Celia Ribeiro: mais uma mudança para a artista plástica Zorávia Bettiol

Zorávia Bettiol é das pessoas mais organizadas que conheço no trato de sua obra artística e das coisas da casa. Lembro uma recomendação que ela me fez, ainda na residência da Pedra Redonda, quando seus filhos eram crianças: As esculturas ganham maior realce próximas de um vaso com plantas naturais. Nesta fase em que todos nós pensamos em várias mudanças para o novo ano que chega inclusive internas, que são as que catapultam as atitudes , ao saber que Zorávia está se mudando de um grande apartamento no bairro Moinhos de Vento para uma casa na Vila Assunção fui conversar com ela.

:: Veja todas as colunas de Celia Ribeiro

Sua primeira mudança foi aos sete anos, da casa na rua Santa Cecília para a cidade de Bento Gonçalves. No decorrer de uma vida de muitas viagens e mudanças, a mais radical foi deixar Porto Alegre em 1992 para residir oito anos em San Francisco, na Califórnia, com 300 quilos de excesso de bagagem aérea relacionados ao seu trabalho artístico (móveis e objetos para instalar nova residência ela deixou para comprar lá).

– Resolver se mudar é parte de um processo interno, mas a mudança propriamente dita é muito cansativa, aborrecida e trabalhosa – diz Zorávia.

Especialmente no caso dela, em que deve unir o ateliê à residência. Morar sozinha em 400 metros quadrados, dizendo que ainda é pouco, parece absurdo, mas não é. Zorávia é centro. Além de ter muitos alunos frequentando o ateliê, a artista possui muitos amigos, abrangendo passado, presente e futuro. Ela é festeira e adora recebê-los. Por isto, quando tudo estiver em seus lugares na nova casa – e deve estar até o Natal para receber a filha, Nora Prado, o genro e os netos -, ficará muito prazeroso.
Mas ainda haverá nova mudança de Zorávia Bettiol. Será para a Vila Conceição, onde está sendo construída uma casa, um estúdio e uma galeria de arte, projetada pelo arquiteto Trajano Silva.

***

Brasil de Ideias é um encontro mensal de empresários, executivos, jornalistas e publicitários durante almoço no Sheraton que, na edição de novembro, ofereceu um confronto de duas gerações ao discutir Paixão pelo Empreendorismo e a Arte de Reiventar. O paulista Renato Ganhito, vice-presidente da CDN – representada no Estado pela BH Comunicação de Ana Cássia Hennrich e Cátia Bandeira -, trabalha nessa agência dedicada a construir a imagem das empresas liderada pelo publicitário Nizan Guanaes, traçou um histórico do setor. Coube ao jovem Pedro Valério, gerente regional da Amcham Brasil, defender as atitudes da nova geração na profissão.

***

A necessidade de jovens executivos, com a criatividade e a ousadia que os caracteriza, é reconhecida pelas grandes empresas. Pedro Valério, 27 anos, ponderou que eles estão em fase de aprender, mas nem sempre lhes é dada liberdade suficiente para serem ouvidos. Há conflitos. O que mais impressionou em Pedro foi o respeito pela geração acima, o bom humor e sua articulação ao dizer o que pensa. É a troca salutar entre gerações, que também pode ser feita na vida familiar e amigos da geração de nossos netos.

***

Lingerie nos pés

Em 2013, Monica Lapa – fone (51) 8112-8631 – lançou os pés de anjo, a meinha de renda para agregar às sandálias. Em 2014, animada pela boa repercussão, ela lança a ponta de renda em três tamanhos. Hoje, menos é tudo em vez de menos é mais.

00a837be

Etiqueta na prática

Envie sua pergunta para a Celia: contato@revistadonna.com

Entre o Natal e o dia 31/12

“Sou proprietário de uma imobiliária e gostaria de saber se o gesto de enviar uma garrafa de vinho com votos de Feliz 2015 para alguns clientes selecionados não seria mais notado depois do Natal. Acho que antes se recebem muitos presentes.” VICTOR

– De fato, especialmente quando se trata de bebidas e alimentos próprios para o Réveillon, usa-se mandá-los dois ou três dias depois do dia 25, desde que se saiba que a pessoa estará em sua residência. Este ano, os dias 24 e 25 caem em quarta e quinta-feira, e a tendência é fazer feriadão até 1º do novo ano. Melhor mandar antes do Natal.

Hóspede em casa de praia

“Fui convidada a passar uma semana na casa de praia de uma amiga com quem não tenho muita intimidade. Mas tenho verdadeira alergia por gatos em geral, e ela tem seis. Agradeço o convite e mando flores no Natal ou digo a verdade?” MERCEDES

– A primeira regra de comportamento de um hóspede é não atrapalhar o estilo de vida dos anfitriões e da família. Agradeça o convite, não use a justificativa de ser alérgica a gatos e mande as flores no Natal. Sua amiga provavelmente diria que seus gatinhos não andam pela casa de praia e “estão sempre na rua”. Em novas oportunidades, sem alusão a esse convite, em conversa, diga que é alérgica a gatos.

Colete no alto verão 

“O terno com colete é usado só para ocasiões formais ou posso vesti-lo para uma cerimônia de entrega de um empreendimento?” J. CARLOS

– O uso do colete com terno é recorrente fora de eventos formais, sim. Mas, agora, no clima de elevadas temperaturas como é o nosso verão tropical, nos parece inadequado até mesmo em recintos com ar condicionado.

Leia mais
Comente

Hot no Donna