Por que todas as mulheres devem celebrar a vitória de Gleici no Big Brother Brasil

Divulgação, BBB
Divulgação, BBB

Gleici Damasceno é estudante, tem 22 anos, é negra, feminista, periférica, politizada. Teve pouco acesso a educação, saúde, alimentação e moradia. Seu pai foi assassinado quando ainda era uma criança. Ela sofreu uma falta de empatia assustadora de alguns participantes. E  apesar de ter uma imagem extremamente estereotipada dentro da casa de pobre, mal educada e sem opinião, felizmente o público se identificou com ela e a manteve até o final, fazendo com que vencesse o programa na noite de ontem (19) com voto popular. Foram mais de 100 milhões de votos!

download

Com certeza a vida dela não foi fácil, ainda mais tendo nascido em um estado tão excluído do restante do território brasileiro. É a primeira vez que um acreano esteve no BBB. Para minha alegria, é uma pessoa incrível e rica para discutirmos.

 

Wagner, seu romance na casa, costumava dizer que ela é a típica mulher brasileira. Não acho que a mulher brasileira tenha realmente uma “cara”, mas se fosse para dar uma, talvez ela definisse muito do que acontece por aqui. Muitas histórias se parecem com a dela. Porque podemos tentar manter os olhos fechados, mas o privilégio é para poucos.

Gleici não é a primeira mulher negra e periférica a vencer o BBB, mas talvez seja a mais simbólica e que lembraremos por mais tempo, justamente por ser de onde é e por estarmos em um momento de tanta discussão do feminismo. Por diversas vezes ela manteve discursos do movimento durante sua participação. Por exemplo: quando uma sister disse que “mulher tem que se valorizar”, pois os homens sabem que sempre há opções disponíveis e que “quando o cardápio restringe, eles dão mais valor (socorro!)”, a Gleici disse que não é bem assim, pois não somos comidas. Ela foi criada praticamente só pela mãe e se tornou feminista vendo tudo que a mãe passou.

6454031_x720

Lá dentro do “game” parece que a galera não a compreendeu muito bem. Ela enfrentou diversos paredões e sofreu rejeição de muitos participantes, que não compreendiam seu jeito mais reservado e simples. Foi considerada fraca, julgada preconceituosamente pela sua maneira de ser, pela sua origem e até ouviu que dificilmente um homem se interessaria por ela (oi?).

A Tia Má, jornalista e ativista, de quem sempre compartilho opiniões, fez um texto muito real da representação da vitória da Gleici:

Vão duvidar de você! Vão duvidar tanto, até que você duvide de VOCÊ! Foi assim com @gleicidamasceno! Ela foi o alvo preferencial dos escárnios proferidos durante essa edição do #bbb. Era perceptível o ódio de classe, de raça, de gênero, de região. #gleicibbb18 reunia em um único pacote tudo que muita gente odeia. Duvidaram até da sua capacidade de ser desejada. Como assim, um padrão como @wagnersantiago_ estaria interessado nela? E com toda aparência frágil, era forte, sagaz, crítica, politizada. #gleicidamasceno fugia completamente dos padrões estereotipados associados a mulher negra. Não era gaiata, não se colocava na função de cuidadora, não era a gostosona atraente, nunca buscou ser a "mulata tipo exportação", como uma das integrantes disse ser o protótipo da Mulher brasileira. O que muitas pessoas não entederam, ou não queriam assumir é que #gleici é a cara do Brasil justamente por ser ela. Aquela que é humilhada, vira o motivo de chacota por ter uma vida difícil, e que suas dores não sensibilizam. Desqualificam o seu sofrimento chamando de #vitimismo #mimimi #coitadismo. #gleicibbb me fez lembrar de todas as vezes que minha mãe me disse e me diz: " Os humilhados serão exaltados". A garota que veio do #acre, #regiaonorte, se tornou símbolo de esperança. Porque milhares de pessoas se olharam e se enxergaram nela. A garota desacreditada, que precisa seguir em frente todos os dias. Porque mesmo com todos os empecilhos, não tem direito, nem tempo, de se lamentar. Depreciar nossas dores é uma forma de negar a nossa humanidade. É enlouquecedor! E com todos os motivos para adoecer emocionalmente, com a força de quem olhou e se reconheceu, @gleicidasmaceno foi eliminando cada um que a reduziu. Foi um pacto de #formigas. Onde quem é visto como pequeno e insignificante, se uniu, e de forma coletiva orquestrau uma grande Vitória. Gleici ficar milionária não muda a história do Brasil. Mas diminui sim um pouco da desigualdade. É uma família preta que sai da linha da pobreza. Porque são nos piores índices sócio econômicos que nos encontramos, e cada família que a gente tira da miséria já é uma pequena REVOLUÇÃO! #gleicicampea #bbb #bigbrotherbrasil #teamgleici

A post shared by Maíra Azevedo (@tiamaoficial) on

A maioria aqui fora estava com ela, inclusive a ex-presidente Dilma que fez questão de parabenizá-la também:

Ao sair, a acreana deixou uma mensagem para que todos acreditem em seus sonhos. Acho que se tivesse que resumir em uma palavra a participação e vitória da Gleici dentro do Big Brother Brasil seria essa: esperança.

Leia também
:: Opinião: mas por que uma negra não poderia representar o Rio Grande do Sul, afinal?
:: #MariellePresente: “Perdemos uma grande pessoa, que usava sua voz, sua luta e todos os espaços para dar valor à mulher”

 

Leia mais
Comente

Hot no Donna