dicas para aplicar o blush sem erro:

Cor da pele

As mais clarinhas ou as orientais, que possuem uma pele mais amarelada, devem escolher entre os tons rosados e pêssego, ou até um bronzant; as morenas ficam ótimas com os tons rosa queimado e terracota; as negras devem optar pelos tons alaranjados e vinho.

— Não dá para usar um blush vinho em uma pele muito clara, fica forte, marcado e foge do propósito do blush — diz a maquiadora. Além disso, os blushs opacos são ideais para o dia, enquanto os cintilantes devem ser usados à noite, já que traz mais glamour para a produção.

:: Confira mais sobre make up:
:: 5 top dicas de maquiagem de Taís Andrade
:: Batom dos sonhos? Aluna de Harvard cria impressora 3D para fazer maquiagem em casa
:: Os truques de maquiagem de Lupita Nyong’o, a novata estrela de Hollywood

Formato do rosto

Ao contrário do que muita gente propõe, o blush não deve ser usado para disfarçar o formato de um rosto.
— Isto é feito com luz e sombra, usando base em tom marrom ou sombra, mas não é uma técnica tão simples porque cada rosto tem um local certo para correção — afirma Renata.

Entretanto, uma boa maneira de não errar é usar a técnica de aplicar o blush em um ângulo de 45 graus, um pouco abaixo da maça do rosto em direção até quase a pontinha da orelha.

Tipos de blush versus tipos de pele

Quem não tem a sorte de ter uma pele considerada normal e sofre ou com o excesso de oleosidade ou com o ressecamento, também precisa prestar atenção no tipo de blush que escolhe.

— Os blushes em formato stick são ideias para peles mistas ou oleosas, pois possuem uma textura mais seca, já os em creme são perfeitos para as peles secas. Os líquidos e compactos podem ser usados em todos os tipos de pele, assim como o mineral que ainda tem a vantagem de ser hipoalergênico, porém é preciso um pouco de cuidado, já que ele é em pó e puxa muito no pincel, o que, para quem não tem prática, pode deixar a cor muito carregada no rosto — orienta Renata Almeida.

Leia mais
Comente

Hot no Donna