O que te faz feliz no trabalho? Conheça o princípio do “estado de fluxo”

Fotos: Pexels
Fotos: Pexels

Quantas pessoas você conhece que estão animadas em voltar para a rotina de trabalho neste pós-feriadão? E quantas estão com aquela vontade de que o próximo fim de semana já chegue logo? O ponto é saber se o seu trabalho ainda tem sentido para você, se te faz feliz.

Lembro quando eu tinha 18 anos e trabalhava num escritório. Foi um dos meus primeiros empregos. Na época, meu coração já doía no domingo à noite só por perceber que uma nova semana estava próxima de começar, o que significava horas em um trabalho pouco desafiador e com tarefas completamente distantes da área de comunicação e do jornalismo – graduação que eu havia acabado de iniciar e caminho que eu desejava seguir. Era duro ter mais energia e disposição do que a posição demandava, era triste olhar no relógio e ver as horas se arrastando. O que faltava ali?

Faltava aquela sensação de não perceber que o tempo passou, que o dia voou. Coisa que geralmente ocorre quando estamos concentrados, imersos, conectados com atividades que fazem sentido pra nós. O psicólogo húngaro Mihaly Csikszentmihalyi chama esse estado de flow (fluir). É quando a tarefa é desafiadora, mas a gente sente que é possível realizá-la e ficamos imersos nela. Um nível abaixo do flow você tem a sensação de controle, de conformidade, ou seja, suas habilidades superam o desafio. Um degrau acima é onde está o estímulo, a energia. É onde está o aprendizado, é quando você precisa desenvolver habilidades para lidar com os desafios. Hoje, volta de feriado, temos uma boa oportunidade para pensar sobre o propósito do nosso trabalho, sobre o quanto estamos conectados com o que fazemos, sobre o que nos faz feliz e mais próximos do que almejamos para nossa vida.

pexels-photo-267569

Foi em 1961 que Mihaly procurou um termo para descrever o tal estado de felicidade. O conceito de “fluxo” foi desenvolvido depois que o psicólogo entrevistou mais de mil pessoas para saber o que as tornava felizes. Ele descobriu que todas as respostas tinham cinco aspectos em comum:

1- Estar intensamente concentrado em um atividade

2- Fazer atividades que nós mesmos escolhemo

3- Estar em atividades nem pouco desafiadoras (entediantes) nem excessivamente desafiadora (exaustivas)

4- Ter objetivos claros

5- Receber retorno imediato

Com esses itens em comum, as pessoas costumam estar em “flow” – é justamente quando elas têm um profundo sentimento de satisfação, quando perdem a noção do tempo e se esquecem de si pelo tanto que estão envolvidas no que fazem.

Com 18 anos, fui atrás do meu “fluxo”. Deixei o escritório aquele e parti para o primeiro estágio na área de Comunicação. O salário era menos da metade do anterior, mas ali as atividades estavam conectadas com o que um dia eu queria vir a ser, ali tinha um sentido, tinha um propósito, ali eu tinha bons momentos em estado de flow.

E você, será que já não chegou a hora de procurar o seu flow? 

Leia também
:: Compras não planejadas são reflexo de desperdício: veja como fugir desta cilada
:: Por que as mulheres negociam menos do que os homens – e como virar este jogo

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna