Carpinejar: A máquina de lavar pratos é uma geringonça preguiçosa cheia de restrições

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

A máquina de lavar pratos é inútil. Uma invenção bem intencionada, mas inútil. Você precisa desengordurar primeiro os pratos com o papel, para colocar na esteira. Com a canseira que leva para ajeitar a louça no interior do aparelho, já daria tempo para limpar tudo. A máquina de lavar pratos é uma geringonça preguiçosa. Vem cheia de restrições. É alérgica a frutos do mar e intolerante a lactose e a glúten. Ou seja, não aceita quase nada.

Ela jura que é Napoleão no manicômio da cozinha, sofre da mania de grandeza da máquina de lavar roupa. Ao ser comprada já avisa:

– Eu vou para a sua casa. Só que não lavo panelas e frigideiras.

O que adianta, então? Não cuida justamente do pior, da maior herança do sebo. No lugar dela, terá que estragar as unhas esfregando o contorno das formas. Ler o manual de instruções é ler o que não pode fazer, nunca o que pode fazer.

Na verdade, ela não trabalha para você, você trabalha para ela. É a sua doméstica, o seu auxiliar de luxo.
A máquina de lavar não resolve o fundo arenoso das mamadeiras, as bordas vincadas das vasilhas empestadas, não ajuda com o pesado da vida doméstica. É simplesmente uma prateleira com espuma.

Vejo que também é machista. Não limpa copos e cálices sujos de batom. Tem dificuldades de relacionamento com o público feminino. Assim também constrange solteiros e incrimina infiéis, cria casos e encrencas amorosas preservando as manchas.

Talvez ela apenas sirva para dissuadir as visitas de colaborar com a louça no fim do almoço ou do jantar. Convenhamos, é uma desculpa muito cara.

Leia mais colunas do Carpinejar:
:: Carpinejar: Se a vida sexual inicia com a indiferença, isso pode bloquear a emoção dos próximos relacionamentos
:: “Posso fazer melhor” é uma frase com dois sentidos
:: Meu amigo ostenta uma mesa de sinuca no centro da sala

Leia mais
Comente

Hot no Donna