Menino também pode! Empresa gaúcha cria brinquedo neutro e acende debate sobre gêneros

(Divulgação)
(Divulgação)

O genderless é uma tendência fashion, mas não só. Afinal, por que meninas precisam brincar de cozinha e meninos precisam jogar futebol? Estereótipos do tipo têm sido cada vez mais questionados. Não à toa, o mercado de brinquedos infantis tem visto a necessidade de acompanhar o amadurecimento dos pais sobre questões de gênero. A marca gaúcha Xalingo criou um brinquedo “neutro” para atrair a atenção tanto de meninos que se interesse em brincar de casinha quanto de meninas. A nova linha de brinquedos quer descontruir o estereótipo de que cozinha é só para garotas.

— Recebemos pedidos de alguns pais. A aceitação foi muito boa. As mães de meninos comemoraram. Mas também percebemos a necessidade e trabalhamos por um bom tempo nessa ideia de uma cozinha mais neutra — disse Tamara Campos, gerente de marketing da Xalingo, ao jornal Folha de S. Paulo.

:: Garotinho escolhe usar fantasia de princesa Elsa, de “Frozen”, no Halloween – e pai dá a melhor justificativa
:: Filha de Marcos Piangers surpreende com declaração feminista no programa ‘Encontro’, com Fátima Bernardes

A iniciativa da marca é uma forma de mostrar apoio a igualdade de gêneros. O primeiro produto da linha é uma cozinha infantil, que deixa os tons de rosa de lado para assumir cores mais neutras como vermelho, preto e branco. Claro, a troca de cores pode ser interpretada como um equívoco (afinal, quem disse que rosa é cor de menina?), mas a iniciativa foi bem recebida pelos pais e tem ganhado repercussão. A previsão da marca é que novos produtos sejam lançados em seguida nos mesmo moldes: geladeira e fogão.

Ainda de acordo com a gerente, programas de TV sobre culinária (como o reality MasterChef Júnior) e o incentivo dos pais estão ajudando a construir este novo cendário, o que justifica a aceitação do produto.

:: Mãe surpreende filha transgênero com a primeira dose de tratamento hormonal

— As pessoas estão se preocupando mais com uma alimentação saudável. E o lúdico pode colaborar muito nesse sentido — disse.

E você, o que achou da iniciativa?

Menino também pode?

Menino também pode?

Pode, sim!

Pode, sim!

Leia mais
Comente

Hot no Donna