Meditar é preciso: cinco técnicas de mindfulness que ajudam a lidar melhor com pressões e prazos no trabalho

Caso você ainda não tenha reparado, mindfulness é a palavra da moda. Em tempos em que a abundância de estímulos obriga todos a serem multitarefa, as técnicas de atenção plena no presente se tornaram especialmente úteis para promover duas metas do cotidiano que costumam ser vistas como contraditórias: produtividade no trabalho e qualidade de vida.

– Estimo que 95% das pessoas que me procuram têm entre 25 e 40 anos, definem-se como workaholics e, com o tempo, viram a sua vida profissional tomar conta de todas as outras áreas – afirma Ane Saraiva, criadora da Sati Consciência Plena, empresa que promove ciclos em grupo de oito semanas de desenvolvimento de mindfulness.

Em 1º de julho, Ane será uma das palestrantes do W Summit, evento que reunirá profissionais de diferentes áreas para conversas em torno de carreira, empreendedorismo e finanças em Porto Alegre. Donna questionou Ane sobre cinco técnicas do mindfulness que podem ser aplicadas no ambiente corporativo. Quem aprende a desenvolvê-las, segundo Ane, torna-se mais focado no ambiente de trabalho e menos preocupado com isso fora dele.

Foto: Pixabay, divulgação

Foto: Pixabay, divulgação

1 – Não foque no deadline, foque na tarefa

Quem nunca travou diante de uma tarefa porque o prazo para executá-la era muito curto? O fato de ser uma experiência contraditória (o prazo curto não deveria nos fazer mais rápidos?) só torna a experiência mais angustiante. Toda a prática do mindfulness gira em torno de exercitar técnicas para não se deixar levar por pensamentos que nos remetam ao passado ou ao futuro, destravando a sua execução. Foco total no presente. Portanto, cada vez que o pensamento sobre um projeto descambar para o seu prazo, para a sua repercussão, para as dificuldades em razão do seu mal planejamento prévio, afaste essas ideias.

2 – Quando estiver no seu limite, tire três minnutos

Inserir a meditação em sua rotina é sempre saudável. Mas, mesmo sem ter esse hábito, você pode usá-la de forma emergencial. Se em algum momento perceber que está prestes a chegar ao limite da pressão no ambiente de trabalho, pare e, por um período de três minutos, pense somente na sua respiração. Não julgue a respiração, não condene a respiração. Foque apenas na sensação do ar entrando nas suas narinas, enchendo os seus pulmões e, depois, sendo devolvido ao ambiente. Praticar o “espaço de respiração”, segundo Ane, funciona como um “botão de reset” na sua mente e pode ser feito em qualquer lugar.

3 – Trabalhe a sua resiliência

Entender o significado desse substantivo é outra chave para decifrar o mindfulness. A pessoa resiliente se adapta mais rapidamente e com mais facilidade a dificuldades que eventualmente surgem ao longo da execução de uma tarefa. Não é questão de passividade ou de conformismo, mas de não perder tempo em um problema que não se resolve. O exercício é sempre se questionar se esbravejar diante de uma dificuldade terá algum efeito prático em diminuí-la. Se você não pode solucionar um problema, solucionado ele está. Adapte seus prazos, reconfigure suas rotinas e siga em frente.

4 – Preste plena atenção no que o outro está dizendo

Há momentos em que a mente está tão agitada no trabalho que novas informações, mesmo durante uma reunião, simplesmente não colam. Uma nova tarefa ou um lembrete parecem ter sido memorizados, mas se esvaem logo em seguida. Há também ocasiões em que apenas o trejeito de uma pessoa nos distrai ou nos irrita de tal forma que não conseguimos pensar em mais nada. Para esses momentos, o truque é treinar a “escuta profunda”. Esqueça os gestos dela, a sua relação com ela, e se concentre profundamente em ouvir e compreender apenas o que a outra pessoa estiver falando. É mais difícil do que parece.

5 – Coloque-se no lugar do outro

Um cacoete do nosso comportamento egocêntrico é nos aproximarmos de quem é semelhante e rejeitar quem é diferente ou está em um posto diferente. No trabalho, não é diferente, mas obrigatoriamente precisamos lidar com pessoas com dinâmicas e emoções diversas. Sempre que você estiver prestes a se irritar com um colega ou com a ordem vinda de um chefe, faça o exercício de tentar enxergar o mundo pela visão dele. Um dos grandes benefícios do mindfulness no ambiente de trabalho é tornar colegas mais empáticos entre si, o que costuma melhorar relações interpessoais em pouco tempo.

Ane Saraiva - Foto: Morgana Mazzon, divulgação

Ane Saraiva – Foto: Morgana Mazzon, divulgação

A Sati Consciência Plena promove o encontro gratuito Mindfulness no Parque, domingo, das 10h às 11h (Parque Farroupilha, próximo ao pavilhão chinês); Os participantes devem vestir roupas confortáveis e levar um colchonete, almofada e/ou cadeira portátil.

SERVIÇO | W Summitt
• 1º de julho, das 9h às 18h, no Novotel (Soledade, 575)
• Palestras com os comunicadores Marcos Piangers e Arthur Gubert, a empreendedora Emilia Chagas,
o consultor financeiro Eduardo Amuri e a instrutora de mindfulness Ane Saraiva (foto), entre outros
• Ingressos a R$ 149 em oiwarren.com/wsummit

Leia mais
:: Mindfulness: conheça a técnica de meditação que conecta você com suas sensações e ajuda no sexo
:: Você é prioridade: confira seis passos para turbinar sua autoestima 
:: Brigar pode ajudar o relacionamento: saiba como ter uma boa D.R.

Leia mais
Comente

Hot no Donna