Qual seu Dia das Mães inesquecível? Sete leitoras de Donna contam suas histórias

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Se tem uma data que mexe com o coração da gente é esta: Dia das Mães no segundo domingo de maio.
Tem a apresentação da escola, o cartão feito à mão, o almoço de domingo… Quem não se emociona, né?

Conversamos com algumas mamães do grupo de Mães Donna no Facebook e perguntamos: Qual seu Dia das Mães inesquecível?” Olha o que elas contaram!

“Eu não posso deixar de lembrar do ano retrasado, nessa mesma data, em que estava com meu filho internado na UTI e mal pude pegá-lo no colo. Então, uma amiga querida, que tenho como uma mãe, abdicou de estar com seus filhos para estar ao meu lado no hospital, me levando um buquê de flores para me homenagear no meu primeiro Dia das Mães.”
Camila Vidal, 32 anos, administradora (foto abaixo)

32235599_10212917455544530_5710260557353844736_n

“Esse ano será inesquecível, pois há seis meses ganhei meu maior presente, minha bebezinha 💗
Mãe de primeira viagem, tô sentindo uma emoção sem igual. Sempre quis um Dia das mães, com minha filha e minha mãe, meus maiores tesouros.”
Alexandra Turella, 33 anos, empresária (foto abaixo)

Alexandra Turella

“Meu Dia das Mães mais incrível foi em 2013, depois de nove anos tentando ser mãe, alguns abortos, uma fertilização in vitro sem sucesso. Dois meses antes, tive um gravidez ectópica com perda da trompa. E em maio de 2013 com o pé quebrado descobri que estava grávida. Só eu, minha mãe e meu ginecocologista sabíamos. E assim foi por 16 semanas, até passar a fase mais crítica e ter certeza que a gravidez iria evoluir. Foi um dia das mães espetacular e em segredo. Fui a mãe solo mais feliz naquele ano.”
Ana Gabriela Nery Gonçalves, 44 anos, professora (foto abaixo)

Ana Gabriela Nery Gonçalves

“Há 13 anos eu tenho o melhor Dia das Mães, desde que nasceu minha filha, Mariah. Lembro de um em especial que ela juntou todas as moedas do cofrinho dela e foi comprar, de surpresa, um batom pra mim com ajuda da avó.”
Fernanda Padoin, 40 anos, publicitária (foto abaixo)

Fernanda Padoin

“Um dos Dias das Mães mais inesquecível que tive foi em 2015. Poucos meses antes tive um aborto espontâneo de um bebê tão desejado, que cheguei a escutar os batimentos cardíacos na ecografia. Estava muito triste e viajei de férias com o meu marido para a Espanha e Portugal. Estava longe da minha mãe e no dia estava no Castelo de São Jorge, em Lisboa, vendo aquela vista linda e pensei e desejei: no próximo Dia das Mães vou ter o meu bebê. E não é que se realizou? Estava grávida em maio do ano seguinte, minha filha nasceu 9 dias depois e eu estava com minha mãe. Fui ao extremo de um ano para o outro. Da tristeza da perda, à felicidade do meu maior presente estar chegando”.
Melissa Casani Abreu, 37 anos, administradora e mãe da Letícia, 2 anos (foto abaixo)
Melissa Casani Abreu

“Nem só de felicidade se faz uma mãe, mas também de angústias. Dia das Mães é sempre bom com os filhos, mas em 2012 meu segundo filho nasceu prematuro e foi para a U.T.I. neonatal. Nos primeiros sete dias foi uma luta com o respirador artificial. No sábado do final de semana do Dia das mães ele havia passado bem, mas no domingo ele havia piorado. Que dor imensa ver um ser tão indefeso e logo no Dia das Mães ter uma piora clínica. Meu mundo caiu, desabou. Ficamos ali com ele o dia inteiro e eu tendo que me manter forte, pois ele precisava de mim. Foi o dia das mães mais inesquecível porque tive medo, muito medo de perdê-lo e esse sentimento não te deixa indiferente em uma situação extrema como aquela. Mas também saí fortificada quanto mãe, aprendendo a abrandar a minha dor pra curar e acalantar um ser que necessitava de mim!”.
Vanessa Amorim Rossoni, 34 anos, professora (foto abaixo)

Vanessa Amorim Rossoni

“Em 2011 minha mãe trabalhou até o final da tarde. Só então pude comemorar com ela. Cheguei em nossa casa e ela acabara de tomar banho. Estava com aquele cheirinho bom de mãe! Perfume de pitanga. Fizemos uma espécie de café colonial e rimos muito. Houve muitos abraços também. Ela fez questão de usar as roupas e o tênis que eu e minhas irmãs demos de presente. Fui embora com meu marido e filho, com meu coração cheio de amor. No dia seguinte ela faleceu de uma doença hepática, aos 55 anos”.
Mel Thiesen Flores, 39 anos, mãe em tempo integral

E você? Qual foi seu Dia das Mães que não sai da sua memória (e do seu coração). Conta pra gente no comentários aí embaixo. E Feliz Dias das Mães!

Leia mais
:: Não aceitamos crianças: onda “childfree” em pousadas e restaurantes divide opiniões
:: Fotos de parto como você nunca viu: duas brasileiras ganham prêmio mundial de fotografia de nascimentos
:: Mães preferem ficar sozinhas nas horas de lazer, aponta pesquisa
:: Dicas de apps e sites para facilitar a vida das mães multitarefas

Leia mais
Comente

Hot no Donna