Piangers: Nossas filhas vão fazer sexo

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Pai de menina tem sempre uma aflição boba, aquele medo da filha adolescente chegar em casa com o primeiro namorado. Imaginamos um jovem cheio de espinhas, boné pra trás, camisa larga, cueca aparecendo. Imaginamos aquele rapaz desrespeitoso, como é que tu chega assim na minha casa, pede licença para entrar, moleque. Imaginamos esse maldito rapaz entrando no quarto da nossa filha, imaginamos o que farão lá dentro, imaginamos nossas mãos ao redor do pescoço daquele desgraçado, imaginamos o susto que ele vai levar quando ameaçarmos jogá-lo pela janela do 12º andar. Imaginamos que nunca mais se meterá com a nossa filha. Imaginamos que nossa filha vai crescer sem se interessar por homem algum. Imaginamos que será uma profissional dedicada, ganhará seu dinheiro, ela não precisa de homem nenhum. Ela só precisa da gente.

Uma má notícia pra nossa imaginação é que a chance disso acontecer é nula. Nossa filha vai fazer sexo. Coloque isso na sua cabeça, pai de menina. Sua filha vai fazer sexo com um jovem de boné e calça larga. Fale isso alto, se possível, pra se convencer. Todos juntos: nossas filhas vão fazer sexo. Agora, respire fundo e repita.

Mais colunas do Piangers?
:: Contrato entre pai e filho
:: Você vai entender quando crescer

Só podemos desejar que seja agradável pra ela, que ela se descubra com paciência, que venha a se realizar sexualmente. Que seja bem tratada, com cuidado e carinho (isso depende de vocês, pais de meninos!), que descubram juntos o prazer, que seja saudável. Estou aqui escrevendo tudo isso como se fosse normal, mas é dificílimo falar disso. Rapaz, estou aqui fazendo parecer normal, mas estou suando frio ao escrever “que descubram o prazer”, me volta aquela imagem do rapaz sendo jogado do décimo segundo andar. Repete o mantra: nossas filhas vão fazer sexo. Nossas filhas vão fazer sexo. Isso é uma coisa normal. Ufa, deu uma aliviada aqui.

De todas as provocações, aquela que mais irrita um pai de menina é ser chamado de “fornecedor”. É uma provocação terrível, porque faz parecer que nossa filha não tem a opção de escolher. Faz parecer que mulheres são um objeto de satisfação do prazer do homem. Não são. Eu não sou dono da minha filha. Minha mulher não é dona da minha filha. O namorado da minha filha não será seu dono. A dona da minha filha é ela mesma. Quero que ela saiba sempre disso. Pra que se ame, se respeite, imponha limites, descubra saudavelmente seu prazer, faça sexo com segurança. Porque, meu amigo, pode ter certeza. Nossas filhas vão fazer sexo.

Veja todas as colunas de Marcos Piangers na Revista Donna

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna