Estudo mostra como a Barbie afeta a autoestima de meninas de seis a oito anos

Um artigo divulgado na edição de setembro da revista científica Body Image observou como as bonecas Barbie afetam a percepção corporal de meninas de seis a oito anos. O resultado mostrou que as crianças que brincaram com o modelo tradicional da boneca eram mais insatisfeitas com seus corpos.

Para efeito de comparação, as meninas foram divididas em dois grupos: enquanto um deles brincou com a Barbie clássica, o outro recebeu a nova versão, com diferentes tipos de corpo, tons de pele e estilo de cabelo. Esse segundo grupo relatou uma maior segurança com a própria imagem.

A Barbie tem sido alvo de críticas por perpetuar uma padrão de beleza já analisado em um estudo anterior: segundo médicos, se a boneca fosse uma pessoa de verdade, por exemplo, ela seria fisicamente incapaz de erguer a cabeça, excessivamente grande em comparação ao resto do corpo.

Por isso, a Mattel tem feito esforços de modernizar a Barbie. Além de uma variedade de corpos e tons de pele, neste ano a empresa lançou pela primeira vez as Barbies presidente e vice.

:: Barbies com diferentes tipos de corpos e cabelos começam a ser vendidas em Porto Alegre
:: Depois das novas versões da Barbie, designer quer criar o “Ken real”
:: Barbie na política: Mattel lança novas bonecas com profissões “presidente” e “vice”

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna