Autocoaching: 5 dicas para melhorar no trabalho e na vida pessoal

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Autocoaching é mais do que um nome bonito para autoajuda: inclui se autoajudar, é claro, porém com o uso de técnicas multidisciplinares que levam à reflexão e, principalmente, à ação. O objetivo é você treinar coaching em si mesma.

– O autocoaching não é invencionice. Eu mesma fiz, vi que funciona e decidi espalhar essa benesse para mais gente – conta a autora do projeto Manual de Você, Bru Fioreti, jornalista e coach de carreira, business e psicologia positiva, membro da Sociedade Brasileira de Coaching.

Como funciona, na teoria: você lê os textos e faz os exercícios propostos. Sim, é preciso treinar mesmo. Lembre-se de que mudança nenhuma ocorre sem alguma ação.

– Descobri isso antes até de ser coach, quando lancei a hashtag #menosmimimimaisação nas redes sociais, quando queria me treinar a parar de reclamar da vida – explica.

Bru Fioreti dá cursos em Porto Alegre nos dias 24 e 25 sobre marca pessoal e autoconhecimento. Foto: Caue Moreno/Divulgação

Foto: Caue Moreno/Divulgação

:: Bru Fioreti dá cursos em Porto Alegre nos dias 24 e 25 sobre marca pessoal e autoconhecimento: inscrições e informações dos cursos em bit.ly/coach03.

A seguir, Bruna lista os pontos para você começar a praticar em casa.

Antes de tudo, o básico
“Coaching não é terapia, não é consultoria, embora beba nessas fontes. O coach não te entrega nada mastigado, ele questiona até que o cliente encontre as respostas. E isso tem poder! Ele faz a pessoa realizar seus sonhos, desde que ela colabore, ok? O trabalho duro é seu! Ele não motiva, e sim ajuda a pessoa a encontrar o que a motiva.”

3

Ninguém motiva ninguém
“A motivação é sempre intrínseca, sempre é “auto”. E aí dá para começar a entender por que o coaching só é efetivo ao gerar autoconhecimento – não é a figura do coach que leva a pessoa a agir. É a própria pessoa. Sabendo seus valores e seus objetivos, você aprende onde nasce sua motivação e como acessá-la. Aí o processo avança e começa uma enxurrada de ânimo, de ação, de foco, de produtividade. Mas a mágica já estava lá dentro! Sempre esteve.”

2

Perguntas poderosas
“São perguntas que podem ser absolutamente simples, mas que geram profundas reflexões e transformações nas pessoas. Respondê-las é a chave para sair da zona de conforto, desafiar crenças, planejar a ação, entender seus gargalos, mudar o rumo, construir uma vida mais autêntica. São perguntas que normalmente não ousamos fazer e que podem, sozinhas, ter um profundo impacto dependendo do momento pessoal. Por que você está fazendo o que está fazendo? Ou por que você não está fazendo? Ao ler isso, algo pipocou aí na sua mente? Se sim, você está começando a entender o autocoaching. E se só pareceu uma pergunta estranha, também.”

5

Como eu faço?
“Tudo se inicia com uma pergunta: o que você gostaria de melhorar fazendo autocoaching? Sempre há algo a evoluir, a investigar e que maravilha existir uma prática que fornece um atalho para isso. A sugestão é escrever a resposta o mais detalhadamente possível, para que as ideias se organizem, escapem da entropia mental e ganhem corpo no papel — ou na tela do computador.”

1

Caderno de Você
“O ‘querido diário’ tinha uma função: ajudava a entender o que havia se passado no dia, a processar acontecimentos ruins, cristalizar lembranças, eternizar aprendizados. O ‘Caderno de Você’ – uma das bases para um bom autocoaching – faz o mesmo. E faz mais. Respondendo às perguntas poderosas, você cria as bases para dar um novo rumo e uma nova cor à sua vida, entende seus sentimentos, faz e refaz planos, cria um momento para você. É o famoso ‘journal’ ou ‘planner’, mais do que uma ferramenta que lista coisas a fazer, e sim um ‘espaço’ fixo para você conversar consigo mesmo de uma forma estruturada.

posts semanais - Modelo v03

Manual de Você
“No perfil @manualdevoce, proponho uma pergunta ou pensata por dia para manter acesa a chama do autocoaching. Se feito diariamente, o autocoaching é mais efetivo, porque fica ‘afiado’. Quando você estiver diante de uma situação desafiadora, já vai estar acostumado a se questionar. Todo dia é dia de refletir, nem que seja em pílulas, com uma única pergunta que tire você do torpor da agenda cheia, dos compromissos, das notícias… Uma boa ideia é ter um horário fixo para acionar seu Caderno de Você — de manhã ou à noite, de preferência ambos. Cinco minutinhos refletindo sobre o que aprendeu naquele dia, qual sua expectativa e quais seus maiores objetivos são suficientes para estimular a automotivação nossa de cada dia. O questionamento é a fonte de aprendizado e crescimento. Use novas perguntas em vez de se contentar com suas velhas respostas.”

Leia mais:
:: Fala que elas te escutam: projeto de coaching oferece acompanhamento emocional para novas mães
:: Processo de coaching para mulheres é baseado no autoconhecimento
:: Voltado para a carreira, o coaching ganha projeção em outras áreas do comportamento

Leia mais
Comente

Hot no Donna