Piangers: Pais e filhos

Pexels, reprodução
Pexels, reprodução

Palestrei em um evento sobre filhos no mês passado. Para todos os lados, mães interessadas na criação saudável, em como controlar o tempo dos pequenos na frente do celular, em como construir uma relação mais próxima com os filhos. Contei apenas 10 homens no evento. Sete trabalhavam na copa ou na técnica do teatro.

Alguém me disse uma vez: “Nasce um bebê, nasce um blog de mãe”, mas no mundo masculino isso não existe. A chegada de um filho, entre homens, é cercada de frases erradas, do tipo “Aproveita pra dormir agora” ou “Se for menina, você vai virar fornecedor”. O homem que quiser discutir questões mais profundas, ser participativo no crescimento, na educação e nos cuidados básicos, vai ter que ultrapassar muitas camadas. Cansei de ouvir “Tá de babá?” ou “Sua mulher manda em você?” quando aparecia com minhas filhas em eventos. “Não estou de babá, estou de pai”, respondia. Pai também cuida, também se desdobra pra criar, também falta no trabalho porque o filho tá com febre. Ou, pelo menos, deveria.

Homens que vão em um evento sobre filhos, vou dizer o que passa na cabeça deles. Primeiro, ficam felizes com a possibilidade de aprender mais sobre paternidade. Depois, ao chegar ao evento, percebem que são uma intimidante minoria. Então, silenciosamente, prometem-se jamais voltar a um evento sobre filhos. “Filho é assunto de mãe” é o recado que a falta de referencial dá.

Pexels, reprodução

Pexels, reprodução

Homens são treinados para serem pagadores de conta. Se puderem “ajudar”, já estão fazendo muito. Injusto com as mulheres, que têm que realizar todas as tarefas domésticas, resolver todas as questões escolares, cuidarem de todos os problemas de saúde e, ainda, trabalhar e pagar contas. A mulher já está faz décadas no mercado de trabalho, é hora dos pais entrarem definitivamente nas questões familiares.

Homens, comecem a escrever sobre a paternidade. Comecem blogs, livros, canais no YouTube. Incentivem outros homens a participar. Troquem fraldas, virem noites, escolham escolas, levem ao pediatra. Dividam suas experiências. Apareçam nos eventos sobre filhos.

Quem sabe, no próximo evento, seremos mais de 10.

Leia mais colunas de Marcos Piangers
:: E a sua mãe também
:: Um mundo amigável
:: Férias!

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna