Organize as finanças: 5 passos para gastar menos e economizar em 2017

Foto: Pexels, divulgação
Foto: Pexels, divulgação

Por Kellen Severo
Jornalista, pós-graduada em economia

Você já pensou sobre o que te faz gastar mais? E o que te faz poupar? Ou ainda, pensou sobre quem te inspira pela maneira como lida com dinheiro? Gosto de refletir sobre essas coisas. Algo do tipo: O que você descartaria facilmente da sua rotina? E o que você não poderia viver sem?

São perguntas simples e que têm o objetivo único de fazer a gente pensar um pouco sobre as finanças. Se você reservar alguns minutinhos para avaliar isso, imagino que vai estar um pouco mais distante daqueles 91% da população brasileira que atribui a Deus o sucesso financeiro. É isso que mostrou pesquisa do Instituto Datafolha, quando apontou que nove entre 10 brasileiros dizem que o progresso material se deve a Deus.

Particularmente, sou uma mulher de fé. Tenho lá minhas crenças, terços, orações. Mas estou cada vez mais convencida de que não tem mágica para economizar. Acredito, por exemplo, em propósito, método e persistência.

Pode parecer difícil gastar menos. Na verdade, é difícil. Prova disso é um levantamento do Banco Mundial que apontou: mulheres poupam menos do que os homens na maior parte do mundo. Foram 151 países pesquisados e em 87% deles o resultado foi o mesmo, o percentual de homens que guarda dinheiro é maior do que o de mulheres. E por que isso? A mesma pesquisa mostrou que tem a ver com menor conhecimento em finanças. A maior parte das mulheres não domina conceitos básicos como juros, inflação, relação custo e benefício, por exemplo. Estou cada vez mais convencida de que quando o assunto é gastar menos não existe muita mágica, não. O caminho passa por mudar hábitos.

Hábito tem a ver com comportamento. Aí você tenta mudar o seu e deixa de comprar algo caro, por exemplo, o que dá a sensação de que está economizando. No entanto, muitas vezes a “mágica” para poupar está em olhar para os pequenos gastos. Você não comprou aquela camisa que queria muito, mas em contrapartida almoçou mais vezes durante a semana no restaurante perto do trabalho. A fatura do cartão chega e você pensa que tem algo errado, mas quando soma os baixos valores dá um dinheirão. Faz sentido né?

Achei bem curioso que outro dado da mesma pesquisa mostrou que as mulheres têm mesmo um relacionamento com o dinheiro em que fazem transações mais frequentes, com quantias menores.  Ou seja, somam vários pequenos gastos.

Como mudar hábitos é um pouco complicado e economizar é sempre uma meta para a maioria de nós mulheres, reuni aqui dicas que servem como um guia para o processo, sem mágica mas com grandes chances de dar certo.

  •         Avalie seu comportamento: Um único hábito pode estar arruinando a meta de economizar. Para se entender melhor, responda as perguntas lá do começo do texto: O que te faz gastar? E o que te faz poupar? Escreva. Feito isso, avalie o que você descartaria com facilidade da sua rotina de consumo e o que você não poderia viver sem.
  •         Defina uma meta: Um dia ouvi de uma amiga que a única vez que ela conseguiu economizar de verdade foi quando teve que juntar dinheiro para a festa de casamento. Ou seja, ela tinha uma grande meta. Defina o seu propósito para o ano. Pode ser fazer uma viagem bacana no fim do ano, comprar um carro ou seu primeiro apartamento. Com uma meta maior você pensa: Será que quero mais um jeans ou prefiro a sensação de conquistar minha viagem, apartamento, ou carro? Funciona!
  •         Escolha a ferramenta certa: Lá no texto a gente falou sobre propósito e método. Ou seja, além de escolher a meta precisa traçar o caminho para chegar lá, algo que te ajude a fazer o controle. Não há como escapar, o universo das finanças exige anotações e listinhas. Escolha um jeito de anotar o que você está gastando. Pode ser uma planilha de excel, um aplicativo do celular ou uma lista no caderninho. É importante anotar e acompanhar os dados.
  •         Estabeleça limites para você: Na lista, separe os itens gastos fixos (luz, condomínio, moradia) e variáveis (salão de beleza, táxi, etc). A maioria de nós peca na hora de diminuir gastos como os variáveis em que estão restaurantes, lazer, estética, compras… O fixo é mais fácil. Se o problema está no variável, estabeleça a meta de quanto você pode gastar por mês em cada uma das categorias e vá monitorando ao longo do mês. Hoje os cartões de crédito usam aplicativos e sistemas SMS em que você é notificado a partir de cada novo gasto e pode ir monitorando ao longo do mês como estão suas despesas. É bacana. Se você estabeleceu R$ 100 para restaurante e na metade do mês já gastou quase tudo que podia, vai precisar diminuir o uso de táxi ou lazer por exemplo. Vá jogando com as categorias. Puxa de lá estica daqui.
  •         Persistência: Economizar não é tarefa fácil como a gente sabe e como a pesquisa mostrou. Então, não desista. A gente vai tropeçar, vai gastar mais do que gostaria algumas vezes. O que difere a mulher de sucesso nas finanças das outras é o que se faz a partir do tropeço; Ou seja, vá em frente. Mês que vem vai dar certo!

Feito isso, divido aqui uma frase que li alguns dias atrás que dizia assim: “No caminho havia um propósito”. Ache o seu e vai ficar mais fácil responder a perguntas sobre o que você descartaria facilmente da sua rotina e o que você não poderia viver sem. Sem mágica, mas com um gosto bacana de uma baita conquista pessoal.

Leia mais:
:: Finanças no feminino: mitos e verdades sobre como as mulheres lidam com dinheiro
:: Investimento também é assunto de mulher: 4 dicas para começar já
:: Aprenda a economizar em cinco passos e evite uma crise financeira

 

As últimas do Donna
Comente

Hot no Donna