Como resistir às compras por impulso

Confessions of a Shopaholic - Divulgação
Confessions of a Shopaholic - Divulgação

Para não comprar besteira no supermercado, nunca vá fazer compras com fome. Já ouviu essa frase? É uma verdade que já foi tantas vezes repetida que já virou um clichê. E eu a repito aqui para chamar atenção para a relação entre emoção e decisão. Essa relação não fica restrita ao universo das finanças.

No amor é a mesma situação. No livro O Segredo das Mulheres Apaixonantes, o consultor de relacionamentos Eduardo Nunes escreve:

“Antes de ir para a balada, real ou virtual, masturbe-se de duas formas: sexual e afetivamente. Este alerta vale, principalmente, para as mulheres ansiosas”, escreve o coaching, que deu entrevista para Marília Gabriela, em vídeo que chegou a 100 mil visualizações.

A lógica que vale para o amor vale também para evitar compras por impulso. Se você não quer comprar o que não precisa, coma antes de ir ao supermercado. Se não quer atrair homens mal-intencionados, fortaleça-se afetivamente antes de ir para a balada. Se você não quer comprar por impulso, evite centros de compra quando estiver mais sensível (seja pelo motivo que for). A tendência é que você queira compensar uma emoção com uma compra, muitas vezes de algo que você não precisa. Nem sempre a emoção é de tristeza, viu? A euforia também nos leva a querer celebrar com novos presentinhos.

Para evitar compras por impulso, veja algumas dicas:

– Anote numa folha todos os itens que você deseja comprar nos próximos meses.

– Guarde o papel na carteira e quando a abrir para tirar o cartão na compra por impulso, veja se ele está na listinha. Se não estiver, repense mais uma vez. Se estiver, avalie se o momento é adequado.

– Faça as perguntas certas: eu preciso disso agora? Quantas vezes eu vou usar? Posso esperar ir para a casa e voltar outra hora para comprar?

– Vá dar uma volta. Espere a euforia do momento passar, caminhe e só volte depois de um tempo que pode ser 30 minutos, uma tarde ou até uma semana. A vontade de comprar tende a ficar menor.

– Anote a emoção que está sentindo no momento. Pode ser no bloco de notas do celular, mesmo! Estou feliz por isso vou comprar uma blusa? Estou triste por isso vou me dar esse batom? Quando você anotar suas emoções pode ter a grande sacada do que está impulsionando aquele comportamento.

– Tenha uma grande meta sempre em mente. Seja quitar as dívidas, viajar, estudar ou conhecer um lugar diferente. A blusinha a mais do mês pode deixar a realização do passeio divertido mais distante.

Repense as compras online: é fácil, rápido e cômodo. No mínimo, soa como algo convidativo para comprar impulsivamente. Mantenha sua lista de necessidades à vista, colada com um post it na tela, e se não estiver ali não vale comprar. Outra dica é fugir do momento x, aquele que você vira a maior compradora em minutos. Feche o computador e vá fazer outra atividade. Distrair sua atenção pode evitar um desastre maior.

Outra dica é lembrar o que diz o teórico de finanças comportamentais, Daniel Kanheman, prêmio Nobel de economia, quando fala sobre o modo como decidimos nossos investimentos:

“Quando tomamos uma decisão, enxergamos apenas o que queremos, ignoramos possibilidades e minimizamos riscos que enfraquecem nossas esperanças. O pior é que muitas vezes somos confiantes mesmo quando estamos errados”.

Leia também
:: Você já pensou em trocar de emprego hoje? Faça o teste e veja se você quer mesmo
:: Como fazer do cartão de crédito um aliado para organizar sua vida financeira

As últimas do Donna
Comente

Hot no Donna