Pele ressecada é um problema comum e a solução é velha conhecida

Sobretudo nos dias de muito frio, o ideal é abusar do hidratante

Foto: Jean Pierre Kruze

Maquiagem e cabelos impecáveis, unhas milimetricamente feitas e uma coleção de anéis a ornar os dedos, a atriz Mariana Ximenes exibia uma beleza de perfeição na manhã de clima seco de São Paulo. Contratada para ser a mestre de cerimônia do evento que marcou a repaginação da linha de hidratantes Vasenol no Brasil, Mariana, como todas as mulheres presentes, submeteu-se a um pequeno teste assim que chegou. Um aparelhinho encostado ao seu pulso mediu o nível de hidratação da pele da atriz. O resultado: 32,6% de hidratação. Mesmo ela, com o aspecto de pele super saudável, tinha ressecamento.

Segundo a dermatologista Luciane Scattone, uma pele que apresenta índice de hidratação de até 45% é considerada ressecada. Alívio para as simples mortais que esquecem de passar o hidratante depois do banho.

Pesquisa realizada pela Unilever antes do lançamento da nova linha Vasenol mostra que 50% das brasileiras acredita ter a pele normal e somente 30% admitem serem vítimas do ressecamento. No consultório dermatológico, no entanto, mais de 50% dos pacientes reclamam de problemas cutâneos ligados ao ressecamento, de acordo com Luciane. Quando se trata de pessoas mais velhas, o percentual aumenta. A idade diminui a capacidade do corpo de reter água e gorduras.

A mesma pesquisa revela que os brasileiros consomem, em média, um litro de hidratante por ano. Achou muito? Pois saiba que isso representa menos de três mililitros por dia, praticamente uma colher de chá. Quantidade obviamente insuficiente para atender a extensão do corpo. Para se ter ideia, no México se consome dois litros anuais.

Como consequência imediata, o ressecamento provoca o enfraquecimento da pele e a diminuição na sua capacidade de regeneração. O problema pode causar ainda moléstias mais sérias como escamação, coceira e doenças como psoríase. E mais: mesmo peles normais podem apresentar episódios de ressecamento intenso. Os dias frios do inverno são os que mais provocam pele seca. Se à baixa temperatura ambiente forem adicionados os deliciosos banhos quentes, aí não há umidade natural que reste.

A solução? Todo mundo já pode adivinhar. Hidratante, hidratante e mais hidratante. Simples para quem tem pele normal, de poder umectante intenso para quem está sofrendo com o ressecamento.

Ao final das entrevistas, Mariana Ximenes passou um pouco de creme na área do pulso e antebraço. Massageou para absorver e, em seguida, foi submetida a mais um teste de hidratação. Alcançou incríveis 92% de umidade na pele. Vendo isso, criei coragem. Ao chegar ao evento, meu teste havia revelado uma pele praticamente desértica.

O banho quente e apressado mais o clima seco da capital paulista haviam legado uma hidratação de 29,9%. Ao final da aplicação de hidratante, confortáveis 57,7%. Como se vê, hidratar a pele também funciona para as mortais.

Tabela de hidratação

– Até 35% – ressecada
– 35% a 45% – nornal
– acima de 45% – excelente hidratação

As últimas do Donna
Comente

Hot no Donna