Poodle amistoso

Saiba o que fazer em situações em que pessoas levam outros convidados a reuniões

Foto: Arquivo Pessoal

Uma convidada levar um parente ou amigo para uma pequena reunião ou uma festa sem pedir licença aos anfitriões não é correto. Imagina se esta pessoa ainda aparece com um cãozinho. No caso da história verídica que conto na coluna do Donna aquela convidada ao ver o cachorrinho deveria ter dito que não era possível levá-lo.

O que você faria como anfitriã neste caso?

Quanto a mim, receberia o trio com dupla surpresa: primeiro a presença da amiga da convidada, segundo pelo cachorrinho. Mas os receberia bem. Após os cumprimentos iniciais, diria que o apartamento é pequeno e não tem um local para deixar o pet confortavelmente. Mas, tive esperanças que ele seria como tantos outros que ficam junto das suas donas e não molestam ninguém.

Lembro aqui dos desfiles do Donna Fashion Iguatemi, sempre assistidos por uma jovem senhora que leva sua poodle cheia de lacinhos, muito bem comportada em seu colo. Às vezes até dorme, sem se incomodar com o som e os aplausos. Na nossa história real, o problema não é do cãozinho, mas da dona que não sabe educá-lo.

Ele foi bem recebido até pelos convidados que lhe fizeram festa, mas, pouco a pouco, foi perturbando o ambiente com o seu vaivém. Eu falaria então com a minha convidada – a responsável pelos dois extras – para que tomasse uma providência: ele ficaria na pequena área de serviço?

Se esta última tentativa não desse certo, pediria que conversasse com sua amiga. Felizmente na história real não foi preciso a anfitriã ter esta atitude. Sua convidada deu a solução cabível, retirando-se da reunião com a amiga e o animalzinho. Será que no dia seguinte ela telefonou, pedindo desculpas à sua anfitriã

Leia mais
Comente

Hot no Donna