Piangers: Pais são duros com os filhos para que não sejam insolentes, arrogantes, desaforados

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Ninjas invisíveis cortadores de cebola me fizeram chorar no momento em que conversava com um amigo e ele me respondeu à pergunta: “Qual você acha que foi seu maior erro como pai?”. Ele tem dois filhos, um de 15 anos e uma garotinha de dois. “Acho que fui duro demais com meu primeiro filho”, ele disse. Chorei na hora porque acho que também fui duro demais com você, Anita.

Acho que a grande decepção da vida da minha filha mais velha, minha companheira de passeios, minha amiga de conversas antes de dormir, minha primogênita e por sete anos a dona de toda minha atenção, acho que sua grande decepção foi quando tive uma outra paixão, sua irmã mais nova. Quando dividi minha atenção, meu café da manhã, minhas brincadeiras de beijar barriga, meu amor e meu carinho. Acho que ela se sente magoada até hoje.

E acho que todas as vezes que ela tentou chamar minha atenção, da forma infantil como as crianças tentam chamar nossa atenção, fui duro e seco. Todas as vezes em que ela falou coisas feias ou fez algo apenas para me chamar atenção, para dizer “Eu ainda existo, pai!”, para recuperar seu posto eternamente perdido de filha única, percebi como pirraça e fui duro. Fui duro como minha mãe foi, às vezes, e como os namorados da minha mãe eram quase sempre. Fui firme, como eles, para que ela não virasse uma pessoa ruim, para que não achasse que poderia ter tudo, para que não se tornasse uma dessas adolescentes que não dão valor a nada. Em geral, pais são duros com os filhos para que não sejam insolentes, arrogantes, desaforados. Somos duros para que sejam bons.

Acho que fui duro, muitas vezes. Acho que ser duro é importante e impor limites nos ajuda a tornar nossos filhos pessoas melhores. Só me arrependo de, tantas vezes, não ter explicado por que estava sendo duro. Não ter sido gentil, ao mesmo tempo em que era firme. Erramos por falta de tempo, de paciência. Apenas depois de ser pai entendi os erros da minha mãe. E perdoei-os. Perdoe meus erros, minha filha.

Leia mais colunas do Piangers:
:: Piangers: Quando falamos sobre família, estamos falando sobre nossos sentimentos mais íntimos
:: Nada me aumenta mais o coração do que um pai que se flagra da importância de estar perto dos filhos
:: “Nada deixa um pai mais orgulhoso do que ouvir um elogio aos filhos”

Leia mais
Comente

Hot no Donna