Claudia Tajes: A falsa magra

Uma falsa magra em toda a sua glória (Foto: Reprodução)
Uma falsa magra em toda a sua glória (Foto: Reprodução)

Teve uma época em que chamar a mulher de falsa magra era um elogio. Significava, até onde eu entendo, uma guria elegantíssima de vestido, de calça, de saia. Mas onde tirasse a roupa, na praia ou na intimidade, ela revelava as curvas e as protuberâncias, bem-vindas, que os tecidos castamente escondiam na vida civil.

Mais colunas da Claudia Tajes?
:: Por mais miolo na moda
:: Caxumba com filme

Jorge Ben Jor chegou a compor uma música para a falsa magra: “Ai, ai, ai, ai / Pois a falsa magra / Tem por base ser carinhosa / Feminina e companheira / Sexy e inteligente / Amante caprichosa / Sutil e maliciosa / E gostosa”. Mais que música, é uma ode. Que ainda termina com um chamamento angustiado: “falsa magra, falsa magra, falsa magra / onde está você?”.

Até Oscar Niemeyer escreveu linhas – no caso dele, jamais mal-traçadas – que, embora se referissem à arquitetura, alguns consideraram uma descrição da falsa magra: “Não é o ângulo reto que me atrai. Nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual. A curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, nas nuvens do céu, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo – o universo curvo de Einstein”.

Alguém se atreve a chamar de gorda? (Foto: Reprodução/Instagram)

Alguém se atreve a chamar de gorda? (Foto: Reprodução/Instagram)

Moças, não me chamem de machista. Reproduzo aqui duas, digamos, opiniões de tempos passados.
O disco do Ben Jor é de 2007 e não sei em que data Niemeyer falou de sua preferência pelas curvas. Apenas usei esses dois depoimentos para chegar ao tema da coluna: a falsa magra, hoje em dia, virou quase um problema de saúde pública.

Pois não é que uma blogueira fitness denunciou? “Falsas magras são aquelas mulheres que PARECEM não estar acima do peso, mas têm bastante celulite, pneuzinhos e corpo flácido.” Tem até uma expressão em inglês para descrever a coisa: TOFI, sigla para Thin Outside, Fat Inside – algo como “magra por fora e gorda por dentro”.

Moral da história: não adianta ter 1m70cm e 60 quilos se esses 60 quilos não forem de puro músculo. Onde alguma gordurinha se salientar ou uma bordinha de catupiry escapar entre a cintura e a camiseta, já sabe: falsa magra à vista. Esteira nela. Nos casos mais graves, os de bunda redonda e coxa grossa, prisão perpétua longe dos olhos da sociedade.

Vinicius, consegue uma rima pra TOFI? (Foto: Reprodução)

Vinicius, consegue uma rima pra TOFI? (Foto: Reprodução)

Dúvidas. Tom Jobim encontraria inspiração para cantar “olha que TOFI mais linda, mais cheia de graça”? Chico Buarque, algum dia, reescreverá sua letra para “por isso / para o seu bem / ou tire ela da cabeça / ou mereça / a TOFI que você tem”?

Se não fosse por todo o resto, seria pelo lirismo de dizer “fal-sa-ma-gra” aproveitando cada sílaba da expressão. Longa vida às falsas magras, e à liberdade de ser o que se é. Chega de grosseria invadindo a poesia. Proponho aqui a resistência. As blogueiras fitness terão que malhar com essa.

Veja todas as colunas de Claudia Tajes para o Donna

Leia mais
Comente

Hot no Donna