Upcycling: estilista gaúcha transforma retalhos em vestidos de festa

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Você já ouviu falar em upcycling? O termo não é novo, mas muita gente ainda não sabe direito do que se trata e até confunde com reciclagem. Basicamente, o processo é o mesmo: criar algo novo a partir de itens antigos ou descartados. A diferença é que o upcycling utiliza os materiais existentes para fazer um item melhor do que o original.

Um exemplo prático e simplista: na reciclagem, uma camiseta velha pode ser transformada em pano de chão, quando não tiver mais uso. No caso do upcycling, a peça recebe outra cara, com retalhos e bordados à mão, pronta para um novo uso. O resultado é um produto único, artesanal e sustentável.

E é, justamente isso que a estilista gaúcha Carina Brendler faz. Só que no caso, Carina transforma retalhos em vestidos de festa.

Mais colunas da Pam Zottis
:: Trench coat: como usar a peça queridinha das famosas

A estilista conta que a ideia de fazer isso surgiu ainda na faculdade de moda, quando ela percebeu que a confecção de roupas gera muitos resíduos que poderiam ser reutilizados e transformados em novos produtos. A partir daí, ela começou a levar para casa matérias que iriam para o lixo, para transformar em peças úteis.

– Acredito que a vontade de contribuir para um mundo melhor tenha sido minha maior inspiração, queria trazer a ecologia e consciência de consumo para a moda festa, onde não é muito comum ver iniciativas sustentáveis – explica.

Como é feito esse trabalho de upcycling

Fotos arquivo pessoal

Fotos arquivo pessoal

No ateliê da Carina, são utilizados dois processos: a desconstrução de peças obsoletas (garimpo em brechós vestidos com as cores desejadas pelas clientes, com reforma e transformação em um novo), ou pela utilização de tecidos excedentes da indústria (eles recebem de outras marcas, de pessoas que conhecem o processo e desejam doar tecidos, ou então compram das próprias lojas de tecidos).

Ficou curiosa? O atendimento é feito com hora marcada. Os vestidos podem ser feitos sobmedida, primeiro aluguel – a cliente faz o vestido do jeito que sonhou, a única diferença é que ele fica no ateliê para ser alugado mais vezes e o valor final do vestido sofre uma pequena alteração por conta disso –, ou alugado do acervo de vestidos.

– Acontece muito das clientes trazerem seus próprios vestidos pra gente transformar. Elas já compraram a ideia de mudar totalmente a cara de uma roupa bem antiga. Nesses casos cobramos o valor da mão de obra, já que a matéria-prima está sendo fornecida por elas.

A média dos vestidos longos de aluguel é R$400. Para fazer um vestido do zero varia um pouco de acordo com cada modelo e quantidade de trabalho manual: a partir de R$750 – os curtos e longos simples –, e pode ir até R$3500, para  os mais elaborados com bordados.

Leia mais colunas da Pam:
:: Moda consciente: como dar cara nova para suas roupas antigas
:: Como usar os looks do dia a dia das protagonistas de “Segundo Sol”, Deborah Secco e Gio Antonelli
:: Brechós beneficentes: looks completos por menos de R$ 150 em Porto Alegre

Leia mais
Comente

Hot no Donna