Como lidar com a raiva: veja dicas para controlar a emoção e preservar sua saúde física e mental

Foto: Pexels
Foto: Pexels

A raiva é um sentimento e sentir isso é normal. No entanto, segundo a neuropsicóloga Thaís Quaranta, quando a emoção é constante e fica fora de controle, pode ser um sinal de alerta.

A questão é: nem engolir sapos, nem soltar os cachorros. Conforme a neuropsicóloga, há maneiras mais construtivas de gerenciar a raiva.

Veja algumas dicas:

Sentir raiva é normal

Se você aprendeu quando criança que só pessoas ruins sentem raiva ou que ela é negativa, livre-se já desta crença! Sentir raiva é normal, permita-se viver essa emoção, mas de uma maneira saudável.

Identifique a origem da raiva

A raiva nem sempre está ligada a fatores externos. De onde vem a sua raiva? Do que você sente raiva? Em que situações ela acontece com maior frequência?

Não faça nada com raiva

A raiva inibe o controle dos impulsos. Isso significa que no auge da sua irritação, você pode tomar atitudes que você não tomaria no seu estado normal. Isso não quer dizer que você deve reprimi-la. Procure se acalmar para então resolver a situação.

Fale sobre a raiva

Falar sempre é uma boa ideia. Quando você estiver mais calmo (a), converse com alguém e expresse o que você sentiu naquela situação, porque sentiu raiva e pense em alternativas para solucionar a questão. Uma dica: não espere semanas ou meses para fazer isso. Basta estar mais calmo e não no ápice da ira.

Lembre-se: você é humana

Trabalhar, cuidar dos filhos, da casa, das compras, dos familiares, estudar. Enfim, a rotina diária pode ser muito pesada para algumas pessoas e o estresse é o melhor amigo da raiva, quando não é bem gerenciado. Peça ajuda, divida as tarefas da casa e, principalmente, dedique um tempo do dia para cuidar de você ou para fazer algo que você gosta. Isso ajuda a diminuir o estresse e o risco de ter uma explosão de raiva.

Ache soluções

Você sente raiva de forma recorrente? Está sempre de mal com a vida? Tome uma atitude! A raiva não vai resolver seus problemas, pode até piorá-los. O que vai realmente ajudar é pensar em soluções, alternativas para as questões que fazem você sentir raiva.

Reprimir a raiva também faz mal

Se por um lado ter explosões de raiva e partir para violência física não são atitudes adequadas, reprimir esse sentimento também pode fazer mal à saúde.

– O que nem todo mundo sabe é que a raiva reprimida pode se transformar em vários outros sentimentos, como culpa, remorso, rejeição, frustração e até mesmo em doenças físicas e psiquiátricas”, diz a psicóloga.

Que tal um psicólogo?

Você já tentou de tudo e nada resolveu? Procure um psicólogo. Principalmente se você se envolve em brigas físicas e se a raiva está comprometendo sua vida social, familiar e profissional.

Leia mais:
:: Por que você deve usar as emoções como bússola para ajudar nas suas decisões
:: Pesquisa mostra que olhos podem revelar pensamentos e refletir emoções
:: Dificuldade em expressar emoções pode levar a ataque de pânico
:: Montanha-russa de emoções: transtorno bipolar tem difícil diagnóstico, mas pode ser tratado

 

Leia mais
Comente

Hot no Donna