Célia Ribeiro: uma relação delicada

Colunista comenta sobre os direitos dos trabalhdores domésticos

Foto: DIVULGA

A emenda constitucional que ampliou os direitos do trabalhador doméstico balançou a relação entre patrões e empregados. Trabalhadores domésticos devem ter seus direitos garantidos, mas a forma confusa como está sendo conduzida a reforma tem gerado muita insegurança.

Tratar o assunto como se donas de casa fossem empresárias é irreal. Os deputados deveriam ter se informado melhor antes de definir, por exemplo, o repouso obrigatório da doméstica de duas a três horas. Elas próprias acabam prejudicadas, saindo mais tarde do emprego. Instalar o livro-ponto que a empregada deve anotar e assinar, dia a dia, já é hábito em muitos lares.

Uma doméstica bem informada desabafou com a patroa de muitos anos que a lei está causando desconfiança entre empregadas e empregadoras. E mais: negou-se a cumprir o tempo de repouso.

A série Downton Abbey, que mostra o cotidiano de patrões e empregados no início do século 20 no interior da Inglaterra, revela a relação autoritária e paternalista de uma família aristocrata com seus criados. O ator Hugh Bonneville, Lord Grantham na série, credita o sucesso do programa à habilidade com que os roteiristas de Downton Abbey expõem “a derrocada da hierarquia rígida”.

A democracia mudou a forma de exercer a autoridade na família e no trabalho. Empregadas hoje tratam a patroa jovem pelo seu primeiro nome. A série inglesa nos faz refletir, comparando os costumes, também sobre outras relações cotidianas.

Sobre reservas

Fazer reserva de assentos no avião, ingressos para o teatro ou mesa no restaurante garante a possibilidade de escolher com calma os melhores lugares – e a internet facilita ainda mais esse processo.

Ao chegar com atraso a um restaurante, porém, não se pode reclamar se, em um fim de semana ou numa data de grande movimento, como o Dia dos Namorados, a sua reserva tenha sido cancelada. Uma reserva exige pontualidade ou, no mínimo, que o cliente alerte o estabelecimento de que não vai conseguir chegar no horário combinado.

Chá de lingerie
“Dois meses antes do meu casamento, pretendo ter um chá de panela e de lingerie. Posso fazer os dois na mesma ocasião?” VERA

Cada um destes chás indica um tipo de presentinho. Um coador nada tem a ver com uma camisola de dormir. Estes chás são promovidos em separado, abrangendo dois grupos, um para as amigas da noiva, o outro das amigas da mãe da noiva ou as colegas de trabalho.

Presente para médico
Tenho plano de saúde particular e fiz uma bem sucedida cirurgia no pé sem ônus. Já escolhi uma cafeteira para presentear ao médico. Só não sei se a entrego pessoalmente, na próxima consulta para tratar a cirurgia do outro pé, ou se mando entregá-la depois.” RUBEM

Tendo em vista que a cafeteira poderá ser usada no consultório, pode entregá-la pessoalmente. Enviá-la antes da consulta também é correto.

Desrespeito no ônibus
Há um idoso que usa o ônibus diariamente às oito horas, ocupa o banco de dois lugares, de pernas abertas com a bengala apoiada no piso. Diante das reclamações de outros idosos que estão de pé, o desrespeitoso reage até com palavrões. O que fazer nesta situação?” FÁTIMA

Pedir ao motorista uma providência, que ele provavelmente não assume por temer tumulto no ônibus. Anote o telefone da empresa e reclame. Ela tomará as medidas cabíveis.

As últimas do Donna
Comente

Hot no Donna