Sete dicas para as mães solteiras que querem voltar a namorar

Foto: Pexels
Foto: Pexels

Você sabe que, após o término de um relacionamento, há um tempo natural para voltar a namorar e sentir o gostinho da liberdade novamente. Quando você é mãe, essa decisão exige um cuidado maior, pois existem outros fatores – e vidas – envolvidos.

A psicóloga e coach de realização pessoal e profissional Renata Reston dá algumas dicas de como retomar a vida amorosa após a chegada de uma criança:

1. Não precisa revelar tudo da sua vida logo de cara

Quando marcar um primeiro encontro, você não precisa falar do seu filho. Afinal, você ainda não sabe se ele merece realmente saber tudo sobre a sua vida. Às vezes, ao sair pela primeira vez, muitas mulheres contam todo o seu passado para alguém que recém está conhecendo – e os homens não sabem lidar muito bem com tantas informações e podem fugir de uma experiência legal..

2. Escolha o momento de se mostrar

O que determina quando você vai contar do seu filho depende do grau de envolvimento: espere ele contar sobre a vida dele para irem trocando histórias. Assim, os dois vão se conhecendo gradualmente, sem cobranças. Se após você contar, ele não a procurar mais, entenda que não está preparado para assumir a relação.

3. Priorize seus encontros

Cuide para não negligenciar suas prioridades. É fácil chegar em casa e se acomodar porque está cansada, mas faça um esforço para sair e se distrair. Se você marcou encontro, mas acha que vai dar errado, confie na sua intuição Não é obrigação ir a um encontro se você ainda não estiver preparada.

4. Desafie-se nos aplicativos de relacionamento

O mundo online hoje é a porta para muitas possibilidades, mas tenha sempre bem claro que pode também encontrar alguns caras que não valem a pena. Mas calma! Existem outras tantas pessoas legais também, confie que você terá algumas experiências boas e algumas para dar risada depois.

5. Livre-se do sentimento de culpa

Não se sinta culpada por deixar seu filho em casa (com alguém responsável) enquanto você sai. Tenha em mente que essa é a sua hora de relaxar e curtir. Mãe também é gente.

6. Espero o momento ideal para apresentar o namorado ao filho

O relacionamento engrenou? Apresente seu namorado para a criança apenas quando estiver certeza do que está sentindo. As relações familiares são bases muito importantes para o desenvolvimento de crianças, portanto a aproximação entre os dois (namorado e filhos) deve ser aos poucos, inserindo um na rotina do outro e sempre deixando claro que tipo de relação você mantém com a família do pai do seu filho.

7. Encontre o equilíbrio

Se você se apaixonar, saiba organizar seu tempo entre seus dois interesses não abandonando seu filho, e tampouco se esquecendo de dar atenção para seu namorado. A relação deve ser divertida e fortalecedora.

Quer saber como todas essas dicas funcionam na prática? Então, confira o depoimento de suas mães que estão vivendo essa experiência:

Mariah, 24 anos, mãe de gêmeos de 1 ano e 10 meses:

“Antes de ser mãe, eu não tinha limitações nem me preocupava em explicar algumas coisas. Hoje, tenho dias certos na semana para poder sair e não tenho a mesma disposição de antes para me envolver com alguém. Depois da maternidade, não consigo me abrir facilmente para qualquer pessoa e penso muito mais em curtir do que ter um relacionamento. Mas, ao mesmo tempo, não é qualquer pessoa que eu considero para sair e ficar. Mesmo que seja algo sem ‘compromisso’, penso como isso pode me afetar ou aos meus filhos. Por sorte, todos até agora reagiram bem ao saber que sou mãe, mas me incomoda muito quando eles me elogiam usando ‘Que mamãe bonita’ ou ‘Nossa, mas tu tá muito bem pra quem teve filhos’. Já tive experiências também em que os caras achavam que tinham que ter um relacionamento sério comigo para poder conhecer meus filhos ou que, por ser mãe, eu estava buscando um relacionamento sério. Ou até um pai para eles – meus filhos já têm pai, galera, eu só quero conhecer pessoas mesmo, eu respondo. Atualmente não penso em relacionamentos sérios, mas quando rolar, espero que seja uma pessoa bem-resolvida, que entenda e saiba conhecer a Mariah mulher e respeitar a Mariah mãe também.” 

 

 Raquel, mãe de um menino de 4 anos

“No início, depois da separação, me sentia meio culpada de sair, parecia que estava fazendo algo errado, me sentia deslocada, queria sair correndo do lugar. Demorei para retomar minha vida de ‘mulher’. Só que, com o tempo fui me sentindo muito sozinha pois não tinha uma amiga na mesma situação.
Por meio do Facebook, conheci um grupo de mães chamado Mães Solo: entrei, conversei com elas e descobri que existia também um grupo no Whatsapp. Ali comecei a dividir minhas angústias e meus receios, e elas também falavam das suas experiências, das dificuldades. A maioria ali não tinha guarda compartilhada, então precisavam estar com os filhos e trabalhar, e acabavam optando por conhecer alguém através dos aplicativos de relacionamento. Aí, um dia decidi: “Vou ver qual é’. Foi então que conheci uma pessoa com quem fiquei conversando por uns três meses até resolvermos nos conhecer pessoalmente. Ele morava em outra cidade, onde eu tinha parentes, e fui até lá. Ainda não sei o que estou procurando ao certo, só sei que quero me relacionar com pessoas que já tenham filhos também e entendam minha situação. Em relação ao meu filho, ele acha que trata-se apenas de um amigo meu, não apresento como relacionamento, até porque ele já teve uma grande decepção com o pai. E meu filho é minha prioridade.”


Mais colunas da Vanessa:
:: Dicas de apps e sites para facilitar a vida das mães multitarefas
:: 10 atrações em Porto Alegre para curtir com as crianças
:: Dicas para lidar com o ciúme do irmão com a chegada de um bebê à família

Leia mais
Comente

Hot no Donna