Claudia Tajes: Cachorros engomados

Eu vou ter que brincar quietinho no meu lounge? (Foto: João Marcelo Osório/Divulgação)
Eu vou ter que brincar quietinho no meu lounge? (Foto: João Marcelo Osório/Divulgação)

Lounge do Cachorro. Um espaço cuidadosamente decorado para os momentos de lazer do seu cãozinho. Caiu aqui: mas os momentos de lazer de um cãozinho não são todos? Brinquedos meio roídos espalhados pela sala, um pé de tênis mordido no banheiro, aquela meia chulepenta e mastigada em cima do sofá: esqueça. No Lounge do Cachorro os brinquedos do pet são cuidadosamente guardados nos nichos de uma estante de madeira. Acima deles, os diferentes tipos de ração seca ficam armazenados como se fossem especiarias. Tudo bem organizadinho.

Lounge do Cachorro: o Rex não vai entender nada (Foto: João Marcelo Osório/Divulgação)

Lounge do Cachorro: o Rex não vai entender nada (Foto: João Marcelo Osório/Divulgação)

O espaço conta com grama artificial para embutir os potes de comida e água. Mas o pet que não invente de fazer as necessidades ali, grama artificial com cheiro de xixi é u-ó. O ambiente de seis metros quadrados ainda tem uma banheira – para o cãozinho não precisar mais tomar banho na jacuzzi dos donos, ventilador, espelho, cama, banquetas, um balanço com almofadas em forma de osso, objetos decorativos e até alguns livros. Vai que algum bichinho mais intelectual sinta vontade de se ilustrar.

O Lounge do Cachorro é uma das atrações da Casa Cor do Rio de Janeiro. Um evento realizado em um casarão cheio de história, no bairro da Gávea. Propriedade de um dos donos da extinta companhia de aviação Pan Air, a mansão é de 1938 e tem os jardins criados por Burle Marx. Alcides Rocha Miranda, o arquiteto que assinou o projeto, foi aluno de Portinari e Guignard. Mas quer saber? A casa não é tombada e está à venda. Qualquer empreendimento com muito dinheiro pode botar abaixo os mil metros quadrados de área construída. Afinal, é a isso que chamamos de progresso.

Mais colunas da Claudia Tajes?
:: Premer para puxar parte
:: Uma meia verdade

Comentário de uma moça ao entrar no Lounge do Cachorro: bem melhor do que o meu quarto. Já a minha pergunta é: tendo à disposição uma casa inteira para correr, que cão vai querer ficar confinado em um quartinho – por mais bem decorado que seja? A coisa anda tão fresca que, daqui a pouco, o pessoal esquece que cachorro é exatamente isso: um cachorro. E acaba perdendo a melhor parte de ter um bicho.

A quem ficou curioso para conhecer o Lounge do Cachorro, um aviso: a entrada de cães não é permitida. Os pets terão que ver as fotos no celular dos donos mais tarde, durante a hora do chá. E ademã, que eu vou em frente.

Contagem regressiva para a Feira (Imagens: Reprodução)

Contagem regressiva para a Feira (Imagens: Reprodução)

Seguem as sugestões para a Feira. Em A ponta do silêncio, a escritora Valesca de Assis fala de um dos temas mais discutidos desses nossos dias, a opressão feminina em uma sociedade ainda patriarcal. Isso em um romance cheio de camadas em que a história de uma vítima e seu agressor não deixa o leitor largar o livro. Na categoria não ficção, a equipe do Hospital Sanatório Partenon reuniu no ensaio Caiu na rede mas não é peixe experiências com a saúde física e mental da população mais vulnerável e desassistida. Lançamento no dia 4 de novembro, às 18h, no pavilhão de autógrafos.

Acesse todas as colunas da Claudia Tajes para o Donna

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna