Mariana Kalil: Festas de isopor

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Não guardo recordações da festa de aniversário que ganhei dos meus pais para festejar meu primeiro ano de vida. Só fiquei sabendo que ela existiu depois de adulta, folheando os álbuns de fotografias. Descobri que foi realizada no salão de festas do prédio onde morávamos. Uma festa restrita apenas à família e alguns amigos mais chegados.

SAUDADE DAQUELE TEMPO

Sinto saudade da época em que os eventos tinham a proporção que devem ter. O aniversário de um ano de uma criança que ainda nem tirou as fraldas era realizado em casa, no máximo no salão do prédio ou do clube, e todo mundo era feliz com cachorrinho quente, negrinhos e branquinhos e um bolo com a primeira vela da vida do aniversariante para marcar a data.

mk2 SIMPLES ASSIM

Festas de aniversário infantis transformaram-se em shows pirotécnicos. O aniversariante, principal homenageado, mal tem ideia do que está acontecendo.

mk3HEIN?!!

Uma quantidade de excessos que só faz girar cada vez mais rápido a indústria especializada neste tipo de evento. Os valores são colocados lá em cima (partem de R$ 3 mil e chegam a R$ 20 mil). Pais pagam o pacote da exorbitância.

mk4

12x NO CARTÃO

Famílias endividam-se para ostentar decorações de isopor, jogos, labirintos, babás em aventais e um cardápio de dar inveja a qualquer catering da Casa Branca. Não basta cantar “Parabéns a Você” e apagar a velinha. Tem que ficar repetindo trocentas vezes “É pique! É pique! É hora! É hora!” entoado pelo grupo de monitores.

mk5

RÁ, TI, BUM!

Até que algum deles, fantasiado de urso panda, bate palma um pouco mais eufórico e promove verdadeira debandada e choradeira. “Ela tem trauma de urso panda de festas”, eu ouvi de uma mãe, com a filha aos berros no colo.

mk6

BUUUUUU!!!

Presenciei também outra festa infantil em que a aniversariante de três anos trocava três vezes de roupa para as fotos. Um figurino diferente para cada aninho de vida. Imagino o protocolo da festa de debutante! O pior é que este modelo vai se difundindo e vira padrão, provocando em muitos pais a insegurança de oferecer uma festinha mais amorosa na comemoração e simples na execução.

mk1

COMO ANTIGAMENTE

Criança não tem noção de tempo. Até os quatro anos, não entendem certos rituais. O que mais desejam é correr, brincar e, sobretudo, serem crianças. O resto só faz aumentar a conta e diminuir a diversão. Como diz minha xará Kalil, a Gloria, “o resto é bobagem e gasto inútil”.

mk7

PRA NÃO DIZER CAFONA

Mais colunas da Mariana Kalil?
:: Milagre da maizena
:: Estilo próprio
:: Bomba relógio

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna