Pele, cabelo e exercícios: os segredos de beleza de Drew Barrymore

Por Bee Shapiro, do The New York Times

Drew Barrymore, 41 anos, foi estrela de cinema a vida toda. De uns tempos para cá, porém, anda se aventurando em outros campos: lançou uma linha de maquiagem, a Flower, e um vinho que leva seu nome com Carmel Road. Agora volta a inovar interpretando um zumbi na comédia de humor negro da Netflix, “Santa Clarita Diet“. Quando não está comendo carne humana na telinha, é bem provável que esteja em busca das novidades em produtos de beleza na vida real. Da “retirada de craca” anual à obsessão com a cor do cabelo, Drew conta tudo.

Cuidado com a pele

Sou daquelas que lava o rosto por compulsão. Para mim, tem que ser três vezes por dia, de manhã, à tarde e à noite, no mínimo. Gosto de espuma de limpeza bem suave, tipo de bebê. Se estou na correria, uso Cetaphil ou uma espuma da Christine Chin. Aí tenho que passar um tonificador de qualquer jeito; se não fizer isso, fico cheia de espinhas. Uso o gel para limpeza de acne da Clinique ou o da Christine Chin. Ou Sea Breeze. Não importa, tenho que tonificar.

Conforme você envelhece, surgem as melasmas, vêm os filhos, aparecem os danos causados pelo sol. Gosto de misturar meu hidratante com um serum clareador da Christine Chin. Estou obcecada pela linha dela; é a única coisa em que esbanjo mesmo. Não tenho tempo para fazer limpeza de pele e, por isso, não a vejo há anos, mas a cada dois meses compro os produtos.

Gosto do creme da Kate Somerville para dar um jeito nos círculos escuros embaixo dos olhos.

Com certeza capricho na hidratação. E o grande diferencial aqui são, sem dúvida, os produtos coreanos porque eles dão uma hidratação incrível sem deixar a pele oleosa. Já usei produto de todo tipo, caro e baratinho, e todos me enchem de espinhas. As máscaras coreanas mudaram minha vida, mas a que eu amo de paixão é a Baby Pure Shining Mask, da JayJun. Quando tiro, parece que acabei de sair da esteticista.

Foto: Pexels, reprodução

Foto: Pexels, reprodução

Até protetor solar me empipoca. Só tem dois que não fazem isso: o novo da La Roche-Posay, chamado Clear Skin Dry Touch, e um pó com FPS da Colorescience. Às vezes uso o Dry Touch e espalho o pó por cima.

Maquiagem

Eu diria que durante uns 90 por cento da minha vida uso zero maquiagem, mas quase nunca saio de casa sem a base Skincognito Stick Foundation da Flower, porque ela cobre tudo, azul, vermelho, marrom, roxo. E também não sei viver sem Aquaphor para os lábios. Tenho certeza de que estou viciada, parece que preciso dele cada vez mais.

pexels-photo-212236

Foto: Pexels, reprodução

Geralmente escolho uma cor e fico com ela durante um mês. No momento, estou fascinada com a Sand Bar, uma cor matte que vem em um tubo, parece pasta de dente. Uso nos lábios e nas bochechas e, se sobrar um restinho no dedo, vai nas pálpebras. Dá um ar de pôr do sol, meio rosado, aos olhos.

Pode ser também um dos tons de sombra da Flower. Gosto muito de berinjela porque deixa meus olhos mais verdes. Acho legal também puxar o que tiver na pálpebra para baixo, para deixar um círculo meio coeso. Vivo mexendo com a sobrancelha. Não sou boa com o lápis de desenho, sempre exagero. Aí fico parecendo o Spock. Por isso, prefiro apelar para o nosso Brow Master, que vem com um aplicador. Superfácil de usar.

Geralmente tenho preguiça de usar rímel, mas o Zoom-In é um dos meus favoritos porque é bem gosmento. Eu chamo de “cílios de tapete”, tipo tapete mesmo, com franja. Pena que o nome não pegou.

Foto: Pexels, reprodução

Foto: Pexels, reprodução

Cabelo

Eu conto com Tracey Cunningham para cuidar da minha cor, que já uso há uns vinte anos. Tenho TOC com o meu cabelo e ela consegue me aguentar. Gosto muito do ombré leve, tipo uma base escura e uma quantidade ideal de mechas mais claras e escuras. Chamamos de “cabelo de criança na praia”. Parece despojado, fácil, natural, mas a gente tem que fazer quase que fio por fio. A Tracey tem paciência de santa.

Foto: Pexels, reprodução

Foto: Pexels, reprodução

A minha máscara favorita é a de manteiga de karité da J.F. Lazartigue. Aplico um monte, faço trança e vou dormir e só bem depois de levantar, no dia seguinte, tomo banho. Recupera totalmente a elasticidade dos folículos. Também gosto da Kérastase, uma linha ótima que dá para encontrar em qualquer lugar. Acabei de comprar o condicionador da Philip B Oud Royal. Parece tinta dourada saindo do tubo!

Shampoo, adoro o Living Proof Restore. É o único que dá certo no meu cabelo. Já tentei outras fórmulas, mas não tem jeito.

Perfume

Sou uma hippie irremediável. Adoro patchouli, tipo puro, sem nada. Lembra Venice Beach, 1982. Gosto muito de cedro também. Aliás, adoro os tons amadeirados, sândalo, Nag Champa.

Foto: Pexels, reprodução

Foto: Pexels, reprodução

O que mais?

Uma vez por ano vou ao Dr. Roy Geronemus para uma “remoção de craca”. Sério, ele esfrega o meu rosto como se fosse o deque de um navio. Faço um tratamento a laser Clear & Brilliant em outubro. Depois do verão, parece que minha cara está toda suja, por causa da melasma. Depois que tive filhos, piorou muito. Posso passar quanto for de filtro, chapéu o tempo todo, acabo sempre com um monte de mancha. Ele sabe que não faço nada além do laser, então nem se dá ao trabalho de perguntar. Mas sugeriu uns preenchimentos da última vez que estive lá. E eu respondi: “Não vai rolar, Dr. G! Voltamos a falar sobre isso daqui a uns dez anos.” Só vou fazer mexer no rosto quando estiver tão ruim que, tipo, não tenho nada a perder.

Dieta e exercícios

Eu frequento a AKT. Trabalho com a Becky. O nosso mantra é o seguinte: “Vamos fazer tudo!”. Ela basicamente faz o circuito comigo, durante uma hora, até eu ter a impressão de estar morrendo. Nunca fui a maior especialista em exercícios do mundo, mas agora que sou mãe e já cheguei aos 40, são eles que me ajudam a não enlouquecer. Depois de dois bebês e o efeito sanfona, fiquei bem deprimida durante um tempo. De repente, parecia que não conseguia mais dar conta do meu peso.

Foto: Pexels, reprodução

Foto: Pexels, reprodução

A Califórnia é a central das dietas; tudo é limpo e natural. Eu peno em Manhattan. Desde que inventaram o Postmates, a vida nunca mais foi a mesma. Vicia! Queria que tivesse um equivalente ao bafômetro, sabe como é? Se meu peso estiver no limite “x”, posso pedir pelo Postmates; se não, nada feito. Esse aplicativo sabotou minha vida, com certeza.

Leia mais
:: O poder do vermelho: conheça os 10 batons mais vendidos do mundo
:: 10 cuidados para ter com os pés no verão 
:: Pelo encravado, depilação definitiva, varizes: 5 soluções para a saúde e a beleza das pernas 

As últimas do Donna
Comente

Hot no Donna