Piangers: Por que não temos babá

Não se deixe enganar pelas fotos do Instagram e pelos vídeos fofos do YouTube: ter filho é terrivelmente cansativo e complicado. Você vai acordar de madrugada, trocar fralda improvisadamente no meio do centro da cidade, passar um jantar inteiro ouvindo um choro incessante no meio do restaurante. É desgastante, é desafiador, muitas vezes é constrangedor ter um filho. Nada disso está no Instagram.

Nossas filhas estão em uma fase autônoma atualmente. A de 11 já lava a louça, a de quatro vai ao banheiro sozinha. Mas, pra chegar até aqui, senhoras e senhores, foi tão difícil que vou te contar. Precisamos da ajuda de vizinhos, amigos, professoras da escolinha. Desejei ter minha mãe por perto pra nos ajudar. Desejei ter minha sogra por perto – a distância me fez ver o quanto piadas de sogra são injustas. Desejei ter uma babá milhões de vezes. Mas nunca tivemos babá. Nem empregada. Nem assistente do lar.

Se eu tivesse uma babá, teria perdido tanta coisa. Teria perdido uma vez que fiquei das duas da manhã até o nascer do sol fazendo a Aurora dormir, embalando-a em um sling, e ir trabalhar me sentindo o maior mestre encantador de bebês. Teria perdido a primeira vez que a Anita descobriu o sabor de um abacate amassado. Teria perdido a primeira descida de escorregador. A vez que minha filha descobriu, com um sorriso no rosto, como era divertido andar nos ombros do pai. O primeiro dente nascendo. O dia que ela pegou a chupeta. O dia que largou.
Teria perdido tanta coisa se eu tivesse babá cuidando o tempo todo das minhas filhas. Teria sentido que elas mesmas não teriam tido a chance de cuidar da própria família. Quero que as babás cuidem das próprias filhas, vivam tudo o que vivi. Que se formem advogadas, médicas, engenheiras. Que seja impossível achar babás no Brasil, porque estão todas formadas, trabalhando e criando seus filhos. Vendo-os aprendendo a andar, a falar, a ir ao banheiro sozinhos e a lavar a louça.
Minha esposa e eu tivemos que abrir mão de um monte de coisas pra chegarmos aqui. Não estamos por dentro das séries do momento, não vemos um filme faz séculos, agora que estamos conseguindo voltar a ler livros. Jantares sozinhos são tão raros. Minha esposa abriu mão de empregos, eu disse não pra oportunidades na TV. Mas ali estão nossas garotas, lavando a louça e indo ao banheiro sozinhas. Gente, dá um orgulho tão grande.
Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna