“Cara de poucos amigos” é uma expressão facial universal, afirma estudo

Mirandas Priestly e Paolas Bracho deste mundão podem comemorar. Ao que tudo indica, qualquer um consegue entender exatamente o que você “quer dizer” quando franze as sombrancelhas, pressiona os lábios e levanta o queixo. Aqui no Brasil, podemos chamar de “cara de poucos amigos” ou, também popular, “cara de bunda”. Mais ou menos assim:

578534-Melhores-frases-de-Paola-Bracho

Ou assim:

Kanye-Not-Face

A expressão facial em inglês “not face” no sentido adaptado seria uma combinação de “raiva”, “aversão” e “desprezo”. Nos Estados Unidos, ganhou o apelido de “Resting Bitch Face”. Aquela que algumas pessoas fazem quando estão “deprezando” alguém ou alguma situação (ou que simplesmente são assim).

Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, publicada na última edição da revista Cognition, esta expressão transcende línguas e barreras culturais e pode ser entendida como um semblante universalmente. Pode parecer brincadeira, mas existem outros estudos que tentam entender o que, exatamente, essa expressão quer dizer.

:: Estudo afirma que uma taça de vinho é equivalente a uma hora na academia
:: Tratar mal o parceiro pode ser determinante na hora da conquista, diz pesquisa

Na pesquisa da universidade norte-americana,  foi feito um levantamento de imagens de jovens conversando em inglês, espanhol e mandarim. Depois, foram analisadas as expressões faciais com base na linguagem gestual dos americanos, categorizando essas expressões. Quando a resposta desses jovens analisados era negativa, lá vinha a cara de desgosto. E os pesquisadores encontraram uma série de semelhanças, entre elas as sombrancelhas franzidas, os lábios pressionados e o queixo levantado em forma de desprezo que comentamos ali em cima. Cientificamente, a expressão pode ser traduzida como “não concordo”.

— Esta é a primeira evidência de que as expressões faciais que usamos para comunicar o julgamento moral negativo compõem uma expressão única, que é parte de uma linguagem universal — explicou Aleix Martinez, cientista cognitivo e um dos professores resposáveis pela pesquisa.

Então né, já sabem: se você não gostar, vai ter que disfarçar!

Então né, já sabem: se você não gostar, vai ter que disfarçar!

Leia mais
Comente

Hot no Donna