Depilação para sempre: cansada de remover pelinhos todo mês no salão? Tire suas dúvidas sobre tratamentos definitivos

Fotos: Anderson Fetter
Fotos: Anderson Fetter

Pelos não combinam com verão. Você quer mostrar o corpo e, justo naquele dia quente, está com a depilação atrasada. Pois resolver esta questão começa justamente agora no inverno. Esta é a época ideal para investir em procedimentos de remoção definitiva dos pelos que a incomodam. O motivo é fácil de entender: longe do sol, a pele não está bronzeada, o que possibilita maior eficácia no tratamento – e um menor número de sessões.

– Quanto mais clara a pele estiver e mais escuro for o pelo, mais fácil fica este procedimento – explica a dermatologista Carolina Garcia Feijó. – Você pode até fazer uma sessão e pegar sol. O problema é ir para a depilação, pois a pele estará mais escura do que o tom natural.

:: 7 dicas para ter uma pele bonita no inverno
:: Nada de lábios rachados: cuidados para adotar no inverno
:: Aproveite o inverno para fazer tratamentos de beleza

A depilação definitiva é feita basicamente de duas formas: luz pulsada ou laser, sendo que este último tem diferentes variedades (diodo, Alexandrite, Ruby etc). Ambos vão atuar com o mesmo objetivo: queimar o pelo sem queimar a pele.

– Além de a mulher não ter que se preocupar com métodos depilatórios, é indicado também para quem tem foliculite, a inflamação dos pelos. Ocorre mais frequentemente na região da virilha, mas também na parte posterior das pernas – diz a dermatologista Márcia Donadussi.

O número de sessões varia caso a caso devido ao ciclo de crescimento dos fios. Os pelos têm três fases: crescimento, repouso e queda. O aparelho atua na primeira etapa, atingindo o bulbo do pelo, que não voltará a crescer ou, caso cresça, será em menos quantidade e bem mais fraco ou fino do que era antes.

– Abençoado seja o Rox Anderson, inventor desses aparelhos – diverte-se Márcia.

Foto: Anderson Fetter / Agência RBS

Foto: Anderson Fetter / Agência RBS

PERGUNTAS & RESPOSTAS

Com a palavra, as dermatologistas Carolina Garcia Feijó e Márcia Donadussi:

1. O que devo saber antes de começar?

O ideal é que a pele não esteja bronzeada, ou seja, com o tom o mais próximo do natural. Não é indicado depilar com cera ou pinça até 30 dias antes da primeira aplicação do laser ou da luz pulsada.

2. Quantas sessões até eliminar os pelos?

Depende de cada tipo de pele, mas, em geral, a média é de cinco sessões. O mais comum é que sejam necessárias até 10 sessões no total. Isso porque os pelos crescem em ritmos diferentes, ou seja, a cada novo ciclo o laser irá atingir 20% daqueles pelos que estão em fase de crescimento (fase inicial). Então, na sessão do mês seguinte, outros 20% serão eliminados e assim por diante.

:: Técnica de depilação com linha é opção para remover pelos de áreas sensíveis
:: Depilar com lâmina engrossa os pelos? 8 mitos e verdades sobre depilação

3. Quais os cuidados durante o tratamento?

• Não é indicado tomar sol entre uma sessão e outra.

• Usar sempre protetor solar nas áreas depiladas quando sair para a rua.

• Não usar métodos que arranquem o pelo pela raiz. Pode-se usar gilete ou creme depilatório em emergências.

• Usar roupas mais largas ao sair da sessão (peças justas podem comprimir o local, caso tenha sido nas pernas ou na virilha).

• As especialistas prescrevem cremes com anti-inflamatório para uso após o procedimento.

4. Em que partes do corpo posso fazer?

Qualquer lugar com pelos. Os mais comuns são nas axilas, nas pernas e na virilha (esta pode ser só no contorno ou também na área íntima). Em partes onde os pelos são muito clarinhos (como lanugem no rosto) pode ser mais difícil de remover, mas não é impossível, já que a energia do laser irá focar no pigmento (quanto mais escuro o pelo, maior sucesso no procedimento).

5. Funciona também para peles negras?

A luz pulsada (fotodepilação) não é a mais indicada para peles negras, pois pode atingir pigmentos ao redor do pelo. Já nos aparelhos de laser, há variedades recomendadas como o Alexandrite ou o Ruby, por exemplo. A frequência de ambos é ajustada para cada caso. O Alexandrite, aliás, é o mesmo tipo de laser usado para remoção de tatuagens, de lesões vasculares ou de maquiagem definitiva.

6. Dói muito?

A sensibilidade à dor varia de pessoa para pessoa e também conforme a área escolhida. Considere o seguinte:

• As primeiras sessões do tratamento doem mais do que as finais.

• Há aparelhos com ponteiras resfriadas (como a de cristal, quando entra em contato com a pele). Isso torna o procedimento menos doloroso no “calor” do pontinho em que o pelo foi “queimado”.

• O tipo de ponteira do laser também interfere na dor: dependerá se a ponteira do aparelho for maior (para pegar mais pelos de uma área de uma única vez) ou se mira pelinho por pelinho.

• Na luz pulsada, o sistema de refrigeração do equipamento proporciona um efeito anestésico, que ameniza a sensação de desconforto.

7. Como saber se o aparelho é bom?

Procure o registro da marca na Anvisa e exija a aplicação supervisionada ou avalizada por um responsável médico. É preciso passar por uma avaliação antes de decidir qual o método recomendado para seu caso.

8. Quanto custa?

Depende do tipo de aparelho e da clínica. Em geral, os estabelecimentos oferecem pacotes para um mínimo de sessões indicadas. Uma sessão de depilação com o aparelho Light Sheer para axila, por exemplo, pode custar a partir de R$ 150.

Leia também
:: Cuidados com saúde e beleza aumentam à medida que as mulheres envelhecem, diz pesquisa
:: 10 produtos multifuncionais para cuidar do rosto, do corpo e dos cabelos ao mesmo tempo

grupodabelezadonna

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna