Piangers: Em que escola ponho meu filho?

Foto: Pexels, reprodução
Foto: Pexels, reprodução

Pais sempre fazem essa pergunta, com olhos de desespero, como andarilhos em um deserto cheio de oásis, mas nenhum parece ser ideal. Querem o oásis perfeito, se não for a melhor água desse deserto estarão falhando como pais. Eu sei em qual escola você deve colocar seu filho. Mas só falo no final do texto, porque não sou bobo nem nada e, se eu dissesse agora, você pararia de ler.

Existem duas escolas em que eu não colocaria de jeito nenhum: a escola mais longe da sua casa e a escola mais cara. A primeira vai fazer você pegar trânsito, e trânsito acaba com a sua qualidade de vida. Ou a criança vai de van, uma hora pra ir, outra hora pra voltar, e eu já estive em uma van escolar e sei que aquilo é barulho e grito e choro. A escola mais cara, apesar de tentadora, tem dois problemas: falta de convívio com pessoas diferentes e a necessidade de você trabalhar como um maluco pra conseguir pagar. Quanto mais você trabalha menos tempo tem com o filho, e aí já viu, o mundo está cheio de gente rica e infeliz.

O segredo é entender que a escola não é uma forma de terceirizar a educação do seu filho. Se você não tem tempo ou saco pra educar um filho, não vai ser uma professora que vai educar 30 crianças. Além disso, a escola padronizadora está cada vez mais obsoleta: o mercado de trabalho não absorve mais a mão de obra mediana, pensada desde a revolução industrial, mas indivíduos com características especiais. A melhor escola explora as potencialidades individuais do seu filho, o melhor método é personalizado. Nesse sentido, escolas que misturam matérias e alunos de diferentes idades são interessantíssimas. Existem iniciativas no Brasil inspiradas na Escola da Ponte, de Portugal, e no método finlandês, em que o aluno escolhe o que vai fazer. As escolas construtivistas e antroposóficas também incentivam crianças criativas, algo que vai ser importantíssimo para as profissões no futuro.

Por fim, pra você que pulou direto do primeiro parágrafo pra cá e depois reclama que seu filho não tem saco pra ler um livro, a melhor escola é aquela na qual o seu filho é feliz. Crianças são seres cheios de energia e ânimo e é uma pena que muitas vezes tenham que ir obrigadas para a aula. Do nosso tempo de escola, nos lembramos pouco das matérias: o que sobra são nossos amigos, nossos bons professores, nossas brincadeiras favoritas. O verdadeiro professor é a sua presença, o seu exemplo e o seu amor. O resto é miragem, nesse deserto que criamos pra nós mesmos.

Leia outras colunas do Piangers
:: Ciência e religião antes de dormir
:: Dedo podre
:: Pais e filhos

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna