Celia Ribeiro: as surpresas de um estilo

A estilista Vitória Cuervo com uma de suas criações de moda primaveril, blusa de estamparia de pentes como motivo da coleção
A estilista Vitória Cuervo com uma de suas criações de moda primaveril, blusa de estamparia de pentes como motivo da coleção Foto: arquivo pessoal

Quando Vitória quis fazer o curso de Moda da Feevale, seus pais, os arquitetos Tina Cuervo e Carlos Azevedo Moura, não ficaram surpreendidos. Desde a primeira Barbie a filha já criava modelos, evoluindo na adolescência para seus próprios looks. Vitória chama sempre atenção. Não só por sua beleza, como pelo estilo de vestir, discreto com detalhes surpreendentes.

A primeira coleção de Vitória Cuervo subiu à passarela do Donna Fashion Iguatemi em 2010, ano em que recebeu o diploma da Feevale. Nessa coleção, incluiu modelos para cadeirantes, assunto de sua tese de conclusão de curso. A repercussão daquele desfile motivou-a a participar do concurso Moda Inclusiva, na Semana da Valorização da Pessoa com alguma Deficiência, em um desfile na Assembleia Legislativa do Estado.

Faz uma semana Vitória lançou a coleção Qual é o Pente que te Penteia?, nome bem-humorado que tem razão de ser, como a estilista justifica:

? O título desta coleção me surgiu da ideia de cabelos indomáveis, peças livres com truques de modelagem adaptados por quem as veste, dando opção por novas formas.

Um micro berloque na forma de pente é preso à todas as peças da coleção. A coleção em resumo é de peças de puro algodão, linha tubular tamanho único, predomínio de cores neutras e barras estampadas de design próprio, pintadas por artesãs do grupo Botu Africa de Botucatu (SP). Pressões abertas são esparsas nas peças, como aviamentos estéticos que, ao serem fechados, geram drapeados e novas formas.

Vitória Cuervo (vicuervo@gmail.com) estuda a engenharia das roupas, vencendo a barreira do impossível. Imagino este talento numa maior dimensão com os recursos de uma indústria fashion.

*****************

Isabel Fahrion, que foi uma das mais destacadas manequins de Porto Alegre na década de 90, é hoje consultora de moda, fashion stylist, trabalhando com conceitos de marcas. Radicada em Caxias do Sul, Isabel atende a indústrias que atuam no setor de vestuário daquela região. Ela viaja a Paris, fim do mês, com Sylas Abreu que fotografará a coleção Outono-Inverno 2014 da Maria Henriqueta Tricot, de Farroupilha.

Isabel vai aproveitar a estada em Paris para pesquisar uma parte do roteiro da viagem que fará em maio de 2014, levando um grupo organizado pela Molletur Viagens de Caxias do Sul. O foco é “inspiração” através das diferentes visões de moda, arquitetura e arte e troca de ideias para desenvolver criatividade e o estilo.

*****************

Em restaurante, os deficientes físicos adultos são tratados com naturalidade e não como criança. Uma amiga da coluna contou que há garçons que perguntam ao acompanhante “o que ele quer?” em vez de se dirigir à própria pessoa. Esta dirá a quem está ao seu lado à mesa se não consegue pegar o copo e será atendida sem constrangimento de parte a parte.

*****************

Checklist antes de sair

Pessoas muito ocupadas poupam tempo e evitam estresse se, com certa antecedência, aproveitam um horário tranquilo e reúnem os pertences necessários para cumprir um compromisso. O principal de uma mulher organizada é arrumar a bolsa, mesmo que seja a mesma que acaba de usar. E aqui vão alguns lembretes de coisas que se costuma esquecer.

1. Carteira de motorista, se não vou de carona.
2. Cartão de crédito.
3. Algum dinheiro trocado para o estacionamento.
4. Batom.
5. Pente.
6. Pó compacto.
7. Lenços descartáveis.
8. Esferográfica para assinar recibo do cartão.
9. Celular.

*****************

Banheiro público

“Fico pasma, ao entrar num banheiro feminino, e ver tanto papel usado jogado no chão e o tampo do vaso ainda molhado. Até restaurantes e hotéis de várias estrelas têm o problema. O ambiente é limpo, aroma floral, mas as mulheres não respeitam. O que se faz?” BRIGIDA

– O local público é considerado por muita gente mal-educada como de ninguém. São pessoas que, na sua própria casa, ou na dos amigos, respeita o asseio. Pela categoria dos restaurantes vê-se que a boa educação não é proporcional ao status econômico. O que os proprietários devem fazer é usar suas assessorias para fazer cartazes de texto curto e criativo, fixado internamente no local. No caso aqui apresentado o frequentador avisa ao gerente do restaurante que precisa fazer manutenção do asseio do banheiro.

*****************

Terno marrom

“Sei que em casamentos mais formais os homens vestem terno escuro. Tenho um bom terno marrom e gostaria de saber se posso usá-lo num casamento à noite.” VICENTE

– Você não participa do cortejo, mas sabe o que é estipulado pelo código de vestir de acordo com a ocasião. É estranho mesmo, mas marrom não é cor do dress code masculino, enquanto não há nada contra para o traje feminino de gala e de recepção. Nos casamentos matinais os homens podem usar blazer com ou sem gravata estipulado no convite: alto esporte, com ou sem gravata, tratando-se de verão.

Óculos escuros

“É comum receber convites para festas de casamento no verão realizadas ao ar livre em final de tarde. Cabe o uso de óculos de proteção solar?” WILMA

– Nos casamentos matinais de primavera-verão aparecem os chapéus de aba larga, em palha ou tecido leve. Com aba larga não se usa óculos escuros. Em final de tarde, as convidadas não estão enchapeladas, pois a festa se estende à noite. Ao ar livre cabem óculos de proteção solar afilados com armação discreta, de material transparente, combinando com a cor do traje. Tem-se em vista as fotos das pessoas franzindo os olhos diante dos raios solares. Ao entardecer a proteção fica dentro da bolsinha de festa.

Leia mais
Comente

Hot no Donna