Dinheiro na carteira! 10 dicas práticas para economizar no dia a dia

Fotos: Pexels.com, Divulgação
Fotos: Pexels.com, Divulgação

Economizar nas finanças pessoais é uma tarefa que exige disciplina e para a qual todo mundo tem um palpite diferente, muitos deles furados ou inadequados conforme os hábitos de cada pessoa. No que se assemelha a uma outra empreitada bem familiar para muita gente.

— Cortar gastos, em muitos sentidos, é como fazer dieta. E, como na dieta, a pior tática é pensar no assunto o tempo todo e passar fome o tempo inteiro — compara Carolina Ruhman Sandler, coautora do livro Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos e CEO de um portal de mesmo nome dedicado à educação financeira para mulheres.

Veja mais
Meu porquinho: aplicativo te ajuda a controlar as finanças
Investimento também é assunto de mulher: 4 dicas para começar já
Aprenda a economizar em cinco passos e evite uma crise financeira
:: Finanças no feminino: mitos e verdades sobre como as mulheres lidam com dinheiro

Donna conversou com a equipe do Finanças Femininas para elaborar uma lista de 10 dicas práticas para economizar no dia a dia. Compre um café para ler (sem culpa, não se preocupe) e aprenda:

1. Pente-fino nos extratos

Muito se diz que, para economizar, há de se cortar os supérfluos. Mas cortar pequenos hábitos gostosos, como um café à tarde com os colegas de firma, são pequenas frustrações diárias que só ajudam a desistir mais rápido de empreitada. Portanto, vale olhar primeiro para os gastos invisíveis. Tire um extrato de três meses e observe com atenção: esse é o pacote de celular ideal para você? Quanto custam os serviços do seu banco? Você tem ido neste clube?24 Você usa a conta premium deste aplicativo? Você tem tempo para esses canais todos de TV? Revise de uma vez todas as mensalidades, surgirão gastos muito maiores e mais supérfluos do que o seu cafezinho diário.

2. Saiba o que comprar antes

Todo mundo sabe que não dá para ir ao supermercado com fome, mas você pode fazer melhor do que isso. Antes de ir ao super, elabore o cardápio da semana. Isso ajuda você a não comprar mais comida do que o suficiente para as refeições. Além de evitar compras supérfluas, você também evita que alimentos perecíveis estraguem na sua geladeira, o que é dinheiro jogado no lixo. Seguindo a mesma lógica, nunca vá às compras em um shopping sem saber, de antemão, o que vai comprar e quanto tem a intenção de gastar.

numbers-money-calculating-calculation-large

3. Seja criativa no troca-troca

Ainda no supermercado, tente novas marcas, substitua ingredientes caros por outros mais em conta, garimpe pelas gôndolas menos à vista, onde os supermercados costumam esconder produtos de marcas menos conhecidas. Fora dele, tente agir da mesma forma. Se você gosta mesmo é de uma aula de pilates da academia e da esteira, talvez valha a pena pagar apenas por ela em outro lugar e caminhar no parque. No restaurante, se pergunte se a fome é maior do que a entrada ou a salada, mais em conta do que os pratos principais.

4. Crie uma prestação imaginária

Os números azuis das finanças saudáveis são: destinar 50% do salário para gastos fixos (aluguel, mensalidades, financiamentos, faturas…), 20% para gastos supérfluos (restaurantes, baladas, cinema, mimos…), 10% para gastos emergenciais e economizar os 20% restantes. Mas é bem difícil visualizar esse último percentual na conta e não gastar. Uma boa estratégia para começar a poupar esse dinheiro é olhar para as suas prestações mais longas e decidir qual delas você vai continuar “pagando” mesmo depois que ela esteja quitada. Então segmente sua conta bancária e mantenha esse débito indolor com o qual você está acostumado.

5. Via de regra, evite parcelas 

A melhor forma de se enrolar com as finanças é perder as contas de quantas prestações você paga simultaneamente. Por mais que o débito em conta assuste mais com desnível imediato no saldo bancário, é mais fácil se policiar comprando sempre à vista. Além de ser mais fácil de se organizar, poupar para comprar à vista tem vantagens adicionais: enquanto você namora um produto e economiza para comprá-lo, o impulso pode desaparecer, podem surgir alternativas semelhantes mais em conta ou o próprio produto pode entrar em promoção.

6. Se programe para o “não”

Assim como as dietas, muitos períodos de contenção de gastos vão para o beleléu no primeiro convite dos amigos para algo mais interessante. Uma tática é se programar para não ter programação. Se você combinou com você mesma que não gastará em um final de semana, programe uma maratona de seriado, mergulhe em um livro grosso ou separe os ingredientes para uma jantinha… Enfim, tente tornar a sua não-saída em um programa econômico, mas efetivamente divertido. Assim, fica mais fácil dizer não quando o telefone tocar.

cartaocredito

7. Conquiste aliados

Seus amigos, todavia, não precisam ser inimigos das suas finanças. Caso você esteja tentada a aceitar um convite para jantar, por exemplo, aceite com a condição de gastar até determinado valor. Se o convite já for para um programa mais salgado, proponha uma alternativa mais econômica. Outra sugestão para quem está economizando é organizar você mesma alguns convescotes de pão-durice, convidando os amigos a trazer bebidas e petiscos de casa. Você pode se surpreender com a quantidade de amigos que também está tentando economizar.

8. Faça pequenas maratonas (se conseguir)

Nem todo mundo consegue, mas algumas pessoas efetivamente se divertem cortando determinado gasto por determinado período. É mais fácil do que cortar de vez, torna a economia mais visível e tem menos risco de recaídas e ressacas morais. Portanto, vale escolher uma rotina para mudar em uma semana e contabilizar o resultado. Pode ser fazer todos os trajetos a pé, quem sabe substituir os almoços de restaurante por viandas ou qualquer outro hábito que possa virar gincana. Além de economizar, talvez fosse pegue gosto por alguma delas.

9. Congele o cartão (sim, literalmente)

Esse é uma estratégica inusitada, mas particularmente eficiente contra uma praga moderna das finanças pessoais: o e-commerce por impulso. Aquele produto que você vinha namorando pula em uma janelinha com 20% de desconto, você puxa o cartão, compra e logo bate o arrependimento. A recomendação é pegar o cartão de crédito e efetivamente congelá-lo no freezer dentro de um potinho de gelo. Se o esforço em degelar parecer maior do que a vontade de comprar, talvez você não deva mesmo comprar essa mercadoria.

10. Torne seu objeto visível

Se você está economizando com um objetivo específico, como uma festa de casamento ou uma viagem dos sonhos, tente tornar essa meta visível nos objetos ao seu redor. Vale um mural de fotos da paisagem da viagem na geladeira, no protetor de tela do desktop ou do celular. Há até mesmo quem cole posts its nos cartões com recados para si mesma como “Atenção: casamento!”. Também ajuda fazer programações para quando a meta for atingida, o que, de quebra, já vale como pesquisa de preço.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna