Plástica: obsessão pela “perfeição” das celebridades atormenta mulheres comuns

Papel do médico é agir como uma espécie de moderador de desejos dos pacientes

Para o organismo se acostumar à nova rotina alimentar, ele pode, sim, passar por um período em que pareça que o regime não funciona
Para o organismo se acostumar à nova rotina alimentar, ele pode, sim, passar por um período em que pareça que o regime não funciona Foto: Jefferson Botega

Melhorar a autoestima ou obsessão pela perfeição ? A busca pelo padrão de beleza ideal ? ou seja, aquela estampada nas revistas e nas telas da TV ? está cada vez mais frenética. Muito além dos implantes de silicone, rinoplastia e outros tratamentos estéticos, intervenções mais exóticas chegam a fazer “implantes” de covinha e encurtamento de dedo do pé.

As celebridades “mais inspiradoras” são a modelo Gisele Bündchen e o ator Mark Wahlberg, de acordo com a pesquisa America’s Body Annual Most Wanted.

Segundo um estudo feito pelo The Royal College of Midwives (Escola Real de Parteiras) e pelo site Netmums, na Inglaterra, com mais de seis mil mães, cerca de 60% das mulheres se sentem pressionadas quando vêem mães famosas “super magras”, poucos dias depois do parto. A top brasileira faz parte da lista das mulheres que secaram pouco tempo depois de serem mães.

No mundo real

O desejo de transformar-se em outra pessoa é quase uma ‘epidemia’ nos Estados Unidos. Confome o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada, a situação no Brasil não é muito diferente.

? Uma análise mais profunda dos atributos das outras famosas citadas na pesquisa americana, Jennifer Aniston, Penélope Cruz, Scarlett Johansson, dentre outras, nos faz, criar um padrão de beleza absolutamente estreito, previsível, escravizante, impossível de ser atingido por muitas mulheres.

Como a plástica é o único tipo de cirurgia solicitada pelo próprio paciente, o papel do médico é agir como uma espécie de moderador. Entre a foto da celebridade e o centro cirúrgico, está o cirurgião plástico. Ele tem a responsabilidade de realizar apenas os desejos possíveis e o de orientar o paciente a tomar a decisão mais acertada.

Imperativo da beleza

O público jovem é o mais afetado pela obsessão pelo modelo de beleza. A psicóloga da Universidade Harvard Nancy Etcoff, autora do livro A lei do mais belo, afirma que esta “necessidade” começa muito cedo. Crianças e adolescentes, atualmente, estão mais preocupados com a aparência do que em qualquer outro período da história. Os americanos cunharam a expressão “geração diva” para definir os jovens e os adolescentes tomados pelo ideal da perfeição física.

Apesar do imperativo da beleza atingir todos os grupos sociais, cada um gasta o que pode. Uma pesquisa encomendada pela Associação Cristã de Moços, nos Estados Unidos, descobriu que jovens obres estão gastando um dinheiro desproporcional em produtos e tratamentos de beleza.

No Brasil, os adolescentes também sofrem muito com a aparência e a imagem que fazem de si mesmos por causa da diversidade e das misturas raciais, que produzem biotipos diferentes do padrão europeu, muito valorizado por eles.

Intervenções não recomendáveis:

::: A covinha de “X” ou “Y” – em geral, os cirurgiões plásticos não aceitam ir para o centro cirúrgico só para fazer covinhas, mas elas podem fazer parte de uma ritidoplastia.

? O cirurgião tem que criar uma depressão na bochecha e dar um ponto para segurar a pele. É preciso saber que enquanto as covinhas naturais só aparecem quando a pessoa sorri, as criadas pelo cirurgião plástico ficam ali o tempo todo.

::: Cirurgia para transformar a barriga num “tanquinho”

? Não existe nenhum cirurgia para deixar os músculos da barriga marcados, simulando os resultados de anos de abdominais. Explicamos sempre aos pacientes que procuram este tipo de ‘procedimento mágico’ que o recomendável é fazer uma lipoaspiração normal e, depois, tentar malhar para conquistar ‘o tanquinho’.

::: Lipoaspiração nos tornozelos – o procedimento existe, mas não funciona.

? O cankle (tornozelo gordo) está presente quando o diâmetro inferior da perna e o do tornozelo se aproximam do diâmetro da parte superior da perna, o que dá ao conjunto uma aparência desproporcional. Em geral, este desenho do corpo é geneticamente pré-determinado, mas o problema se agrava com o ganho de peso. Esta região do corpo, por se tratar da extremidade inferior, costuma acumular mais líquido do que gordura. As mulheres, especialmente as obesas e aquelas que sofrem de problemas vasculares como varizes, têm maior tendência a estes acúmulos devido à ação de seus hormônios. Portanto, uma intervenção cirúrgica nesta região pode, por conta do traumatismo causado, piorar ainda mais a situação.

::: Seios mais belos, injetando ácido hialurônico ? talvez, este seja um dos tratamentos mais “revolucionários” que chegaram ao mercado recentemente, não só para aumento dos seios, mas para o aumento de bumbum e panturrilhas: a injeção de ácido hialurônico.

? O produto já era usado em larga escala para tratamento de rugas e outros tipos de depressões da pele. O ácido é um polímero absorvível, mas, na década de 2000, foram criados diferentes polímeros, indicados para o tratamento de depressões maiores e sequelas mais profundas.

Infelizmente, algumas pessoas passaram a usar esta nova composição do ácido também para o aumento dos seios, o que não é um procedimento seguro. Por ser relativamente nova, a técnica precisa passar por estudos científicos que irão avaliar se ela pode ou não ser usada neste tipo de procedimento, sem colocar em risco a saúde do paciente.

Leia mais
Comente

Hot no Donna