Como o networking aproxima mulheres e impulsiona carreiras

(Foto: Mateus Bruxel)
(Foto: Mateus Bruxel)

É difícil rastrear o início de um bom negócio. Em geral, começa com uma boa ideia, e as boas ideias surgem nos lugares mais inusitados. A de Ana Carolina Schmidt surgiu entre patas, estribos e selas em meio às competições de hipismo que ela frequentava com as filhas, apaixonadas por cavalos.

O insight veio há quatro anos, ao ver as garotas garimpando, decepcionadas, as prateleiras das inúmeras lojinhas que acompanham esse tipo de evento. Elas e tantas outras gurias.

– As pessoas que têm um hobby não compram apenas produtos para praticá-los. Elas querem ter de tudo em relação a ele. Um rapaz que gosta de surfe, por exemplo, não compra apenas pranchas. Compra camisetas, compra óculos de sol, compra tênis… Quem monta ama cavalos. Só quer saber disso. Percebi a falta desses produtos relacionados ao cavalo para as mulheres. Coisas de moda mesmo: bolsas, correntinhas, sandálias – conta Ana Carolina.

:: Veja dicas de como mudar de carreira
:: Namora um colega de trabalho? Veja dicas para não desgastar o relacionamento nem a carreira

De boas ideias o mundo está cheio. A diferença está em quem consegue tirá-las do papel. No caso de Ana Carolina, ela não fazia a menor ideia de por onde começar uma marca de produtos de moda relacionados a esportes de montaria. Aí entra um fenômeno que se multiplica pelo Estado: as redes de networking de mulheres. São grupos de mulheres dispostas a indicar umas às outras para fomentar seus negócios em rede.

 

Networking ajudou Ana Carolina a viabilizar a ideia de uma marca que misturasse moda e hipismo.

Networking ajudou Ana Carolina Schmidt a viabilizar a ideia de uma marca que misturasse moda e hipismo.

No caso de Ana Carolina, à época professora universitária, a sorte foi ter entre as suas alunas Manuela Damasceno. Estudante de marketing, Manu trazia experiência em networking da época em que era blogueira de casamentos, criando feiras e eventos para noivas no Vale do Sinos. Ao lado das amigas Manoeli Marschner Rodrigues e Bruna Bacin Rauber, ela fundava o Entre Elas, uma rede de profissionais voltadas “ao intraempreendedorismo e o empoderamento da mulher em todas as pontas”. A primeira edição seria na unidade da Ftec de Novo Hamburgo, em 2012:

– Me interessei pela ideia e fui lá sem cartões, sem nada. Só para escutar. Além de sair de lá com contatos bacanas, é interessante ouvir a história de outras mulheres empreendendo porque tu pensas: “Poxa, que legal, então eu também posso”. Cheguei em casa e disse para o meu marido: “E aí, encaramos essa ou você prefere continuar trabalhando em curtumes para o resto da vida?” – diz a hoje empresária.

 

Grabriele Rech teve em Ana Carolina a primeira cliente de sua consultoria administrativa.

Grabriele Rech teve em Ana Carolina a primeira cliente de sua consultoria administrativa.

Um negócio fomenta outros

A história de Ana Carolina é sobre a fundação da marca Empório Caron, que funciona com vendas online e aluga estandes em feiras agropecuárias, competições de hipismo e rodeios pelo país. Sempre com um cavalinho de perfil que é sua marca registrada, a Empório comercializa produtos bolsas, chinelos, alpargatas e sandálias. A grande sacada, segundo Ana Carolina, foi sua linha de biquínis, desenhada por um contato feito no Entre Elas, a da consultora especialista em reformulação de imagem e estilo, Cristtiane Guimaraez.

– Nós nos conhecemos em uma palestra que dei sobre empoderamento da mulher por meio da sua imagem. Durante a palestra, mostrei alguns produtos que havíamos desenvolvido na minha empresa, entre eles um biquíni. Ana se interessou e me procurou com essa ideia de usar referências do hipismo para roupas de banho. Na lateral da calcinha, por exemplo, usamos uma pecinha de metal inspirada nos bridões (peça que vai no bocal do cavalo). Já estamos desenvolvendo uma nova coleção – conta a consultora.

:: Confraria do Batom reúne mulheres em torno de questões profissionais e afetivas
:: 5 erros que comprometem sua carreira

Assim funcionam as redes de networking. O tema da palestra da Cristtiane não tinha muito a ver com o trabalho de Ana Carolina, mas um slide sobre um biquíni foi o suficiente para o estalo de formar uma parceria. Ali nasceu espontaneamente a ideia de um produto inovador que foi um tremendo sucesso. Também do grupo Entre Elas, Ana Carolina conseguiu uma profissional para desenvolver embalagens que, ao mesmo tempo, servissem para transportar e para exibir os produtos de feira em feira da Empório Caron, a designer de interiores Greice Borges.

– Sempre trabalhei por indicação, então quando comecei uma empresa decidi trabalhar em um coworking (o Blend, de Novo Hamburgo). Ali conheci a Gabriele Rech, que também é do Entre Elas e trabalha com a Ana Carolina. Foi só juntar tudo e pedir um café – brinca a designer.

A administradora Gabriele conheceu a dona da Empório Caron em um encontro do Entre Elas para apresentações rápidas de negócios, e teve em Ana sua primeira cliente de sua consultoria para implementar um sistema de controle de produção e de finanças.

– O bacana de eventos de networking é que eles não servem apenas para te dar clientes diretamente, mas para fomentar ideias. Trabalhando em casa, como trabalham muitas profissionais, é que você não vai ter insights sobre as necessidades do mercado – declara Gabriele.

 

Designer de interiores, Greice Borges desenhou estandes para Ana Carolina e trabalha em coworking com Gabriele.

Designer de interiores, Greice Borges desenhou estandes para Ana Carolina e trabalha em coworking com Gabriele.

Como e por que funciona

Assim como o Entre Elas, em Novo Hamburgo, 2009 também foi o ano de fundação da Confraria do Batom, em Porto Alegre. Conforme explica uma das suas idealizadoras, a empresária Iva Cardinal, a iniciativa surgiu como um simples grupo de mulheres interessadas em comparecer a pequenos encontros sobre temas que até hoje são os “quatro pilares” do grupo: educação financeira, sedução, bem-estar e beleza. O que começou entre 15 amigas das amigas quase sete anos depois se tornou um grupo de eventos diversificados pelos quais já passaram mais de 3 mil mulheres. Por que dá tão certo?

– As mulheres tendem a ser mais hábeis no diálogo e na partilha de informações, o que promove sinergia e reciprocidade nas suas relações. O networking proporciona um espaço para a troca de conhecimento, experiências e dicas. O resultado desse compartilhamento atrelada à mente aberta da mulher é o aumento da performance organizacional – explica Daniella Gasperin, especialista em coaching, liderança e vendas cuja palestra encerrará o próximo evento da Confraria, um Donna Talks sobre carreira e empreendedorismo no próximo dia 30, das 13h30min às 18h30min (saiba mais aqui).

Iva tem uma explicação mais simples para justificar o sucesso:

– Mulheres adoram estar juntas. Gostam de se ajudar. Ao longo do tempo, percebemos que só o que faltava era a circunstância, ter ambientes que propiciassem isso.

Nos sete anos de desenvolvimento, a Confraria do Batom diversificou a modalidade dos seus encontros. O Donna Talks, por exemplo, será um “Vai Lá e Faz”: uma série de palestras super rápidas (dois minutos) em que as participantes apresentam seus negócios. Depois, há um coffee break para interação e uma palestra final. Todas as participantes recebem os contatos de todas as outras.

Existem ainda formatos como o desafio 5 por 1, em que grupos de cinco confrades compartilham ideias para auxiliar umas nos problemas das outras dentro de 30 dias. A chave sempre é a solidariedade.

– Estimo que 95% das empresárias da Confraria são responsáveis por pequenos negócios. Quando uma ajuda a outra, recomenda os serviços uma da outra, se forma uma rede mais resistente – declara Iva.

Faça parte das redes:

Confraria do Batom

• O que é: rede que promove diferentes eventos nas áreas de independência financeira, bem-estar e beleza.
Os eventos vão de palestras a jantares ou grupos com profissionais selecionados por temas de interesse. Cada evento tem custo diferente para as empresas interessadas em se apresentar, para o público externo e para as confrades do Business Club, que dá acesso a benefícios como ingressos cortesia, acesso à biblioteca com mais de 200 títulos sobre negócios e grupo no Facebook. A mensalidade é R$ 90.
• Próximo evento: 30/4 – Donna Talks – Hotel Laghetto Viverone, Porto Alegre (Rua Dr. Vale, 579), das 13h30min às 18h30min. Na programação, estão a mostra de produtos e serviços e o networking Vai Lá e Faz. A gerente de marketing Maria Eduarda Soccal, do Grupo Dimed/Panvel, e Sabrina Rosa, presidente da De Sírius Cosméticos, comandam o papo Minutos que Inspiram. A palestra final, por Daniella Gasperin, tem como tema “Do despertar à inquietação: o desafio da carreira e do empreendedorismo feminino”. Saiba mais aqui.
• Ingressos: ingresse.com/donnatalkscarreira
• Site: confrariadobatom.com.br

Entre Elas

• O que é: grupo que promove eventos bimestrais, sempre das 19h às 22h. No mês em que o Entre Elas não acontece, há um curso ou um workshop sobre um tema específico. Os eventos são abertos a qualquer mulher interessada. Em geral, a programação conta com uma palestra de tema diverso e uma “história empreendedora”. Antes e depois das explanações, há um café voltado ao networking e sorteios. Cada encontro tem um valor específico, mas há ainda a possibilidade de fazer parte da Rede Entre Elas a um custo anual de R$ 227. As empresas dessa rede têm a marca divulgada no site e acesso a benefícios como prioridade de inscrições e acesso a grupo no Facebook.

• Próximo evento: 11/5 – Encontro Entre Elas (Ftec de Novo Hamburgo – Rua Silveira Martins, 780)
Ingressos: sympla.com.br/entre-elas-maio2016__63635
• Site: entreelasnh.com.br

Jogo de Damas

• O que é: iniciativa que promove o empoderamento econômico feminino (empreendedorismo, mercado de trabalho e geração de renda) por meio do desenvolvimento de projetos próprios ou cocriação com empresas e governos. Atualmente, o Jogo de Damas oferece serviços como palestras, treinamentos, eventos in company e desenvolvimento de projetos especiais com foco em gênero. Os três pilares do grupo, idealizado por Deb Xavier, são conteúdo, networking e inspiração. Desde a criação do Jogo, em 2012, já foram realizados mais de 40 eventos em quatro regiões do Brasil. Em comemoração aos quatro anos de existência, foi promovido o encontro Virando o

Jogo: Mulher, Liderança e Negócios, em março, com palestra de diversos nomes do mercado, incluindo a consulesa da França Alexandra Loras. Homens são permitidos apenas na plateia, não entre os palestrantes.
Atualmente em fase de reformulação, o site está prestes a lançar uma nova plataforma de venda de produtos e serviços fornecidos exclusivamente por mulheres, obedecendo ao conceito “supplier diversity” (fornecedor de diversidade). O próximo evento do Jogo de Damas está previsto para junho e terá foco principal em networking: na primeira fase, batizada de Abrindo o Jogo, as participantes dividirão suas experiências de negócio. Em seguida, poderão escolher uma sequência de workshops em áreas como estruturação de negócios e direito.

• Site: fb.com/jogodedamas.me

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna