Café da manhã sem pão: conheça alternativas mais naturais, leves e saudáveis

Eu não sou intolerante a glúten, nunca fui, nem quero ser, mas é fato que ele incha. Quando comecei a perceber isso no meu corpo, decidi que iria começar a comer menos pão. O mais difícil dessa decisão era o café da manhã. Desde que me conheço por gente como (comia) pão como primeira refeição do dia. Na infância, pão francês, na adolescência, inventei de provar mil opções que o mercado passou a oferecer: pão diet, pão de iogurte, pão sem gosto de pão. Depois, na fase mais natureba, pão integral, cheio de grãos e coisinhas especiais. Até tentar o pão sem glúten, 5 vezes mais caro que o pão normal. Realmente, era preciso pensar em outra coisa. No começo parecia que não ia ser fácil, mas por incrível que pareça, em uma semana, o pão já nem fazia falta. O importante é usar a criatividade para que o café da manhã seja bom e nutritivo, dando aquele conforto e pique matinal que precisamos.

Segue aqui algumas alternativas que tenho usado:

Antes de qualquer coisa, assim que acordo, tomo meio copo de água morna com 1 limão espremido e uma pitada de sal. É como se avisássemos nosso corpo de que acordamos e precisamos ficar ligados. Além disso, essa prática traz diversos benefícios como fortalecimento do sistema imunológico, aumento do ph, perda de peso, é excelente diurético e alivia problemas resporatórios. Viu só? Fecha o nariz e vai com tudo! Uma simples mudança na rotina já traz diversos benefícios.

:: Mais dicas sobre alimentação saudável nas colunas da Roberta
:: Outras receitinhas na nossa seção Na Cozinha

Feito isso, partimos para o café da manhã. Nos dias quentes, o que mais gosto de fazer são smoothies. Não precisa misturar leite nem iogurte. Frutas e verduras são o suficiente. O ideal é misturar no máximo 2 frutas para evitarmos muito açúcar no sangue.

Coluna Roberta foto 1

Smoothie de banana, manga, couve e gojy berry

Normalmente, faço com o que tem em casa, e a banana é a base de todas as receitas, pois deixa aquela consistência mais cremosa. Um dos meus preferidos é de banana, manga e folha de couve. Misturo também chia e linhaça, que devem ser hidratadas para que nosso organismos consiga absorver direitinho. Nos dias muito muito quentes, aqueles que só o porto alegrense que não tira férias em janeiro conhece, misturo pepino também. Ele ajuda a diminuir a temperatura corporal.

Coluna Roberta foto 2

Smoothie de abacate, banana, kiwi, gengibre, linhaça dourada e chia

Nos dias mais frios, se der vontade de fazer smoothie, dá para acrescentar gengibre e mel, pois vão ajudar a elevar a temperatura corporal. Ao invés da couve, trocar por outra folha, como espinafre, por exemplo. Mas, de maneira geral, no inverno, acabo não fazendo tanto smoothie. Prefiro coisas mais quentinhas que dêem uma sensação maior de aconchego. A tapioca tem sido uma boa opção. Faço panquecas recheadas com banana e canela ou com queijo minas e ghee. Dá para misturar um ovo na massa de tapioca e ela fica tipo um crepe. Uma delícia, mas um pouco mais calórica também. Além da tapioca, gosto de comer mingau de quinua, aveia, banana, canela e leite de amêndoas. Bem fácil de fazer, mas o bom é deixar a quinua e o leite de amêndoas prontos na noite anterior. Daí é só misturar tudo no fogo.

Coluna Roberta foto 3

Panqueca de tapioca hidratada com banana, canela e mel

Resumindo, mais importante do que ter criatividade é não ter preguiça. Comer saudável significa investir mais tempo na alimentação. Nesse caso, provavelmente, o sacrifício vai ser acordar uns minutinhos antes, mas, com o tempo, terá valido muito à pena, principalmente no quesito disposição e qualidade de vida.

Bom dia!

Leia mais
Comente

Hot no Donna