Perucas bem cuidadas caem cada vez mais no gosto das mulheres

"Elas se tornam de tão boa qualidade que você pode ficar a um passo de alguém usando peruca e não notará", diz cabeleireiro

Abby Haliti, colorista do Julien Farel Salon, em Nova York, trabalha na customização de perucas
Abby Haliti, colorista do Julien Farel Salon, em Nova York, trabalha na customização de perucas Foto: Hiroko Masuike

Foi o melhor dia da minha vida em termos de cabelo, e eu estava aproveitando, balançando a cabeça como uma modelo, fazendo cachos com os dedos, me admirando nas vitrines das lojas.

Meu marido me recebeu dizendo:

? Jennifer!! ? referindo-se à atriz Jennifer Aniston.

Meu filho adolescente murmurou:

? Está um pouco sexy, não?

Eu gostei da atenção. Postei uma foto minha no Facebook. Depois, tirei o cabelo, coloquei em uma caixa e fui dormir. Estava usando uma peruca customizada, cortada e estilizada apenas para mim, com uma cor castanho-mel com um acobreado sutil. Meu próprio cabelo, bom e de comprimento médio, está em perfeitas condições de uso. Mas a peruca, cortada em camadas que realçam meu rosto caídas sobre meus ombros, seria o cabelo ideal.

Ao experimentá-la, eu me juntei a uma irmandade extraoficial de mulheres glamourosas que trocam de perucas como se elas fossem vestidos.

“Todo mundo usa peruca” é uma afirmação muito forte, mas cada vez mais mulheres têm recorrido a elas. Celebridades como Christina Aguilera, Katy Perry e Lady Gaga conseguem seus visuais multicoloridos e esculturais com perucas, e Kim Kardashian já experimentou usar a versão platinada ou a vermelha ? essas são apenas as celebridades que admitem usá-las.

Não tão publicamente, Britney Spears pareceu estar usando uma peruca, ou uma meia peruca, quando apresentou seu novo visual na noite do Oscar (a assessora dela não comentou). Socialites, modelos e mulheres comuns usam perucas às escondidas, não para disfarçar cabelos ralos ou muito finos, mas sim pela moda ou pela conveniência.

? Não se trata necessariamente de cabelos ruins. É mais pelo tempo ? diz Peter Gray, cabeleireiro comercial e editor do New York Times, que passou uma tarde customizando minha peruca.

Perucas de cabelo humano (o que há de melhor no mundo das perucas) fazem parte da cartola mágica que Gray leva para sessões de fotos e desfiles de moda. Elas mudam o look em um segundo, sem compromissos e sem danificar o cabelo. Podem ser lavadas e penteadas com produtos do dia a dia e podem receber alongamentos.

? Elas se tornaram de tão boa qualidade que você pode ficar a um passo de alguém usando uma peruca e você não notará ? avalia.

Essas qualidades vêm com um preço alto. O modelo que eu experimentei (realmente chamado Jennifer), da Jon Renau, uma empresa em Vista, Califórnia, é vendido por US$ 1,3 mil. Perucas customizadas a partir do zero podem chegar a custar mais de US$ 10 mil.


No salão de beleza, os mesmos cuidados dedicados às clientes são oferecidos aos tratamentos das perucas
Foto: Hiroko Masuike/NYT

Cerca de uma cabeça e meia de cabelo, provavelmente da Índia, Ásia ou Europa, é usada em uma peruca decente, explica Gray. Os cabelos de melhor qualidade vêm do que é chamado Remy: fios de cabelo que foram mantidos na mesma direção depois de terem sido cortados, ao invés de serem jogados de qualquer jeito em um saco. Nas perucas mais caras, cada fio de cabelo é cuidadosamente amarrado à mão em uma touca translúcida de tule, o que faz com que as perucas possam ser dividas para qualquer lado.

Os gastos não param com a compra da peruca. Diferentemente das versões sintéticas, os modelos de cabelo humano chegam sem corte para serem customizadas por um cabeleireiro, primeiro em um porta peruca, depois na cabeça da cliente.

? É como desenhar um vestido. Você o ajusta no corpo – compara Frank Galasso, cabeleireiro de Los Angeles. ? Você precisa ter muito cuidado para não estragar. Às vezes, eu faço quatro ou cinco cortes, até acertar.

Depois disso, é preciso manter o corte. No salão Julien Farel em Nova York, o cabeleireiro Andre Davis corta, colore e mantém, em média, de quatro a cinco perucas por semana.

? As pessoas as deixam aqui, ou as trazem quando vêm para fazer seus próprios cabelos ? conta.

O cabelo da empresária de 45 anos Christine Young não é nem tão loiro e nem tão volumoso como ela gostaria. Christine diz gastar entre US$ 8 mil e US$ 10 mil por ano em manutenção de perucas ? uma indulgência, admite ela, mas que vale a pena. A peruca serve de garantia para o caso de Young não ter tempo de arrumar o cabelo depois da academia ou estar sem tempo para colorir os fios. Seu namorado sabe da peruca e acha ótimo, segundo ela.

? Não tento enganá-lo. Que vantagem eu teria?

Para alguns viciados em perucas, porém, ser sincero pode produzir um efeito negativo. Kim Zolciak, de 34 anos, nunca manteve segredo sobre usar perucas.

? Sempre foi de conhecimento geral no programa ? diz a ex-participante de um reality show.

Zolciak tem cerca de 60 perucas de vários tamanhos, texturas e tons de loiro. Ela as chama de Demi, Farrah e assim por diante ? referindo-se ao visual das atrizes Demi Moore e Farrah Fawcett. Está até trabalhando em sua própria linha de perucas mistas de cabelo humano e sintético, que ela espera colocar à venda na faixa dos US$ 400 ainda este ano.


A nova-iorquina Christine Young gasta até R$ 10 mil por ano na manutenção de perucas
Foto: Hiroko Masuike/NYT

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna