Celia Ribeiro: Filha de Liszt, amada de Wagner

Cosima tinha 14 anos quando conheceu Richard Wagner numa reunião na casa de seu pai

Foto: Ricardo Chaves

Misto de energia e voluntarismo, Cosima Wagner (1837 – 1930) sempre viveu rodeada de música. Filha de Franz Liszt (1811 1886), nascida em Paris de uma relação do compositor com a Condessa d´Agoult, Cosima tinha 14 anos quando conheceu Richard Wagner numa reunião na casa de seu pai, amigo e admirador do genial compositor alemão. Wagner, aos 37 anos, mal reparou na mocinha. Apaixonou-se por Cosima quando ela já tinha duas filhas do casamento com o pianista e regente preferido de Liszt, o barão von Büllow.

Educada pela princesa Carolyn Wittgenstein, Cosima seguiu à risca conselhos que modelaram seu temperamento. A princesa recomendava:

– Se você está magoada, jamais aparente seu estado de espírito. Seja forte, pois lágrimas não passam de água inútil.

Com 1m69cm, sempre ereta, o nariz proeminente do pai, sem jamais apoiar-se no encosto de uma cadeira, Cosima nada tinha de bonita. Ela manteve seu diário desde menina, material que serviu de apoio para a biografia escrita por Françoise Giroud, Cosima Sublime, editada em 1996.

Endividado, residindo em mansões luxuosas e achando uma honra para o rei Luiz da Baviera, Liszt e para o próprio primeiro marido de Cosima, ajudá-lo, Wagner era idolatrado pela mulher. Em sua vida cotidiana, Cosima aparentava a soberba com que tinha sido educada. E Wagner era seu deus.

Após a morte repentina do marido, durante uma temporada da família em Veneza, Cosima encerrou-se na dor, mas conseguiu se reerguer como fênix – e por uma boa causa. Como diretora do Festival de Bayreuth durante vários anos, ajudou a consolidar o evento criado por Wagner e realizado ainda hoje.

__________________________________

Casamento duplo

“Vamos fazer uma cerimônia com um casal de amigos. Maioria dos convidados temos em comum, mas há alguns que não conhecem um ou outro casal de noivos. O convite pode ser feito em nome dos dois casais? “ MARLY

– Os dois casais de noivos encimam um mesmo convite. Importante é colocar no envelope os destinatários. Há convidados que conhecem apenas um casal de noivos – apenas este casal assina o remetente.

Visita mal recebida

“Há anos não via uma prima. Marquei dia para visitá-la. Depois de mais de uma hora sem que ela nada me oferecesse, achando uma grosseria sua forma de receber, me despedi. Saiu de moda a boa acolhida?” MARGARIDA

– Se você marcou hora e se atrasou quem sabe ela se aborreceu, ainda que esta reação não pudesse ter impedido que ela oferecesse, pelo menos, um copo de água gelada. Receber com boa educação nunca sairá de moda. Até fornecedores têm direito à água.

Talher para espaguete

“Ganhei seis pares de garfo e colher, design especial para espaguete. O garfo tem três dentes alongados, a colher redonda é mais achatada para apoiar o garfo, com o qual se enrola a massa no molho. Com que mão se segura a colher?” LUIZ

– O destro segura a colher na diagonal sobre o prato com a mão esquerda, enquanto, com o garfo na mão direita, enrola a massa em torno dele, apoiado na colher..

As últimas do Donna
Comente

Hot no Donna