Costumes de ontem e de hoje

"Para refeições fora da mesa, usa-se tomar sopa em canecas de porcelana"

Foto: Ricardo Chaves

Com a chegada do outono, dá para pensar em sopa. Seu recipiente teve origem nas gamelas esculpidas em madeira até os chineses inventarem a porcelana no século 10 e surgirem as primeiras fábricas europeias. A concha de louça evoluiu para as colheres individuais, ovais com a borda altinha, contendo a miniporção de um prato especial, introduzidas no Ocidente com a difusão da cozinha japonesa.

Na etiqueta de antigamente, colocava-se os lábios na ponta da colher, como quem toma remédio. Hoje, é pelo lado do talher. Os pratos fundos para servir sopa têm nova utilidade: neles, são servidas massas com molho e até sobremesa como o crème broullé ou catalão, saboreado com colher de sopa. Para refeições fora da mesa, usa-se tomar sopa em canecas de porcelana apresentada com um guardanapo para apoiá-la na mão esquerda.

Quanto ao fumo, no tempo das mansões havia o fumoir, espaço reservado para os homens fumarem sem perturbar as senhoras. Esta separação de ambiente inseriu-se no começo da campanha contra o tabagismo, unindo homens e mulheres com o mesmo vício.

E a dança de salão, hein? Antes dos Strauss criarem a valsa, os pares dançavam separados, de mãos dadas, formando cotillon. Faziam fila dupla de homens e mulheres com as mãos unidas, eles com um braço dobrado nas costas, elas fazendo uma flexão no joelho diante dos pares. Quando surgiu a valsa, se eles estavam sem luvas, colocavam um lenço entre a sua mão e a da mulher.

O beijo surgiu na França no final da Idade Média. As mulheres passaram a beijar a mão dos nobres, enquanto eles as beijavam na boca, usando a língua. Transformavam assim um ato de cortesia em insinuação sexual, da qual elas não podiam reclamar.

_________________________

Espumantes rosé

“Ganhei de presente uma caixa de espumantes da mesma vinícola, só que metade é rosé. Não sei como servir, se uma e outra, porque há pessoas com preconceito em relação aos vinhos rosé.” ANDRÉ

Os espumantes rosé estão conquistando espaço, especialmente entre as mulheres. São servidos em cálice tulipa, estreito e alongado, próprio para a bebida, por melhor reter por mais tempo as borbulhas. Serve-se primeiro o espumante brut tradicional e depois se pode passar ao rosé, na verdade cor de ouro velho, supergelado ou “frapé”, isto é, de 3ºC a 4ºC.

__________________________

Calça sobre gesso

“Sou advogado e trabalho numa grande empresa, sempre de terno e gravata. Devido a um acidente, vivo agora com um imobilizador móvel numa das pernas, o que está sendo complicado para vestir as calças. Ainda por cima, estou acima do peso.” PEDRO

Em princípio, use uma calça mais larga, feita sob medida por uma boa loja masculina que tenha confecção própria ou um alfaiate à disposição para consertos. No caso de perna engessada, a Spirito Santo aconselha dobrar a calça simetricamente, fazendo uma bainha caprichada na perna do gesso. Na calça jeans, se ela tiver overloques coloridos ou debrum escondendo as costuras, estes acabamentos à vista se transformam num estilo. O principal é assumir o problema.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna