Para mamães: saiba quais são os benefícios do sling para carregar o bebê

É comum ver mães transportando seus bebês usando slings, um acessório prático e que traz vários benefícios para a mãe e para o bebê. Os carregadores de pano feitos em tecidos não estruturados, que permitem deixar o bebê enrolado ao corpo, podendo ser usado em várias posições de acordo com a idade de cada bebê.

A origem dos slings vem de diferentes culturas, como a africana, a indígena, a oriental e a andina, sendo usado como uma forma de manter as atividades sociais sem deixar o bebê de lado. Hoje, é uma opção pela praticidade de carregar o bebê e deixar os braços livres, mas também por oferecer proximidade, aliviar as cólicas intestinais dos recém-nascidos e proporcionar maior estimulação sensorial para os bebês –principalmente nos primeiros meses de vida, quando ocorre a “externo-gestação” em que a criança está aprendendo que ela e a mãe não são um só e precisa muito do colo materno.

A fisioterapeuta obstétrica, doula, educadora perinatal e produtora de slings Jamile Maluf Bosner explica que existem diversos modelos, mas os mais comuns são o wrap sling e o sling de argola, que aguentam o peso de bebês até 20 quilos sem forçar a coluna de quem o carrega.

Leia também
:: Dicas para ter sucesso na amamentação

:: Saiba como colocar o primeiro brinco do bebê
:: Brincadeira virtual, perigo real: vamos falar sobre exposição das crianças na internet?

Confira alguns modelos:

Sling de argola: consiste em um pano, de mais ou menos 2 metros de comprimento, que se ajusta a duas argolas. Não é necessária uma amarração complexa para ajustá-lo. O peso do bebê fica apenas sobre um dos ombros do adulto. Indicado para momentos que exigem agilidade e ideal para bebês que já apresentam um leve controle de tronco, próximo a 3 ou 4 meses.

Wrap sling: produzido com tecido de aproximadamente 5 metros de comprimento, o Wrap é amarrado ao corpo de quem está carregando o bebê. Como o apoio do tecido fica distribuido nos dois ombros do adulto, é considerado uma boa opção para passeios mais longos. É o ideal para bebês recém-nascidos por simular a posição fetal e manter a coluna do bebê na posição de “C”.

Pouch sling: também chamado de Sling Bolsa é uma rede de tecido dobrada, que forma uma espécie de bolsa para o bebê. Indicado a partir do 6º mês, quando o bebê já se senta com apoio e para eventos rápidos.

Sling canguru: esse carregador é feito de pano com alças sobre os ombros e sobre a cintura do “carregador”. Pode ser utilizado nas costas, frente ou ao lado do corpo. Indicado a partir do 6º mês. É prático e muito ergonômico para bebês maiores.

Fernanda Buffara e Gael

“Eu sempre achei o SLING DE ARGOLAS muito prático, fresco e seguro para crianças que já sentam. Mesmo com os tecidos dryfit achava muito abafado no verão as crianças e a mãe enrolados num wrap. Meu filho Gael gostava muito de passear no de argola pois a mobilidade da criança é maior. Uso desde que ele tinha 6 meses mais ou menos. Mas depois que ele cresceu um pouco parei de usar pois quando a criança maior dorme não tem como apoiar a cabeça e já não ficava tão bom para ele.”
Fernada Buffara, gerente administrativa, mãe do Gael de 4 anos

Priscila Carvalho Serff e Sophie

“O sling eu gostava de usar quando ela era menor, pois ela ficava enroladinha e dormia superfácil. Ainda uso quando quero que ela durma enquanto faço alguma coisa. O CANGURU compramos por causa do meu marido, que queria muito carregar ela e achava o sling muito feminino. Eu me apaixonei por ele, pois é mais prático de colocar e agora com ela um pouco maior, é uma opção melhor pra ela olhar o mundo e interagir comigo. O legal é que dá pra usar com ela pra frente também, mas ela precisa estar com a cabeça um pouco mais firme. Uso pra ir no supermercado e pra passeios mais turísticos. O sling eu usava mais em casa do que na rua.”
Priscila Carvalho Serff, jornalista, mãe da Sophie de 4 meses.

Joana Bendjouya e Bia

“Usei o sling pela primeira vez quando minha filha nasceu, há 7 anos. Usava o modelo de argola, super bom, prático e tranquilo de usar. Depois quando minha segunda filha nasceu ajudou um monte para que eu pudesse ter as mãos livres para brincar e realizar tarefas do dia a dia. Já o modelo WRAP, ganhei de presente e acho super indicado para bebês bem pequenos, principalmente se ele for de inverno, pois o bebê fica super enrolado, mas também fica bem aconchegado. Depois que crescem já não acho tão prático, pq acordam muito e para tirá-lo até pegar o jeito, não é muito prático. Já o canguru usamos bastante, eu e meu marido e é possível usar até uma ano tranquilamente, para as costas da mãe é ótimo pq equilibra o peso. Acho uma forma deliciosa de carregar os pequenos, pratica e envolvida de afeto.”
Joana Bendjouya, jornalista, mãe da Nina (7 anos), Liz (4 anos) e Bia (1 ano)

Silmara Neves

“Com o meu primeiro filho acabei não usando nenhum tipo de sling pois achei que não iria me acostumar. Quando fui tentar ele já estava muito pesado e não me adaptei. Agora, com meu segundo filho, ganhei um POUCH SLING e usei bastante. Mas, como ele está crescendo já estou buscando outra alternativa, já que acredito que esse modelo seja mais apropriado para bebês recém-nascidos. Acho que vou trocar pelo modelo wrap.”
Silmara da Silva Neves, pedagoga, mãe do Bernanrdo (3 anos) e do Joaquim (1 mês)

Leia mais
Comente

Hot no Donna