Célia Ribeiro: A arte de dividir espaço

Van Gogh, ao pintar seu pequeno quarto revela seu senso de organização, minimizando a pobreza em que vivia

Foto: Vincent van Gogh

Assim como cada um de nós tem direito a desfrutar de algum tempo para estar a sós com seus pensamentos, todos precisam de um espaço mínimo para partilhar um quarto. Mesmo as pessoas que se amam e convivem bem podem ter atritos ao dormir na mesma peça. Essas rusgas cotidianas podem ter os mais variados motivos, da diferença da temperatura ambiente ideal à iluminação que não deixa o parceiro de quarto dormir.

Todo bom relacionamento baseia-se no respeito mútuo, que no quarto é muito exigido. Nos exemplos que citei sobre pontos de atrito, graduar a temperatura do ar- condicionado, tirando uma média da preferida por cada um, é sinal de boa vontade; dividir ordeiramente uma gaveta, ter abajur de cabeceira, um protetor para os olhos e a preocupação em procurar não fazer barulho enquanto o outro dorme revelam respeito mútuo.

Penso que o convívio agradável em um quarto compartilhado começa no planejamento da decoração. Luz pontual para preservar a liberdade de cada um é o básico. Aprende-se muito nos hotéis. Recordo sempre do Queen Alexandra, em Copenhague. O pequeno quarto para executivos, com duas camas e banheiro, oferece mínimos espaços bem aproveitados. Nunca pensei que em uma estreita prateleira fixada na parede ao lado da cama coubesse tanta coisa.

O melhor treinamento para dividir um quarto se faz na infância, entre irmãos dormindo num mesmo espaço com as brigas eventuais resolvidas pela intervenção das mães, atentas à uma decoração racional, programada para o bem-estar das crianças.

Sobre a Copa das Confederações

Além de ter sido o melhor jogador da Copa das Confederações, o expansivo Neymar demonstrou grande simpatia e generosidade na forma como tratou os adversários espanhóis ao final do jogo. Muito jovem, o sucesso poderia lhe ter subido à cabeça.

A liderança de Felipão e a forma como ele trata o sucesso, lembrando que é preciso total atenção e trabalho no campo para enfrentar a Copa de 2014, é modelo. Quanto ao bom relacionamento do técnico com Parreira, resulta da autoconfiança de cada um e o respeito mútuo no exercício de seus próprios papéis na Seleção.

Dress code no convite

“Minha filha vai se casar em outubro em uma localidade praiana na África do Sul. No convite é solicitado beach formal e estou em dúvida quanto ao sapato. Vou vestir pantalonas com blusa estampada e decote nas costas.” THEREZA

A expressão inglesa dress code significa código de traje, como se vestir para determinada ocasião. O código exigido no casamento é “praia formal”, com vestidos leves para elas e traje sem gravata com blazer para eles Os sapatos femininos mais adequados são as sandálias de salto.

De quem é o presente

“Na comemoração de meu aniversário, recebi muitos presentes entregues na hora. Como os convidados chegaram todos juntos, não pude abrir os pacotes. Ao abri-los mais tarde, muitos não tinham cartão e esqueci as pessoas que levaram cada um daqueles pacotes. Fiquei encabulada, mas acabei telefonando para saber quem deu o quê. Demonstrei falta de atenção?” MARLICE

Você agiu certo, revelando consideração por quem a presenteou. É complicado diante de tantos pacotes, mesmo aqueles com cartão, identificar a pessoa que fez a gentileza. Muito importante, ao abrir todos os pacotes juntos, é colocar os cartões com o respectivo presente, pois é fácil trocá-los.

As últimas do Donna
Comente

Hot no Donna